Fotografo: CPB
...
Um modo emocionante de se envolver

Lição 10
29 de agosto a 04 de setembro
 
Sábado à tarde
Ano Bíblico: Ez 4-7
 
VERSO PARA MEMORIZAR: “E, então, Se dirigiu a Seus discípulos: A seara, na verdade, é grande, mas os trabalhadores são poucos. Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a Sua seara” (Mt 9:37, 38).
 
LEITURAS DA SEMANA: Gn 1:1, 2, 26; Êx 18:21-25; 1Co 12:12-25; At 16:11-15, 40; 4:31; 12:12
 
Dizem que “a união faz a força”. Em certo sentido, isso é verdade. Você já reparou que nos motivamos muito mais a fazer exercício físico se estivermos com um grupo de pessoas do que se tivermos que nos exercitar sozinhos todos os dias? De maneira semelhante, Deus nos criou para a comunhão. Somos seres sociais e, assim como no exercício físico, acontece com muitas coisas na vida: fazemos melhor se tivermos um sistema de apoio. Isso é especialmente verdade em relação às questões espirituais.
 
Em toda a Bíblia, a comunidade e os pequenos grupos são destacados como um dos métodos de Deus para fortalecer nossa fé, aumentar nosso conhecimento de Sua palavra, aprofundar nossa vida de oração e nos habilitar a testemunhar. O Pai, o Filho e o Espírito Santo participam de uma liderança compartilhada e integrada para o ministério. Moisés aprendeu a compartilhar a liderança com líderes de grupos menores. Jesus estabeleceu um grupo pequeno de discípulos, e o apóstolo Paulo viajou pelo mundo romano com seu grupo de evangelistas.
 
No estudo desta semana, enfocaremos o fundamento bíblico para a vida em comunidade e liderança compartilhada, que se reflete nos pequenos grupos modernos. Você descobrirá um modo emocionante de se envolver.

Domingo, 30 de agosto
Ano Bíblico: Ez 8-10
Pequenos grupos: uma ideia divina
 
1. Leia Gênesis 1:1, 2, 26, Hebreus 1:1, 2 e Efésios 3:8, 9. Como esses versos revelam a unidade da Divindade?
 
O Pai, o Filho e o Espírito Santo participaram da criação. Cada um Deles teve tarefas diferentes, mas trabalharam em uma união indivisível. O Pai foi o Mestre Planejador, o Arquiteto. Ele executou Seus planos por meio de Jesus, o Agente da criação em harmonia com o
Espírito Santo. Um ato sobrenatural tão poderoso como esse está além da nossa compreensão. O que entendemos claramente não é apenas a realidade do mundo criado e do Universo, mas que o próprio Deus fez tudo isso (veja Rm 1:18-20).
 
Os pequenos grupos foram uma ideia divina. Embora devamos ter cuidado ao usar analogias em relação a aspectos misteriosos de Deus, façamos aqui uma comparação: o Pai, o Filho e o Espírito Santo formaram o primeiro grupo a atuar de modo integrado na história da salvação. Eles participaram da criação da humanidade e de sua redenção após a queda.
 
2. Compare João 10:17, 18 com Romanos 8:11 e 1 Coríntios 15:15. Como a ressurreição de Cristo demonstra a unidade do Pai, Filho e Espírito Santo no plano de salvação?
 
O Pai, o Filho e o Espírito Santo estão unidos em um “pequeno grupo” com o propósito expresso de redimir a humanidade. “O plano da salvação fez parte dos conselhos do Infinito desde a eternidade” (Ellen G. White, Fundamentos da Educação Cristã, p. 186). Não há nada mais importante para Deus que salvar o maior número possível de pessoas (1Tm 2:4; 2Pe 3:9).
Conforme estudaremos na lição desta semana, os pequenos grupos podem ter vários propósitos, mas seu objetivo principal é ganhar para Jesus pessoas perdidas. Isto é, ao trabalharmos em pequenos grupos, podemos ajudar não apenas a nós mesmos, mas também aos outros. Ou seja, o objetivo supremo dos pequenos grupos deve ser ganhar pessoas.

Segunda-feira, 31 de agosto
Ano Bíblico: Ez 11-13
Os pequenos grupos nas Escrituras
 
A Bíblia apresenta exemplos de organização comparáveis aos pequenos grupos modernos quanto à oração, comunhão, encorajamento e trabalho integrado. Isso dava ao povo de Deus a oportunidade de compartilhar responsabilidades e utilizar seus dons. Nos pequenos grupos o Senhor pode usar cada um de nós mais plenamente.
 
3. Leia Êxodo 18:21-25. Qual conselho de Jetro fez diferença significativa para Moisés? Assinale a alternativa correta:
 
A. ( ) Jetro aconselhou Moisés a abandonar o povo.
B. ( ) Ele aconselhou Moisés a distribuir a responsabilidade de julgar o povo.
 
Cada indivíduo no acampamento se tornou parte de um grupo de dez, liderado por um oficial piedoso. Esses pequenos grupos eram locais para a resolução de problemas, mas também eram lugares de comunhão, em que os problemas podiam ser evitados e a vida espiritual, nutrida. Eram lugares em que os planos de Deus para Israel podiam ser compartilhados. As pessoas formavam relacionamentos que as ajudavam a lidar com os problemas que enfrentavam. Como ocorre hoje, naquela época as pessoas lutavam com coisas em que outros poderiam ajudá-las. Os pequenos grupos oferecem oportunidades de comunhão acolhedora e atenciosa, de crescimento espiritual e de resolução de problemas.
 
Especialistas em pequenos grupos afirmam que o tamanho ideal para a interação em grupo é entre seis e doze pessoas. Esse foi o tamanho dos grupos de Moisés e Jesus.
 
4. Leia Lucas 6:12, 13, Mateus 10:1 e Marcos 3:13-15. Qual foi o duplo propósito de Jesus ao chamar os discípulos para o ministério de Seu pequeno grupo?
 
O propósito de Jesus em chamar os discípulos era prepará-los tanto espiritualmente quanto de maneira prática para a missão. Em comunhão com Cristo, eles cresceram em graça e aprenderam a ministrar com eficiência. Quando observavam Jesus ministrando às necessidades das pessoas, aprendiam como usar seus dons. O objetivo de Jesus era alimentar espiritualmente as pessoas e evangelizá-las.

 

Terça-feira, 01 de setembro
Ano Bíblico: Ez 14-17
Organizados para servir
 
5. Leia 1 Coríntios 12:12-25. De que modo o corpo ilustra o trabalho conjunto e harmonioso em pequenos grupos? Assinale a alternativa correta:
 
A. (  ) Os membros do corpo são independentes e não precisam dos outros.
B. (  ) Os membros do corpo são interdependentes e são importantes.
 
Paulo não apenas revelou a importância dos dons espirituais, mas sugeriu como podem ser organizados. Ele discutiu os dons espirituais no funcionamento do corpo de Cristo.
 
Um estudo de anatomia e fisiologia revela que os órgãos do corpo estão organizados em diferentes sistemas inter-relacionados. Por exemplo, os sistemas digestório, cardiovascular, respiratório e esquelético são apenas alguns dos sistemas de órgãos complexos do corpo. Os dons espirituais são como as diferentes partes do corpo. Eles funcionam melhor quando organizados em sistemas ou grupos. Na maioria dos casos, não podem ­funcionar sozinhos. Nosso corpo não é apenas um conjunto de órgãos separados que trabalham de modo independente. Cada função corporal é ­organizada em um sistema integrado que trabalha para um objetivo comum.
 
Isso revela algo sobre o ambiente em que podemos usar melhor nossos dons espirituais. É fácil desanimar ao trabalhar sozinhos, mas quando fazemos parte de um pequeno grupo, com pessoas de interesses e objetivos semelhantes, descobrimos que nossos esforços podem ter um foco muito maior e ser grandemente ampliados.
 
Os pequenos grupos proporcionam um ambiente para o exercício dos dons espirituais e podem ser o centro de evangelização de uma congregação.
 
Segundo Ellen G. White, “A formação de pequenos grupos como base de esforço cristão foi-me apresentada por Aquele que não pode errar. Se há na igreja grande número de membros, convém que se organizem em pequenos grupos a fim de trabalhar, não somente pelos membros da própria igreja, mas também pelos incrédulos. Se num lugar houver apenas dois ou três que conheçam a verdade, organizem-se num grupo de obreiros. Mantenham indissolúvel seu laço de união, apegando-se uns aos outros com amor e unidade, animando-se mutuamente para avançar, adquirindo cada qual ânimo e força com o auxílio dos outros” (Testemunhos Para a Igreja, v. 7, p. 21, 22).
 
Deus usa os pequenos grupos para habilitar os membros da igreja a crescer espiritualmente, a experimentar comunhão acolhedora e a utilizar seus dons no serviço.

Quarta-feira, 02 de setembro
Ano Bíblico: Ez 18-20
Os pequenos grupos do Novo Testamento
 
A igreja do Novo Testamento cresceu exponencialmente. Em poucos anos, ela passou de um pequeno grupo de fiéis para dezenas de milhares de fiéis. Muitos fatores contribuíram para esse influxo de cristãos e para esse fenômeno de rápido crescimento. O ministério de Jesus semeou a semente do evangelho e preparou as multidões para aceitar a pregação dos discípulos. Após a ascensão de Cristo, o Espírito Santo desceu no dia de Pentecostes sobre os discípulos em oração. Um dos fatores que contribuíram para o crescimento da igreja do Novo Testamento foi sua estrutura organizacional de pequenos grupos.
 
6. Leia Atos 18:1-5; 20:1-4. Por que Lucas listou alguns nomes daqueles com quem Paulo trabalhou de maneira próxima?
 
Em Atos é mencionado o nome de pessoas com quem Paulo trabalhou. Para ele, cada uma delas era importante. Ele as conhecia pelo nome. Elas se apoiavam mutuamente no ministério. Embora o número de pessoas mencionadas seja pequeno, isso mostra a importância de se trabalhar em colaboração com os outros, mesmo que sejam poucas pessoas.
 
Aquelas pessoas tinham diferentes dons. Elas vieram de distintas origens e culturas. Seu modo de ver as coisas nem sempre era o mesmo, mas cada uma delas tinha uma contribuição valiosa a dar à causa de Cristo. Sua diversidade de dons, origens e experiências contribuiu para o crescimento da igreja. Cada uma delas contribuía para a missão de Cristo a partir da riqueza de seu conhecimento pessoal de Jesus.
 
7. Compare Atos 16:11-15, 40 com 12:11, 12. Qual convite Lídia fez a Paulo após ser convertida? Para onde Paulo e Pedro foram depois de serem libertados da prisão? Assinale a alternativa correta:
 
A. (  ) Que fossem à sua casa. Os apóstolos foram para a casa de cristãos.
B. (  ) Que deixassem a sua cidade. Eles fugiram das autoridades.
 
Os cristãos do Novo Testamento se reuniam regularmente em casas. Os lares cristãos tornaram-se centros de influência e o coração do ministério de pequenos grupos.

Quinta-feira, 03 de setembro
Ano Bíblico: Ez 21-23
A dinâmica dos pequenos grupos
 
Os pequenos grupos são instrumentos de Deus para o crescimento da igreja e o desenvolvimento espiritual por meio de relacionamentos fraternais. Inicialmente, muitos se sentem mais à vontade em um pequeno grupo do que em um culto tradicional na igreja.
 
8. Leia Atos 4:31; 12:12; 20:17-19, 27-32. Liste os diferentes elementos desses grupos do Novo Testamento. Em quais atividades eles estavam envolvidos?
 
 
Os primeiros cristãos se reuniam para interceder pelos outros, orar por suas preocupações, ter comunhão acolhedora, estudar a Palavra de Deus, preparar-se para o serviço, ajudar a proteger uns aos outros contra falsos mestres e participar juntos de atividades evangelísticas.
 
Os pequenos grupos fazem a diferença. Os que unem seus dons no serviço, que se concentram no poder do Espírito para evangelizar, são uma arma nas mãos do Senhor.
 
9. De acordo com Jesus, qual é a solução para o problema da seara? Mt 9:37, 38
 
Os discípulos viram poucas possibilidades para o progresso do evangelho, mas Jesus viu muitas oportunidades. Ele compartilhou as boas-novas de que “a seara, na verdade, é grande”, mas apontou o problema: “os trabalhadores são poucos”. A solução é orar “ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a Sua seara” (Mt 9:38). Os pequenos grupos são uma resposta à oração de Cristo e aumentam exponencialmente o número de trabalhadores em Sua seara.
 
O foco de todo pequeno grupo eficaz é o testemunho e o serviço. O ministério de pequenos grupos logo desaparecerá se seu foco for interno e não externo. Se o pequeno grupo se tornar egoísta e pouco mais que uma reunião de discussão, falhará em seu propósito e perderá a razão vital de sua existência. Os pequenos grupos existem para levar as pessoas a Jesus, nutrir sua fé Nele e habilitá-las a testemunhar de Cristo.
 
Talvez Deus esteja chamando você para iniciar um pequeno grupo em sua casa. Por que não começar a orar sobre isso? Tenha uma experiência espiritualmente gratificante.

Sexta-feira, 04 de setembro
Ano Bíblico: Ez 24-26
Estudo adicional
 
Há muitos anos, uma pequena igreja europeia definiu que precisava fazer algo significativo para o Senhor, pois estava estagnada e ninguém era batizado havia muito tempo. O pastor e a comissão da igreja oraram e consideraram cuidadosamente o que poderiam fazer.
 
Ao estudar o Novo Testamento, eles decidiram estabelecer um ministério de pequenos grupos. Nove membros da congregação entenderam a ideia e se comprometeram a orar juntos e estudar como estabelecer esse trabalho de maneira eficaz. Decidiram fazer de seus lares centros evangelísticos. Aprenderam a exercitar seus dons de várias maneiras. Lançaram ministérios de oração e hospitalidade, desenvolveram amizade na comunidade e alcançaram por meio de atos de bondade os familiares, amigos e ex-adventistas. Os líderes dos pequenos grupos começaram os estudos bíblicos em nove casas, com quarenta convidados presentes. Eles ficaram impressionados com o que o Espírito Santo fez. Por fim, dezessete pessoas foram batizadas. O testemunho dessa igreja que era pequena e estagnada é que os pequenos grupos fazem uma enorme diferença. Eles são um dos meios de Deus para envolver os membros da igreja na missão.
 
Perguntas para consideração
 
1. Quais são os elementos essenciais do pequeno grupo? Em quais atividades um pequeno grupo pode se envolver? Como ele pode ajudar pessoas a usar seus dons?
 
2. Por que é tão importante que os pequenos grupos mantenham o foco na missão, embora possam nutrir e apoiar os membros da igreja? Por que um pequeno grupo deve sempre se manter ligado à igreja local? Isso é importante?
 
3. Você já ouviu falar de pequenos grupos que não funcionaram e acabaram morrendo? Por que isso acontece?
 
4. Por que trabalhar a partir do ambiente “mais seguro” dos lares, em lugar do edifício da igreja, pode ser um modo eficaz de evangelizar o bairro ou a comunidade?
 
Respostas e atividades da semana: 1. O Pai, o Filho e o Espírito Se envolveram na criação da Terra e na formação do homem. Os três seres da Trindade Se unem no propósito único de salvar. 2. Na ressurreição de Cristo, o Espírito agiu sob ordens do Pai. Toda a Trindade estava reunida não apenas na ressurreição de Cristo, mas desde a fundação do plano da redenção. 3. B. 4. Ele os chamou para cumprir a missão de pregar e para estar com Ele, edificando sua vida espiritual. 5. B. 6. Comente com a classe. Sugestão: Lucas queria mostrar que cada pessoa era importante para a edificação da igreja. 7. A. 8. Eles estavam sempre em oração, estudando a Palavra, visitando os outros em suas casas, pregando e anunciando o evangelho. 9. A seara é grande, mas os trabalhadores são poucos. Por isso, Jesus mandou que orássemos para que Deus enviasse mais trabalhadores para a seara.