Fotografo: Da Assessoria
...
O PL é de autoria do vereador Ivan dos Santos (PRB) e segue para sanção da prefeita Lucimar Campos

Foi aprovado com 19 votos favoráveis na sessão ordinária realizada nesta quarta-feira (21.08) o Projeto de Lei n° 86/2019 que dispõe sobre o incentivo para a participação da mulheres nos atos políticos no município de Várzea Grande por meio do programa “Mulher na Política”.  O PL é de autoria do vereador Ivan dos Santos (PRB) e segue para sanção da prefeita Lucimar Campos.
 
Consta da proposta, que o “Mulher na Política” terá como ações: conscientização da mulher e sua importância nos atos políticos dentro do município, elaboração e distribuição de informativos, incentivos para a filiação feminina, viabilização de palestras, incentivos para as jovens a se alistarem ao pleito eleitoral.
 
“O momento é oportuno para a sociedade. Não podemos desclassificar as mulheres e sim dar a oportunidade para as mulheres desempenharem o papel político. Quero mostrar a importância delas para que elas mesmas se representem”, diz Ivan.
 
A única mulher no parlamento municipal, a vereadora Gisele Aparecida de Barros – Gisa Barros (PSB), destaca a importância da representação feminina na política. “Infelizmente este ainda é um universo feminino. Não é fácil, pois não sou só vereadora, sou mãe, dona de casa e esposa. Desempenhamos várias funções no nosso dia-dia”, declara Gisa.
 
Ainda é relatado no Projeto de Lei, que o município poderá fazer parcerias com outras entidades e órgãos públicos. Conforme o parlamentar, a maioria do eleitorado brasileiro é do sexo feminino. “As mulheres tem um papel fundamental em um lar, principalmente na educação. Ela ensina valores para os filhos, que muitas vezes falta no meio político”, fala o republicano.
 
Dos Santos, ainda lembra que a participação feminina na política é mínima. “O Brasil está nos últimos lugares na participação de mulheres no meio político. Temos que mudar a cultura, principalmente nos partidos para que haja um incentivo para uma participação feminina mais efetiva”, disse.