Fundada aos 14 de abril de 2006 pelo Jornalista Eraldo de Freitas - E-mails: redacao@sbcbrasil.com.br

Cidadão Repórter

(65)9966-5664
Várzea Grande(MT), Sábado, 28 de Maio de 2022 - 17:43
24/02/2022 as 09:10:26 | Por AFP |
Otan ativou planos de defesa após invasão russa da Ucrânia
A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) ativou seus planos de defesa, nesta quinta-feira (24), e fará uma cúpula virtual de emergência
Fotografo: JOHN THYS / AFP
Isso permite a realocação das forças de resposta rápida da Otan

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) ativou seus planos de defesa, nesta quinta-feira (24), e fará uma cúpula virtual de emergência amanhã, na esteira da ofensiva militar da Rússia em território ucraniano.
 
O secretário-geral da aliança militar, o norueguês Jens Stoltenberg, assegurou que a Otan "não tem tropas na Ucrânia, nem tem planos de enviar tropas para a Ucrânia".
 
 
Ele informou que o Conselho do Atlântico Norte (CAN, os representantes dos países-membros da Otan) decidiu ativar os planos de defesa a pedido do comandante militar da aliança, o general americano Tod Wolters.
 
A ativação desses planos dá autoridade aos comandos militares para mobilizar tropas e recursos mais rapidamente, "dentro de diretrizes políticas previamente definidas".
 
Isso permite a realocação das forças de resposta rápida da Otan, estimadas em mais de 40 mil soldados, no espaço compreendido pelos países da aliança transatlântica.
 
Esta é a primeira vez que a Otan anuncia publicamente a ativação de seus planos de defesa, os quais foram definidos após a anexação da península da Crimeia em 2014.
 
"Aumentamos nossa presença no Leste Europeu por semanas. Temos milhares de soldados e teremos ainda mais forças nos próximos dias", disse Stoltenberg.
 
O norueguês também confirmou que os líderes da Otan farão uma cúpula por videoconferência na sexta-feira (25).
 
A CAN realizou uma reunião de emergência nesta quinta-feira de manhã para lidar com a crise russo-ucraniana, mas várias capitais europeias lançaram pedidos para uma reunião urgente de líderes.
 
Para o secretário-geral da Otan, a Rússia "fechou a porta para uma solução política, e lamentamos que tenha sido assim".
 
"É a realidade, que terá graves consequências para os ucranianos", acrescentou.
 
Nas primeiras horas desta quinta-feira, Stoltenberg havia condenado a operação militar russa na Ucrânia, descrita por ele como um "ataque irresponsável e não provocado, que coloca inúmeras vidas de civis em risco".
 
Stoltenberg considerou que o ataque representa "uma grave violação do direito internacional e uma séria ameaça à segurança euro-atlântica". Também pediu à Rússia que cesse imediatamente suas ações militares e respeite a soberania e a integridade territorial da Ucrânia.(AFP)




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil