Fotografo: Reprodução
...
Sgt Victor Aleixo foi morto na manhã deste domingo num ataque criminoso ocorrido no Morro da Providência no Rio de Janeiro

 
 
 
Eraldo de Freitas e Aparecido Fonseca
SBC do Brasil - Rio
 
Rio de Janeiro - O secretário de segurança público do Rio de Janeiro juntamente com o governo precisa agir com "mão-de-ferro" com mais intensidade e firmeza no combate à criminalidade que tem agido livremente nos morros cariocas, explicou o especialista em segurança pública Valter Almirante Trindade, de 68 anos, com escritório em São Paulo. Na manhã deste domingo (12/11), criminosos do tráfico assassinou o sargento da PM, Vitor Aleixo. 
 
Segundo informações colhidas junto ao 5º Batalhão pela SBC do Brasil - Rio de Janeiro, "o sargento Aleixo primeiramente foi baleado nesta manhã, no Morro da Província, zona portuária carioca, onde possuímos uma UPP - Unidade de Polícia Pacificadora, vindo a óbito ao dar entrada no hospital; a ação aconteceu na Rua do Livramento ocasião da troca de turno dos policiais da unidade.", disse.
 
Contou o comandante para a jornalista da SBC do Brasil/Rio que, "com a morte do Sgt Aleixo subiu para 118 o número de policiais militares assassinados no Rio de Janeiro somente este ano de 2017", contou.
 
O sargento Victor foi socorrido ao Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro do Rio, não resistiu aos ferimentos e veio a falecer mesmo antes de iniciar os procedimentos médicos. Além do sargento Alexio outros policiais, dentre eles um homem não identificado que se encontrava no local foram vítima de projéteis, porém, todos sobreviveram ao ataque criminoso. Todas as vítimas foram encaminhadas para o mesmo hospital, contou o comandante. 
 
Questionado sobre o estado de saúdo das demais vítimas, o comandante disse que, “até o momento do fechamento desta reportagem a clínica ainda não havia emitido nenhum Boletim Médico à polícia responsável”, explicou.
 
Questionado ainda pela nossa reportagem do SBC do Brasil/Rio, sobre o andamento da captura dos suspeitos e autores do ataque, disse o comandante que, "Uma equipe do Bope (Batalhão de Operações Especiais), mais a Divisão de Elite da PM realizaram a manhã toda buscas de casa em casa nos Morros da Providência, no intuito de prender os criminosos e responsáveis pelo ataque. Ouviram muitos tiroteios na chegada dos policias da operação, entramos lá através do caveirão para desbloquear caminhos e por questões de segurança dos policiais, ele é um veículo Blindado", explicou.
 
Através das redes sociais, vários moradores deram conta que, no exato momento dos ataques, os traficantes estavam em pleno baile funk na favela da Providência.
 
Pelo o  Twitter a Instituição lamentou a morte do sargento Victor Aleixo, aproveitou para alertar a população sobre os riscos de tiroteio no local nesta manhã, em decorrência da presença do Bope e outras corporações policiais.