Fotografo: Divulgação
...
Material apreendido com presos em garimpo ilegal em MT

As polícias Civil e Militar prenderam 45 pessoas que invadiram a área de garimpo da Serra do Caldeirão, em Pontes e Lacerda, a 483 km de Cuiabá. As prisões ocorreram na sexta-feira (22), depois que a empresa privada que faz a segurança do local registrou boletim de ocorrência na delegacia do município sobre a invasão. A região já passou por duas desocupações por determinação da Justiça Federal e atualmente está sob a responsabilidade de duas mineradoras que iniciaram pesquisa de ouro no local.
 
Todos os presos deverão ser autuados em flagrante pelo crime de extração ilegal de minério. Uma mulher que estava com uma porção de pasta base de cocaína deverá responder também por tráfico de drogas. E um dos presos, que estava armado e ficou ferido depois de suposta troca de tiros com a polícia, deverá ser autuado ainda por tentativa de homicídio.
 
O representante da empresa de segurança que procurou a delegacia disse à polícia que a região do garimpo tinha sido invadida por um grupo de pessoas com armas de fogo, inclusive de cano longo. Para entrar na área, os garimpeiros teriam atirado contra os seguranças e ameaçado colocar fogo na base da mineradora responsável pela área, que fica no topo da serra.
 
Depois do registro do boletim de ocorrência, a Polícia Civil solicitou apoio da Polícia Militar para ir ao garimpo. A área estava ocupada por cerca de 80 pessoas e, de acordo com a polícia, os garimpeiros colocaram “olheiros” para monitorar os seguranças e a eventual chegada dos policiais.
 
Quando a polícia entrou na região, um grupo armado reagiu e disparou contra os policiais, iniciando uma troca de tiros. Um dos garimpeiros armados foi atingido na perna e foi levado ao Hospital de Pontes e Lacerda.
 
Na ocasião, foram presas 43 pessoas, que depois foram encaminhadas para a Delegacia de Pontes e Lacerda. Depois, outros dois garimpeiros que haviam fugido foram localizados pelos seguranças e entregues também à polícia. 
Segundo a Polícia Civil, os garimpeiros estavam se preparando para retomar a extração de minério na área. O grupo invadiu a serra para a ocupar a área e, durante a noite, deveriam chegar os equipamentos para extração de ouro.
 
Garimpo e desocupação
 
O garimpo da Serra do Caldeirão passou por duas desocupações por determinação da Justiça Federal, que mandou que as pessoas que estavam explorando o local ilegalmente fossem retiradas e, a área, isolada. A região começou a ser invadida em setembro de 2015 e chegou a reunir milhares de pessoas de várias partes do país em busca de ouro.
 
Em março, o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) concedeu dois alvarás com duração de três anos para duas mineradoras que apresentaram requerimentos de pesquisa mineral na área em 1991 e 2000. Os alvarás abrangem 7.385 hectares entre Pontes e Lacerda e Vila Bela da Santíssima Trindade,a 562 km da capital.