Fotografo: Divulgação
...
Alvos de violência e discriminação, os migrantes que buscam oportunidades de trabalho em Cuiabá

 
Alvos de violência e discriminação, os migrantes que buscam oportunidades de trabalho em Cuiabá ainda encontram barreiras na língua e falta de assistência social. As dificuldades ficam mais graves quando os estrangeiros precisam de atenção médica, como é apontado no grupo de discussão sobre a situação do migrante na Capital.
 
Com apoio da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso (OAB-MT) e do grupo Cena Onze, a Secretaria Municipal de Assistência Social e Desenvolvimento Humano de Cuiabá (Smasdh) realiza, nesse sábado (25), o cadastramento dos migrantes que residem na Capital.
 
O cadastro será realizado em 10 pontos (citados abaixo) da Capital, apontados com maior concentração de migrantes, no período das 14h às 18h. Será necessário preencher o questionário que visa verificar os que estão trabalhando formal e informalmente, qual a renda, acesso à saúde, tipo de moradia, meios de transporte que utilizam, acesso à alimentação e, ainda, quantos conseguem falar e escrever em português.
 
Além da OAB-MT, o comitê é composto por várias entidades que incluem a Universidade Federal do Estado (UFMT), Defensoria Pública e secretarias da Prefeitura. O grupo tenta traças o perfil dessa população e chamar a atenção dos gestores para desenvolver ações que garantam a segurança pública e xenofobia sofrida por eles.
 
“O estranhamento ao estrangeiro é característica da humanidade, a forma que é diversa. Na nossa cultura é a violência. O fato de ser negro, ser associado a doenças, pessoas da população têm a ideia de que vieram para roubar os empregos”, descreve Reginaldo Araújo, membro do Comitê representando a Universidade Federal. O receio muitas vezes não se confirma, conta o professor. Os migrantes, em maioria, acabam aceitando subempregos com salários baixíssimos e trabalho pesado. “Quase sempre são empregos que brasileiros não aceitam”.
 
A ausência de atenção a esse grupo que visivelmente cresceu nos últimos anos tem levado um grupo de pesquisadores do curso de Saúde Coletiva, da UFMT, a resultados preocupantes. “Temos alertado o Estado para saber lidar com a xenofobia”.
 
Duckson Jaques é haitiano e mora em Cuiabá há mais de três anos. Poliglota, músico e intérprete ele tenta se manter na cidade e militar por melhorias das condições de migrantes. “Vim para procurar uma vida melhor, não foi por causa do terremoto, nem da Copa, eu nem pensava na Copa. Quando cheguei aqui, vi as que as coisas estavam difíceis e pensei que tínhamos que nos organizar”. Assim, surgiu a ONG Organização de suporte das atividades dos migrantes do Brasil (OSAMB), que tem desenvolvido trabalhos de acolhimento dos migrante.
 
Cadastramento
 
A ação foi definida após a reunião do vice-presidente da OAB-MT, Flávio Ferreira; do membro da Comissão de Cultura e Responsabilidade Social, Mário Olímpio e dos representantes da Organização de Suporte das Atividades dos Migrantes no Brasil (Osamb) com o secretário José Rodrigues Rocha Júnior, a fim de implementar medidas emergenciais para assistência dos migrantes em situação de vulnerabilidade.
 
De acordo com Flávio Ferreira, o cadastramento viabilizará o acesso dos migrantes às políticas públicas. “A Smasdh, tendo esses dados, poderá fazer a inclusão dessas pessoas no cadastro para que possam ter acesso à moradia, emprego, escola, alimentação, etc…”, completou.
 
“Com esse levantamento poderemos fazer uma gestão intersetorial com outras secretarias para dar encaminhamento às demandas necessárias, como educação e saúde, por exemplo. É uma ação muito importante e esperamos que todos eles compareçam nos locais onde estaremos”, explicou o secretário.
 
Confira os locais de cadastramento:
 
 
Museu Histórico – Praça da República, 131 – Centro
 
CRAS Pedregal – Rua Manaíra, S/N, Pedregal (Antigo Centro da Juventude).
 
Centro Comunitário do Jardim Leblon – Rua Militar, S/N, Jardim Leblon (Próximo ao Posto de Saúde).
 
EMEB Madre Marta Cerutti – Avenida Vereador Juliano da Costa Marques, S/N, Bela Vista.
 
CRAS Planalto – Rua Atlas, S/N, Planalto.
 
EMEB Profª Francisca Figueiredo de Arruda Martins – Rua I, S/N, Jardim Eldorado.
 
CRAS Pedra 90 – Avenida Nilton Rabello de Castro, S/N,  Pedra 90.
 
Centro Comunitário do Parque Cuiabá – Avenida 4, Parque Cuiabá (Em frente ao Batalhão da Polícia Militar).
 
EMEB Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon – Rua Piratininga, 101, Alvorada
 
EMEB Esmeralda de Campos Fontes – Rua Bolívia, nº 365, Santa Rosa II (Mesma rua do Posto de Saúde).