Fundada aos 14 de abril de 2006 pelo Jornalista Eraldo de Freitas - E-mails: redacao@sbcbrasil.com.br

Cidadão Repórter

(65)9966-5664
Várzea Grande(MT), Sábado, 28 de Maio de 2022 - 17:03
12/05/2022 as 09:49:06 | Por Assessoria |
PF combate contrabando de agrotóxicos que movimentou R$ 154 milhões
Suspeitos de comercializar fertilizantes ilegalmente importados movimentaram, em apenas dois anos, cerca de R$ 154 milhões
Fotografo: Polícia Federal
Operação Mãe-Terra

Sorriso/MT - A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (12/5) a Operação Mãe-Terra, com objetivo de apurar a prática do crime de importação e comercialização ilegal de agrotóxicos de origem estrangeira. Quatro mandados de busca e apreensão, expedidos pela Justiça Federal de Sinop/MT, foram cumpridos em endereços residenciais e comercial localizados nos municípios de Sorriso/MT e Lucas do Rio Verde/MT.
 
As investigações iniciaram a partir de denúncias que apontavam um dos suspeitos como um dos principais contrabandistas de agrotóxicos de Sorriso/MT e região.
 
Em fiscalizações realizadas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), foram identificados agrotóxicos ilegais em propriedades rurais atribuídas aos investigados.
 
Informações obtidas pelo COAF (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) confirmaram a existência de grande movimentação bancária suspeita na conta dos investigados. 
 
A Justiça Federal autorizou a quebra de sigilo bancário e foi possível constatar que os suspeitos de comercializar fertilizantes ilegalmente importados movimentaram, em apenas dois anos, R$ 154 milhões, dos quais grande parte sem identificação de origem e destino para pessoas que já responderam pelo crime de transporte e uso ilegal de defensivos agrícolas.
 
O próximo passo da Polícia Federal será determinar quem são os fornecedores nos países fronteiriços, a estrutura logística utilizada para o transporte e os destinatários.
 
Os suspeitos poderão responder pelos crimes previstos nos artigos 56 da Lei 9.605/98, com pena de 1 a 4 anos de reclusão, e multa, e art. 15 da Lei 7.802/89, com pena de 2 a 4 anos de reclusão, e multa, dentre outros crimes que serão apurados no curso das investigações.(Assessoria | Polícia Federal)




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil