Fotografo: DANILO FERNANDES/FRAMEPHOTO / Estadão Conteúdo
...
Presidente do Corinthians, Andrés Sanchez

Após a demissão de Fabio Carille, outros funcionários do Corinthians vêm se sentindo ameaçados pelas declarações de Andrés Sanchez. O presidente concedeu entrevista coletiva logo depois da goleada sofrida para o Flamengo por 4 a 1 e assegurou que poucas pessoas que atualmente integram o departamento de futebol irão permanecer no clube do Parque São Jorge. Ainda durante o domingo, o clima era de apreensão entre membros do departamento.
 
Por enquanto, apenas as saídas de Fabio Carille e seu auxiliar técnico, Leandro da Silva, o Cuca, estão confirmadas. No entanto, quando retornou ao Corinthians, o treinador trouxe para integrar sua equipe o preparador físico Walmir Cruz, o observador Mauro da Silva e o analista Dênis Lupp.
 
Conforme a Gazeta Esportiva apurou, a tendência é que Emerson Sheik, coordenador técnico do Corinthians, também seja desligado. Internamente, a avaliação sobre o ex-jogador corintiano é bastante negativa. Muitos entendem que ele não possui o perfil para o cargo que ocupa atualmente.
 
Vilson, gerente de futebol do Corinthians, também não possui seu emprego garantido. O ex-zagueiro, que se aposentou ao fim da última temporada, aos 30 anos, por conta de um problema de cartilagem no joelho, sequer concede entrevistas, ao contrário do que costumava fazer seu antecessor Alessandro, e é outro nome que pode acabar deixando o clube.
 
Para a partida contra o Fortaleza, na próxima quarta-feira, em Itaquera, Dyego Coelho, técnico do Sub-20, assumirá o comando do time profissional. Fabinho, auxiliar técnico fixo do clube, será seu braço direito nessa semana.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Gazeta Esportiva