Fotografo: Reprodução
...
A polícia trabalha com a possibilidade de que a menina Vitória tenha sido sequestrada por engano

 
 
 
O delegado Acácio Leite, da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Sorocaba, que colabora com as investigações do caso da menina Vitória, afirmou, em entrevista à RecordTV, que “existe a suspeita que ela [Vitória] possa ter conhecido seus algozes”.
 
A afirmação é baseada na suposta falta de resistência apresentada por Vitória Gabrielly, 12 anos, no momento em que teria sido sequestrada. O delegado afirmou que, até agora, não há indícios de que ela teria gritado, ou pedido ajuda.
 
Segundo o delegado, a principal linha de investigação é em relação a um homem suspeito de envolvimento no caso. Um pedido de prisão temporária por 5 dias para o rapaz foi expedido pela polícia na manhã desta sexta-feira (15).
 
O motivo do pedido de prisão temporária está baseado nos depoimentos contraditórios que o rapaz prestou às autoridades.
 
Um casal, um homem e uma mulher, que também seriam suspeitos de envolvimento, foram liberados após depoimento às autoridades.
 
A polícia trabalha com a possibilidade de que a menina Vitória tenha sido sequestrada por engano. Os suspeitos estariam em busca de uma outra menina como forma de vingança por uma dívida de drogas.
 
O Delegado Acácio Leite afirmou que as investigações estão progredindo. “Eu diria que a gente está perto. Mas esse perto pode se perdurar por alguns dias”.
 
Vitória Gabrielly, 12, está desaparecida desde a última sexta-feira (8). Ela foi vista pela última vez andando de patins perto de sua casa, em Araçariguama, no interior de São Paulo.
 
De acordo com a família da menina, ela saiu de casa para ir a um ginásio de esportes brincar com uma amiga da escola. Durante o trajeto, no entanto, a outra criança teria desistido de acompanhá-la.
 
Ainda assim, Vitória colocou o patins para continuar a caminhada ao ginásio. Imagens de câmera de segurança captaram o momento em que ela parou na esquina da escola onde estuda, que fica no caminho para o ginásio.
 
De acordo com testemunhas, quando a menina chegou no ginásio, foi abordada por um homem que estava em um carro preto.
 
Outras crianças que estavam no local afirmam terem visto a menina conversando com o suspeito, mas não souberam dizer se ela entrou no carro.
 
A Polícia Civil segue as investigações em busca de informações sobre possíveis responsáveis pelo desaparecimento da criança. (R7)