Fotografo: Reprodução Facebook
...
Ariane Suelen Ribeiro foi assassinada no domingo (1)

 
 
 
A principal suspeita da Polícia Civil sobre a morte da advogada Ariane Suelen Ribeiro, 28 anos, é a de que o crime foi ordenado pelo ex-marido da vítima, que já cumpre prisão por outro crime que teria cometido — a polícia não especificou qual.
 
Ariane foi baleada diversas vezes à queima-roupa, com tiros no rosto, enquanto bebia e conversava com amigos na manhã do último domingo (1) em um posto de combustível em Perus (zona norte de São Paulo).
 
Um dia depois do crime, na segunda-feira (2), a PM prendeu Diego Pereira de Lima, 30 anos, suspeito de ter participado do assassinato. Segundo as investigações, Lima foi o responsável por dirigir o carro utilizado pelo autor do crime para fugir do local.
 
O suspeito teve a prisão temporária expedida e foi encaminhado para o 77º DP (Santa Cecília).
 
Ainda de acordo com a Polícia Civil, o autor do crime também foi identificado. No entanto, o suspeito, que tem 33 anos, segue foragido. A polícia ainda investiga se crime foi planejado ou se o suspeito atirou por vontade própria.
 
O caso está sendo investigado pela equipe do 46º DP (Perus).
 
Andressa Isfer, da Agência Record, e Kaique Dalapola, do R7