Fotografo: Sílvio Túlio/G1
...
Suspeitos de matar comparsa por discordarem de partilha de dinheiro fruto de roubo, em Goiânia

Três homens foram presos suspeitos de matar um comparsa após desentendimento na partilha de dinheiro fruto de um roubo, em Goiânia. Segundo a Polícia Civil, após atirarem seis vezes na vítima, identificada como João Victor Martins de Melo, de 35 anos, o trio ainda a espancou e depois cravou um pedaço de pau em seu pescoço. Conforme a investigação, eles alegaram ter praticado o homicídio por que a vítima era “folgada”.
 
Foram presos José Adão Ribeiro de Oliveira, de 22 anos, Michael Douglas Rodrigues Batista, de 21, e Matheus Gonçalves Marques da Silva, de 18. Os dois primeiros confessaram o crime, sendo que Michael afirmou que matou porque a vítima “mereceu” e disse não estar arrependido. O mais jovem negou participação.
 
De acordo com a polícia, João Victor, conhecido como "Pit bull", chamou José Adão e Michael para roubar um carro, que seria revendido posteriormente. Matheus teria a função de buscar o trio depois que eles deixassem o veículo “esfriando”.
 
Para os dois, "Pit bull" ofereceu R$ 1 mil. Na segunda-feira, eles abordaram uma empresária na Região da Avenida 44, no Setor Norte Ferroviário, e roubaram o carro dela - um Prisma - além de 2,5 mil, um celular e um tablet. Porém, após o crime, João Victor mudou o acordo.
 
“Ele disse que só ia dar R$ 500 e depois, quando vendesse o carro, daria o restante. Além disso, se recusou a dividir o dinheiro e os eletrônicos conforme queriam os comparsas”, explicou o delegado Francisco Costa Júnior, responsável pelo caso.
 
Depois de deixar o carro no condomínio das Esmeraldas e, já no carro dirigido por Matheus, os homens teriam fugido. Em certo momento, na noite do mesmo dia, a vítima pediu para urinar. Foi quando a execução teria acontecido.
 
“Nesse momento, o José Adão descarregou o revólver, dando seis tiros na vítima, que caiu ainda com vida, agonizando. O Michael pegou um pedaço de pau de 50 centímetros e começou a bater violentamente na vítima, que ficou desfigurada. Ele deu várias estocadas no pescoço da vítima, sendo que o pau ficou cravado nele”, explica.
 
 
Confissão
 
O delegado disse que o José Adão e Michael confessaram o crime e ainda filmaram a execução. Segundo Costa Jr, fizeram o registro para “se gabar”.
 
O trio foi apresentado na DIH. José Adão confessou ter atirado na vítima. Ele alegou que a vítima queria fazer “safadagem” com eles.
 
“Ele queria levar o dinheiro só e aconteceu isso com ele. Foi mal para ele. Só desceu do carro e eu atirei nele”, contou.
 
Já Michael disse que realmente espancou o comparsa e que não está “nem um pouco arrependido”.
 
“Só foi isso. Bati nele, bati mesmo. Ele mereceu. Safado tem que morrer mesmo. Pronto. Não estou nem um pouco arrependido”, afirmou.
 
Já Matheus afirmou que não sabia que os outros dois homens cometeriam o homicídio.