Fundada aos 14 de abril de 2006 pelo Jornalista Eraldo de Freitas - E-mails: redacao@sbcbrasil.com.br

Cidadão Repórter

(65)9966-5664
Várzea Grande(DF), Terça-Feira, 01 de Dezembro de 2020 - 17:59
20/11/2020 as 10:17:31 | Por Vitória Lopes, Gazeta Digital | 114
MP apura instalação de outdoors a favor de uma suposta reeleição de Bolsonaro
Segundo a ação, os outdoors fazem apoio indevido a uma suposta reeleição do presidente.
Fotografo: Divulgação
Os outdoors foram instalados em diversos pontos

O procurador Erich Raphael Masson, do Ministério Público Eleitoral, determinou a investigação da instalação de outdoors de apoio ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em diversos municípios de Mato Grosso. Segundo a ação, os outdoors fazem apoio indevido a uma suposta reeleição do presidente.
 
Os outdoors foram instalados em diversos pontos de Sinop (500 km ao norte de Cuiabá), além de Cuiabá e Várzea Grande. De acordo com a decisão, diligências serão realizadas para apurar os responsáveis pela divulgação dos outdoors, a contratação do serviço e o valor pago e forma de pagamento.
 
“Notícia se houve outras peças publicitárias similares contratadas pela mesma pessoa ou por outras, inclusive em outros municípios em benefício de outros agentes políticos”, continua.
 
A decisão aponta que a instalação das imagens faz propaganda indevida, uma vez que Bolsonaro é um potencial candidato à reeleição em 2022. Além disso, o pagamento dos outdoors podem ter sido feitos por entidade sindical e uso de dinheiro público.
 
“Considerando que foram encaminhados à Procuradoria Geral Eleitoral [...] acompanhados de notícias relativas à possível instalação de outdoors em diversos municípios de Mato Grosso, veiculando de forma positiva a imagem de Jair Messias Bolsonaro, potencial candidato à reeleição em 2022, com suposto patrocínio de entidade sindical, além de entidades que recebem recursos públicos federais, tais como a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e a Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA)”, diz trecho.
 
O procurador determina ainda que as empresas responsáveis pela instalação têm o prazo de 5 dias para indicar como ocorreram os contratos.




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil