Fotografo: Da Assessoria
...
Nesse tempo foram vários os percalços, o que me faz grato àqueles que, engajados na causa, perseveraram juntos

O título deste texto traduz o meu sentimento em relação à conquista da nova ponte ligando o Coxipó ao Grande Cristo Rei, pois é a concretização de um sonho de duas décadas de luta na lide comunitária e nos cargos públicos que ocupei, sempre sustentado com dificuldade e até enfrentando a descrença de alguns quanto à sua possibilidade real.
 
Nesse tempo foram vários os percalços, o que me faz grato àqueles que, engajados na causa, perseveraram juntos.
 
Entendo que todas as pontes existem para ajudar a superar um obstáculo, ligar pontos e denota ousadia, daí o enunciado ‘Ponte da Perseverança’ porque, além do rio Cuiabá, foi preciso enfrentar outros desafios, como obter o convencimento político e governamental para a obra e a viabilização dos recursos para o seu custeio, ignorando o pessimismo e até a pouca vontade de uns.
 
Por esses motivos, agradeço ao governador Mauro Mendes e, com alegria, compartilho a retomada das obras de construção da ponte pelo governo do Estado, determinada ao secretário Marcelo Oliveira, da Secretaria de Estado de Infraestrutura – SINFRA. Essa decisão evidenciou o espírito público, a grandeza política e a responsabilidade da gestão do governante, assegurando o interesse da população.
 
O prazo de execução da obra é de três anos e a ponte terá 420 metros de extensão, ligando as regiões sul de Cuiabá e leste de Várzea Grande.
 
Com o custo inicial em 39.285.953,47, além de recursos do Fethab, geridos pelo atual governo, a obra integra o programa Pro Concreto e obteve financiamento de parte dos recursos contratualizado junto ao Banco do Brasil no governo anterior, assim como a licitação e o início da obra, depois paralisada, naquele período.
 
Um fato interessante, é que em uma das oportunidades da luta, em 2014 e durante reunião no Parque Cuiabá com o então candidato a governador Pedro Taques, fui eu que entreguei a ele o cd com as informações do projeto da nova ponte, até então apenas desejo e muita esperança.
 
Com novas alternativas logísticas, econômicas e sociais, as populações dos bairros do entorno serão beneficiadas com a valorização imobiliária; com o fortalecimento da indústria, do comércio e do setor de serviços; ou mesmo com novos projetos habitacionais e de melhorias na infraestrutura daqueles existentes.