Fundada aos 14 de abril de 2006 pelo Jornalista Eraldo de Freitas - E-mails: redacao@sbcbrasil.com.br

Cidadão Repórter

(65)9966-5664
Várzea Grande(MT), Segunda-Feira, 14 de Junho de 2021 - 05:33
18/08/2016 as 14:19:54 | Por AMM | 1872
Crise financeira vivenciada pelos municípios provocou desistência de candidaturas
A maioria dos desistentes da eleição deste ano argumenta a crise financeira
Fotografo: Divulgação
A maioria dos desistentes da eleição deste ano argumenta a crise financeira

 
Em Mato Grosso 30 prefeitos estão terminando o segundo mandato, portanto, não podem se candidatar a mais uma reeleição. 19 prefeitos de primeiro mandato, que entregam o cargo em dezembro desistiram da disputa.  
 
A maioria dos desistentes da eleição deste ano argumenta a crise financeira vivenciada pelos municípios desde o ano passado e o subfinanciamento dos programas sociais, já outros discordam do próprio sistema político atual, do excesso de burocracia e, em alguns casos, o excesso de controle e fiscalização com a intervenção do Ministério Público mesmo que seja pontual.  Em Cuiabá, o prefeito Mauro Mendes alegou motivos familiares para não disputar a reeleição.
 
O presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), Neurilan Fraga, que é um dos prefeitos que não são candidatos, porque já estão no segundo mandato, informou que os gestores estariam decepcionados  com falta de repasse de recursos financeiros dos governos para cumprir com os compromissos com a população. “O maior motivo é a crise financeira sem precedentes e a decepção com o sistema político, com a forma de redistribuição dos recursos, que ficam, na maior parte, com a União. A luta pela reforma do Pacto Federativo é antiga, para que haja uma melhor distribuição dos recursos”, lembrou.
 
Os prefeitos convivem com o subfinanciamento dos programas federais, atraso nos repasses e enfrentam uma grande burocracia. Na avaliação de Fraga, muitos municípios em que houve desistência saem perdendo sem a candidatura dos nomes reelegíveis. Segundo ele, a cidade perde, porque são gestores que adquiriram experiência e, na maior parte dos casos, estavam fazendo um bom trabalho. Fraga acredita que o prejuízo pode ser maior, uma vez que na ruptura ou troca de gestão não há garantia de continuidade dos projetos e ações, mesmo os bons. “O candidato que for eleito e assumir, pode não dar continuidade a um projeto desempenhado por quem hoje desistiu de se candidatar”, observou.
 
O presidente da AMM ressaltou que no mês de novembro, a instituição vai reunir todos os prefeitos eleitos, quando serão ministradas palestras e até mesmo treinamentos, no sentido de orientar e preparar os eleitos, para começar e terminar bem uma gestão. Ele frisou que os bons programas e projetos não são dos gestores que estão deixando as prefeituras e sim do município. A comunidade que é a maior beneficiada. Ainda segundo Fraga, nesse encontro também serão debatidos temas de interesse dos novos gestores, principalmente aqueles considerados essências para o fortalecimento dos municípios de Mato Grosso.
 
Entre os temas estão o Pacto Federativo, programas sociais,  atrasos nos repasses de recursos por parte dos governos federal e estadual, além da mudança na lei Kandir, onde altera o valor da compensação da desoneração de ICMS nas exportações das commodities e semi elaborados através do Fundo de Fomento à Exportação- FEX. Ele explicou que atualmente a União repassa para o estado e os municípios cerca de 420 milhões, enquanto que, Mato Grosso deixa de arrecadar algo em torno de 5 bilhões, por conta da lei Kandir. “Isso tem provocado um desequilíbrio financeiro entre o setor econômico e o público, onde o estado não tem direito a sua parte, principalmente para investimentos  nas áreas de saúde, educação , segurança e infraestrutura”, disse ele.
 
 
 
Prefeitos que não vão disputar as eleições deste ano:
 
Mauro Mendes -  Cuiabá
 
Leuzipe Gonçalves  - Alto Boa Vista
 
Maria José Azevedo - Araguainha
 
Carlos Roberto Costa – Nossa Senhora do Livramento
 
Érico Piana -  Primavera do Leste
 
Gilmar Luiz da Silva - Nobres
 
Nilson José Vigolo -  município de Vera
 
Edson Piovesan - Juara
 
Ademir Gaspar de Lima - Jaciara
 
Jerônimo Maia Neto -  Alto Araguaia
 
Valdez Viana Nunes  - Canabrava do Norte
 
Solange Kleidloro -  Nova Bandeirantes
 
Cristovão Masson -  Nova Olímpia
 
Donizete Barbosa  - Pontes e Lacerda
 
Raquel Campos Coelho - São José do Xingu
 
Luiz Umberto Eickhoff - Tapurah
 
Nilson Jose dos Santos -  Colíder
 
Arion Silveira -  Nova Monte Verde
 
Emival Gomes de Freitas -  Porto Alegre do Norte
 
Prefeitos já reeleitos
 
Adair José Moreira – Alto Paraguai 
Mauricio Joel de Sá – Alto Taquari
 
Mauro Berft – Campo Novo dos Parecis
Dirceu Martins Comiran – Campos de Júlio
 
Luiz Henrique do Amaral – Cocalinho
 
Gaspar Domingos Lazari – Confresa
 
Juviano Lincoln – Diamantino
 
Nilson Francisco Alessio - Gaúcha do Norte
 
Raimundo Zanon -Itaúba
 
Valdecir Kemer – Jangada
 
Valdecir Luiz Colle – Juscimeira
 
Maria Manea da Cruz - Lambari D’Oeste
 
Neurilan Fraga – Nortelandia
 
Jamar da Silva Lima – Nova Brasilandia
 
Vicente Gerotto – Nova Canaã do Norte
 
Valmir Moretto – Nova Lacerda
 
Railda Fátima Alves – Nova Nazaré
 
Dorival Lorca - Nova Santa Helena
 
Gercino Caetano Rosa – Nova Xavantina
 
João  Antonio de Oliveira _ Novo Horizonte do Norte
 
José Hélio Ribeiro – Novo Mundo
 
Leonardo Faria Zampa – Novo São Joaquim
 
Vilson Pires – Paranatinga
 
Sinval Brito - Peixoto de Azevedo
 
Aparecido Marques - Ribeirãozinho  
 
Alessandro Nicoli - Santa Carmem




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil