Fundada aos 14 de abril de 2006 pelo Jornalista Eraldo de Freitas - E-mails: redacao@sbcbrasil.com.br

Cidadão Repórter

(65)9966-5664
Várzea Grande(DF), Terça-Feira, 20 de Abril de 2021 - 19:22
04/03/2021 as 09:22:07 | Por JAD LARANJEIRA E ROBERTA PENHA | 284
Vistoria em Hospital Referência contra à Covid-19 constata aptidão de todos os leitos de UTI
A visita aconteceu na segunda-feira (1º) e teve o acompanhamento da secretária Municipal de Saúde, Ozenira Félix
Fotografo: Davi Valle
A visita aconteceu na segunda-feira (1º)

JAD LARANJEIRA E ROBERTA PENHA
 
A Secretaria Municipal de Saúde, Ozenira Félix, acompanhou na manhã de terça-feira (2), a vistoria realizada pela equipe técnica da Secretaria Estadual de Saúde (SMS), que revelou a aptidão dos 95 leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Referência contra à Covid-19 (antigo Pronto-Socorro).
 
“A visita foi excelente, o que eu pude observar é que foram pequenos detalhes que precisamos ajustar. Eu estava bastante preocupada achando que era muita coisa, no entanto, são pequenas adequações. O pessoal me mostrou ponto-a-ponto onde estão os problemas, que geralmente geram. Não está difícil, se nós contabilizarmos hoje, nós temos muitos leitos disponíveis, e a gente vai estar só otimizando, melhorando mais e trabalhando em conjunto com a supervisão do Estado”, disse Ozenira.
 
A unidade hospitalar dispõe de 80 leitos de UTI adulto e 15 pediátrico, sendo que 69 estão ocupados, porém nenhum leito bloqueado, de acordo com o boletim diário do Hospital Referência. Segundo a secretaria, a respeito dos leitos pactuados ocorre uma divergência de informação quanto às quantidades.
 
“Nós temos um problema na pactuação, que é o que temos mais leitos de UTI do que o pactuado. Em compensação nós temos menos leitos de enfermaria do que o pactuado. Na verdade na soma, nós temos mais, mas quando vemos os pactuados junto ao Tribunal de Contas do Estado, dá essa diferenciação. Eu vou estar procurando e mostrando para aos órgãos de controle o que está pactuado, e com o secretário de Saúde do Estado, Gilberto Figueiredo, para vermos se repactua ou que vamos fazer com isso”, explicou.




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil