Fotografo: CPB
...
Possibilidades ilimitadas

 
Lição 6
01 a 07 de agosto
 
 
 
Sábado à tarde
Ano Bíblico: Is 34-37
 
VERSO PARA MEMORIZAR: “Mas um só e o mesmo Espírito realiza todas estas coisas, distribuindo-as, como Lhe apraz, a cada um, individualmente” (1Co 12:11).
 
LEITURAS DA SEMANA: 1Co 12:12; Mt 3:16-18; 1Co 12:7; 1:4-9; Mt 25:14-30
 
Deus nos chama a testemunhar Dele (At 1:8; Is 43:10). Testemunhar não é um dom espiritual especial que apenas algumas poucas pessoas possuem. É o chamado divino de cada cristão.
 
A Bíblia utiliza diferentes expressões para descrever nosso chamado diante de Deus. Devemos ser “a luz do mundo”, “embaixadores em nome de Cristo” e um “sacerdócio real” (Mt 5:14; 2Co 5:20; 1Pe 2:9). O mesmo Deus que nos chama para testemunhar e para servir nos habilita para a tarefa. Ele concede dons espirituais a cada cristão. Deus não chama os habilitados, que se sentem autossuficientes, mas transforma e habilita aqueles a quem chama. Assim como Ele dá salvação gratuitamente a todos os que creem, também lhes concede Seus dons gratuitamente.
 
Quando nos consagramos a Deus e dedicamos nossa vida ao Seu serviço, nossas possibilidades de servir são infinitas. “Não pode haver limite à utilidade de uma pessoa que, pondo de parte o próprio eu, oferece margem à atuação do Espírito Santo em seu coração e vive uma vida inteiramente consagrada a Deus” (Ellen G. White, A Ciência do Bom Viver, p. 159).
 
Na lição desta semana, estudaremos nossas possibilidades ilimitadas de serviço mediante o dom do Espírito Santo.

Domingo, 02 de agosto
Ano Bíblico: Is 38-40
Diferentes nos dons, unidos no serviço
 
Você já pensou como os discípulos eram diferentes uns dos outros? Sua origem, personalidade, temperamento e dons variavam bastante. Mas isso não foi uma desvantagem para a igreja. Tornou-se um ponto forte. Mateus, um cobrador de impostos, era preciso, exato e correto. Por outro lado, Pedro muitas vezes falava precipitadamente e era entusiasmado e impulsivo, mas também tinha qualidades naturais de liderança. João era bondoso e franco. André era sociável, extremamente consciente dos que o cercavam e sensível aos outros. Tomé tinha a tendência natural de questionar e muitas vezes duvidava. Cada um desses discípulos, embora tivesse personalidade e dons diferentes, foi poderosamente usado por Deus para testemunhar Dele.
 
1. Leia 1 Coríntios 12:12, 13, 18-22. Existe necessidade de pessoas com diferentes dons no corpo de Cristo, a igreja? Assinale a alternativa correta:
 
A.( ) Sim. Cada cristão tem uma função no corpo de Cristo.
 
B.( ) Não. Todos têm a mesma função e os mesmos dons no corpo de Cristo.
 
Deus Se alegra em tomar pessoas de diferentes origens, com diversos talentos e habilidades, para lhes conceder dons para o serviço. O corpo de Cristo não é um grupo homogêneo. Não é um clube de campo com pessoas da mesma origem e mesmo pensamento. É um movimento dinâmico de pessoas com diferentes dons, unidas no amor a Cristo e às Escrituras e comprometidas em compartilhar Seu amor e verdade com o mundo (Rm 12:4; 1Co 12:12). Os membros do corpo de Cristo têm dons diferentes, mas cada um é valioso; cada um é decisivo para o funcionamento saudável do corpo de Cristo. Assim como os olhos, ouvidos e nariz têm funções diferentes, mas são necessários para o corpo, todos os dons também são necessários (1Co 12:21, 22).
 
Se ponderarmos cuidadosamente sobre o corpo humano, mesmo as partes “menos importantes” têm uma função crucial. Considere os cílios. E se não tivéssemos algo aparentemente insignificante como os cílios? As partículas de poeira embaçariam nossa visão, e as consequências seriam danos irreparáveis. O membro aparentemente mais “insignificante” da igreja é uma parte essencial do corpo de Cristo e recebeu o dom do Espírito Santo. Para Deus, todos são importantes e úteis. Quando dedicamos totalmente nossos dons a Deus, cada um de nós pode fazer uma diferença eterna.

Segunda-feira, 03 de agosto
Ano Bíblico: Is 41-44
Deus: o Doador de todos os dons
 
De acordo com 1 Coríntios 12:11, 18, Efésios 4:7, 8 e Tiago 1:17, Deus é o originador de todas as dádivas, e “todo dom perfeito” vem Dele. Portanto, podemos ter a certeza de que Ele nos concederá os dons do Espírito Santo mais adequados à nossa personalidade e usará da melhor maneira nossas habilidades para servir à Sua causa e glorificar Seu nome.
 
2. Leia Marcos 13:34 e 1 Coríntios 12:11. A quem Deus concede dons espirituais? Assinale “V” para verdadeiro ou “F” para falso:
 
A.( ) A apenas alguns indivíduos mais capazes.
B.( ) A cada um, individualmente, de acordo com a vontade divina.
 
Deus tem uma tarefa especial para cada um na obra de compartilhar o evangelho. Na parábola do proprietário que deixa a casa aos cuidados de seus servos, ele lhes dá o trabalho designado (Mc 13:34). Há uma tarefa para cada um, e Deus concede dons espirituais a todos, para que realizem a tarefa ou ministério a que são chamados. Quando entregamos a vida a Cristo e, por meio do batismo, tornamo-nos membros de Seu corpo (a igreja), o Espírito concede dons para que sirvamos ao corpo e testemunhemos ao mundo.
 
Em 1903, Ellen G. White escreveu uma carta a certo homem para encorajá-lo a usar no serviço os dons que Deus lhe havia concedido. “Somos todos membros da família de Deus; a todos nós, em maior ou menor grau, foram confiados talentos dados por Deus, e somos responsáveis por sua utilização. Seja nosso talento grande ou pequeno, devemos usá-lo no serviço de Deus e reconhecer o direito de todos os outros de usar os dons que lhes são confiados. Nunca devemos menosprezar o menor capital físico, intelectual ou espiritual” (Carta 260, 2 de dezembro de 1903).
 
3. Leia Atos 10:36-38, Mateus 3:16-18 e Atos 2:38-42. O que esses textos revelam sobre a promessa do Espírito Santo no batismo?
 
Assim como Jesus foi ungido com o Espírito Santo em Seu batismo a fim de prepará-Lo e habilitá-Lo plenamente para Seu ministério no mundo, cada um de nós tem a promessa do Espírito Santo no batismo. Deus deseja que estejamos certos de que Ele cumpre Sua Palavra e concede dons 
espirituais para abençoar Sua igreja e o mundo.

Terça-feira, 04 de agosto
Ano Bíblico: Is 45-48
O propósito dos dons espirituais
 
4. Leia 1 Coríntios 12:7 e Efésios 4:11-16. Por que Deus concede dons espirituais a cada cristão? Quais são os propósitos desses dons?
 
Os dons espirituais servem a vários propósitos. Deus os concede para nutrir e fortalecer Sua igreja a fim de cumprir Seu ministério. Eles foram designados para desenvolver uma igreja unificada, pronta para cumprir Sua missão no mundo. Os escritores bíblicos nos deram exemplos de dons espirituais que Deus concede à Sua igreja, como ministério, serviço, proclamação, ensino, encorajamento e doação. Eles também falaram sobre os dons da hospitalidade, misericórdia, assistência e alegria, entre outros. Para uma lista mais completa, leia Romanos 12 e 1 Coríntios 12.
 
Você pode estar se perguntando sobre a relação entre dons espirituais e talentos naturais. Os dons espirituais são qualidades divinamente comunicadas pelo Espírito Santo a cada cristão a fim de habilitá-lo para seu ­ministério especial na igreja e serviço ao mundo. Eles também podem incluir talentos naturais santificados pelo Espírito Santo e usados no serviço de Cristo. Todos os talentos naturais são dados por Deus, mas nem todos são usados no serviço de Cristo.
 
“Os dons especiais do Espírito não são os únicos talentos representados na parábola. Esta inclui todos os dons e talentos, originais ou adquiridos, naturais ou espirituais. Todos devem ser empregados no serviço de Cristo. Tornando-nos discípulos Dele, rendemo-nos a Ele com tudo o que somos e temos. Ele nos devolve, então, essas dádivas purificadas e enobrecidas para que as utilizemos para Sua glória em abençoar nossos semelhantes” (Ellen G. White, Parábolas de Jesus, p. 328).
 
Além disso, Deus estabeleceu dons especiais, como o dom de profecia e ofícios específicos na igreja, incluindo pastores e anciãos, que são professores no corpo de Cristo a fim de nutrir e habilitar cada membro para o serviço (veja Ef 4:11, 12). A função de toda a liderança da igreja é ajudar os membros a descobrir seus dons espirituais e ensiná-los a usá-los para edificar o corpo de Cristo.

Quarta-feira, 05 de agosto
Ano Bíblico: Is 49-51
Descobrindo os dons
 
5. Compare 1 Coríntios 1:4-9 com 2 Coríntios 1:20-22. O que essas passagens revelam sobre as promessas de Deus, especialmente a respeito dos dons espirituais antes da segunda vinda de Cristo?
 
Deus promete que Sua igreja manifestará todos os dons do Espírito Santo pouco antes do retorno de nosso Senhor. Suas promessas são certas. Ele nos deu o testemunho do Espírito Santo em nosso coração para guiar cada um de nós a uma compreensão dos dons que Ele nos concedeu. Deus é quem dá os dons e mediante Seu Espírito os revela a nós.
 
6. Leia Lucas 11:13, Tiago 1:5 e Mateus 7:7. Se desejamos descobrir os dons que Deus deu a cada um de nós, o que Ele nos convida a fazer?
 
Recebemos os dons do Espírito ao nos consagrarmos a Deus e pedirmos que Ele nos revele os dons que nos deu. Quando nosso coração é esvaziado de glória pessoal e nossa prioridade é servir a Jesus, Seu Espírito nos impressiona com os dons espirituais que Ele tem para nós. “Somente quando os discípulos se renderam plenamente à Sua atuação em fé e súplicas foi derramado sobre eles o Espírito Santo. Então os bens do Céu foram concedidos aos seguidores de Cristo em sentido especial [...]. Esses dons já são nossos em Cristo, mas a posse real depende de nossa recepção do Espírito de Deus” (Ellen G. White, Parábolas de Jesus, p. 327).
 
Os dons espirituais (veja 1Co 12:4-6) são qualidades transmitidas por Deus para que possamos servi-Lo efetivamente. Os ministérios são as áreas gerais em que podemos expressar nossos dons, e as atividades são os eventos específicos que nos permitem usá-los. Os dons espirituais não vêm completamente desenvolvidos. Quando o Espírito Santo o impressionar com alguma área de serviço, ore para que Ele o guie a um ministério específico para exercitar seu dom por meio de uma atividade de evangelismo.
`
Quinta-feira, 06 de agosto
Ano Bíblico: Is 52-55
Desenvolvendo os dons
 
7. Leia a parábola dos talentos, em Mateus 25:14-30. Qual pensamento mais significativo se destaca nessa história? Por que os dois primeiros servos foram elogiados por Deus e o último servo, condenado? O que essa parábola revela sobre o uso de nossos talentos? Observe especialmente Mateus 25:29.
 
O mestre deu a cada servo talentos de acordo com a “própria capacidade” deles (Mt 25:15). Cada indivíduo recebeu uma quantia diferente. Um recebeu cinco talentos, outro dois, e o terceiro, um. Cada servo teve a possibilidade de escolher como investir ou usar os talentos que lhes foram dados. A parábola tem um ponto crucial: os talentos que eles receberam não eram deles. Pertenciam a outra pessoa que lhes tinha dado a incumbência de administrá-los.
 
A preocupação do mestre não era quem tinha talentos superiores ou inferiores. O importante não era quantos talentos cada um tinha. O essencial era saber o que cada um tinha feito com o que havia recebido.
 
Paulo abordou a questão desta maneira: “Se há boa vontade, será aceita conforme o que o homem tem e não segundo o que ele não tem” (2Co 8:12). Para Deus, o que importa não é tanto o que você tem, mas o que você faz com o que você tem.
 
Deus elogiou os dois primeiros servos porque eles foram fiéis no uso de seus talentos. Os talentos deles se desenvolveram com o uso. O servo “mau” não usou os recursos que o mestre lhe havia concedido, e eles não se desenvolveram. É uma verdade eterna que “a lei de servir torna-se o vínculo que nos liga a Deus e ao nosso semelhante” (Ellen G. White, Parábolas de Jesus, p. 326). O servo infiel desperdiçou sua oportunidade de servir e acabou perdendo a capacidade de servir.
 
Quando usamos os dons que Deus nos deu para a glória de Seu nome, eles se expandirão e crescerão. Como podemos descobrir os dons que Deus nos concedeu? Humildemente, ore para que Ele revele as áreas em que deseja que você sirva no ministério. Quando Ele impressionar sua mente, envolva-se. Seus dons se desenvolverão à medida que você os usar, e por isso encontrará satisfação no serviço do Senhor.

Sexta-feira, 07 de agosto
Ano Bíblico: Is 56-58
Estudo adicional
 
Texto de Ellen G. White: Parábolas de Jesus, p. 325-365 (“Como Enriquecer a Personalidade”).
 
A correta compreensão do ensino bíblico acerca dos dons espirituais traz unidade à igreja. O reconhecimento de que cada um de nós é um membro valioso e necessário ao corpo de Cristo é um pensamento unificador. Todo membro da igreja é importante para o cumprimento da missão de Cristo. Cada um foi dotado para o serviço.
 
“A todos é dada uma obra a fazer pelo Mestre. A cada um de Seus servos são concedidos dons especiais ou talentos. ‘A um deu cinco talentos, e a outro, dois e a outro, um, a cada um segundo a sua capacidade’ (Mt 25:15). Cada servo tem algum legado pelo qual é responsável, e os vários legados são proporcionais às nossas várias habilidades. Distribuindo Seus dons, Deus não agiu com parcialidade. Ele distribuiu os talentos de acordo com as aptidões conhecidas de Seus servos e espera retorno correspondente” (Ellen G. White, Testemunhos Para a Igreja, v. 2, p. 282).
 
Lembre-se também de que os dons do Espírito são dados para a glória de Deus, não para a nossa. Deus os concedeu para exaltar Seu nome e para o avanço de Sua causa.
 
Perguntas para consideração
 
1. Cada um de nós recebeu dons de Deus. Quais implicações práticas isso tem para sua igreja? Que diferença isso faz no envolvimento de cada membro no serviço?
 
2. Compartilhe com a classe da Escola Sabatina como os dons de outros membros o abençoaram. Compartilhe de que modo você descobriu seus dons espirituais. Quais são eles e como você os usa para abençoar os outros?
 
3. A lição destacou que nossos dons crescem à medida que os usamos. Reflita sobre sua vida. Quais dons se expandiram quando você os usou para a glória do nome de Deus? Você é fiel ao que Deus lhe concedeu?
 
Respostas e atividades da semana: 1. A. 2. F; V. 3. Quando somos batizados nas águas, recebemos o dom do Espírito Santo, exatamente como ocorreu com Jesus, por ocasião de Seu batismo. 4. O Senhor nos concede os dons espirituais para um fim proveitoso. Seu desejo é que aperfeiçoemos nosso serviço aos outros, que sejamos unidos na fé e tenhamos um pleno conhecimento do Filho de Deus. 5. O Senhor nos fez promessas e certamente as cumprirá. Ele nos concederá todos os dons necessários à Sua obra, principalmente antes da segunda vinda de Cristo. 6. Pedir ao Senhor e certamente Ele nos concederá a sabedoria para descobrir os nossos dons e usá-los com eficiência. 7. Comente com a classe. Os dois primeiros servos foram elogiados porque multiplicaram seus talentos. O último servo foi condenado porque enterrou seu talento. Nossos dons precisam ser multiplicados e ­gerar rendimento para o reino de Deus. Caso contrário, eles nos serão tirados.