Fundada aos 14 de abril de 2006 pelo Jornalista Eraldo de Freitas - E-mails: redacao@sbcbrasil.com.br

Cidadão Repórter

(65)9966-5664
Várzea Grande(MT), Sexta-Feira, 19 de Agosto de 2022 - 13:37
01/07/2022 as 05:58:18 | Por Raquel Teixeira |
Pai é indiciado pela Polícia Civil por homicídio qualificado do filho, de um ano e oito meses
Em interrogatório,o indiciado alegou que a criança se enrolou com um fio de carregador de celular; perícia demonstrou o contrário
Fotografo: Polícia Civil-MT
O indiciado está preso preventivamente.

A Delegacia da Polícia Civil em Primavera do Leste concluiu o inquérito que apurou a morte de um menino de apenas um ano e oito meses e indiciou o pai da criança por homicídio qualificado cometido por motivo fútil, asfixia e mediante dissimulação. O indiciado está preso preventivamente.
 
O delegado Allan Vitor Sousa da Mata destacou que o trabalho pericial demonstrou que as lesões encontradas e que provocaram a morte da criança foram geradas por ações violentas praticadas contra a vítima. O laudo concluiu que o menino de apenas um ano morreu por asfixia causada pela obstrução das vias aéreas.
 
Comparando o resultado da perícia e o interrogatório do indiciado, a Polícia Civil apontou que apesar de tentar amenizar a violência, o pai bateu a cabeça e sacudiu com força a criança. “A ponto de ter provocado as lesões internas na cabeça, bem como, com as próprias mãos, obstruindo as vias aéreas, impedindo a respiração e ocasionando o óbito por asfixia”, explicou o delegado.
 
O crime ocorreu no dia 20 de junho. A criança foi levada até a UPA de Primavera do Leste pelos pais, que chegaram com a vítima na unidade de saúde por volta das 06h50 e a morte atestada durante o atendimento.
 
A equipe da unidade de saúde acionou a polícia e o casal foi levado pela PM à delegacia para prestar esclarecimentos. A equipe de investigação da Divisão de Homicídios de Primavera do Leste iniciou a apuração dos fatos.
 
Apuração
 
O pai da criança contou que por volta das 03h30 deu mamadeira ao filho e em seguida o colocou em um berço improvisado, ao lado da cama do casal. Ele então cobriu a criança e deixou o aparelho celular carregando ao lado do berço.
 
Quando o casal acordou de manhã para levar o menino à creche, alegou que o filho havia enrolado o carregador do celular no pescoço e verificaram que a boca da criança estava roxa, sem respiração e sem pulso e o levaram à UPA em seguida.
 
Perícia e flagrante
 
Após o acionamento da Politec, uma análise preliminar do corpo da vítima constatou sinais de lesão na parte interna dos lábios, demonstrando que alguém teria feito força para tapar a boca da criança. O exame de necropsia realizado pela equipe médica da Politec de Rondonópolis apontou lesões na parte interna da cabeça e hemorragia no cérebro.
 
A mãe da criança também foi ouvida pela Polícia Civil e alegou que não percebeu nada, mas relatou ter visto o marido na sala alimentando a criança durante a madrugada e quando ele colocou o filho para dormir.
 
Com os indícios apontados na perícia preliminar, o pai da criança foi preso em flagrante e a Polícia Civil representou à Justiça pela conversão em prisão preventiva. “Os vestígios encontrados derrubaram a versão apresentada pelo suspeito, sendo realizada a sua prisão em flagrante pelo crime de homicídio qualificado” explicou Allan Vitor.(Raquel Teixeira | Polícia Civil-MT)




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil