Fundada aos 14 de abril de 2006 pelo Jornalista Eraldo de Freitas - E-mails: redacao@sbcbrasil.com.br

Cidadão Repórter

(65)9966-5664
Várzea Grande(DF), Terça-Feira, 20 de Abril de 2021 - 20:17
26/03/2021 as 12:03:45 | Por Ana Rosa Fagundes | 284
Vereadora Michelly cobra descentralização e drive-thru para vacinação
Michelly Alencar (DEM) solicitou que a Prefeitura de Cuiabá faça a descentralização da vacinação contra a Covid-19
Fotografo: Assessoria CMC
Vereadora Michelly Alencar (DEM)

A vereadora Michelly Alencar (DEM) solicitou que a Prefeitura de Cuiabá faça a descentralização da vacinação contra a Covid-19 e a abertura de um posto na modalidade drive-thru de forma imediata na Acrimat. Na sessão ordinária desta quinta-feira (25.03) a parlamentar voltou a cobrar organização e planejamento do Executivo com relação às ações de combate à pandemia.
 
Em articulação com a presidência do Sindicato Rural, a vereadora conseguiu a autorização para uso da Acrimat, que é de fácil acesso à população e tem espaço para formação de filas de carros.
 
Dando exemplos de outras capitais, Michelly comparou o processo de vacinação de Cuiabá com Campo Grande. Conforme a vereadora, na capital de Mato Grosso do Sul já são cerca de 84 mil pessoas vacinadas com a primeira dose, enquanto na capital mato-grossense são cerca de 35 mil.
 
Enquanto Cuiabá tem apenas um posto de vacinação no Centro de Eventos Pantanal, Campo Grande conta com 30 postos de vacinação nas unidades de saúde e mais um posto drive-thru.
 
“Dá para melhorar e dá para melhorar muito. Esse sistema atual está errado! Tem que descentralizar. Nos lugares em que há mais postos de vacinação, o processo está mais rápido. Em Cuiabá a população está encontrando burocracia e desorganização. Nós estamos apontando os problemas e sugerindo soluções, queremos ajudar a melhorar o atendimento aos cuiabanos”, disse a vereadora.
 
Conforme a vereadora, uma das justificativas da Secretaria de Saúde para a não instalação de postos de vacinação no carro é que os vacinados precisam ficar 15 minutos no local após a vacinação para caso aconteça alguma intercorrência.
 
No entanto, Michelly explicou que o protocolo do Ministério da Saúde preconiza que apenas pessoas com uma síndrome rara chamada Vasovagal precisam ficar em observação por 15 minutos após a administração da vacina. “Estão tornando regra uma coisa que é para ser exceção. Por que várias outras cidades do Brasil já adotaram esse sistema e nós não? Isso não pode ser desculpa”, cobrou a vereadora.
 
Ela também fez indicações para a abertura de postos de vacinação drive-thru por região, melhoria no site para o cadastro da vacina, já que a população tem encontrado muita dificuldade de acesso, e também a criação de um telefone 0800 para tirar dúvidas da população. 
 
Ana Rosa Fagundes / Assessoria de Comunicação Vereadora Michelly Alencar




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil