Fotografo: Marcos Vergueiro
...
As entidades que integram o trade turístico de Mato Grosso se reuniram com o prefeito Emanuel Pinheiro

 
 
 
As entidades que integram o trade turístico de Mato Grosso se reuniram com o prefeito Emanuel Pinheiro ontem para discutir a política pública para o turismo na capital. Conforme o prefeito é preciso despertar o gigante do turismo que está adormecido através de ações conjuntas entre a iniciativa privada e o poder público. Segundo ele, a meta é promover uma política de desenvolvimento do turismo e criar meios para atrai mais visitantes, além de  oferecer mais pontos de lazer para a população. “Podemos construir juntos uma Cuiabá mais atrativa e preparar a cidade para a comemoração dos 300 anos”, observou. 
 
Pinheiro ressaltou vai criar a secretaria municipal de turismo e pasta será dirigida por pessoa capacitada nesta área. Segundo ele, não ter a secretaria é um desprestígio com o setor. “Não acredito no desenvolvimento do turismo sem a participação da iniciativa privada. Todo esforço é pouco, mas juntos podemos construir uma Cuiabá melhor para o turista e para as pessoas que aqui vivem. Sou um apaixonado pela minha cidade”, exclamou o prefeito.
 
 
Entre ações da prefeitura, ele adiantou que vai construir novas obras que valorizam os pontos turísticos pois a cidade não ficará de costas para o rio Cuiabá. Os projetos como a orla em São Gonçalo Beira Rio,  o morro da luz e as igrejas seculares, são projetos em andamento, alguns com recursos   do Ministério do Turismo. “Quero implantar aqui o museu de cera, além de atrair grandes eventos para a Capital. Nos feriados prolongados, vamos criar atrativos e oferecer descontos nas tarifas do transporte público. A prefeitura tem que ser o indutor do desenvolvimento da economia”, garantiu.
 
O presidente do Sindicato das Empresas de Turismo-Sindetur, Oiran Gutierrez entregou ao prefeito a Carta de Cuiabá, contendo uma série de reivindicações do setor. O documento foi elaborado pelos representantes de cada  entidade. Oiram frisou que se houver um conselho municipal deliberativo, as entidades poderão participar mais e o turismo avança. “Caso contrário, não vamos muito longe. Já estamos cansados de discursos sem ações práticas.  O trade tem de participar e decidir também sobre os projetos que visam o desenvolvimento do turismo na capital ”, assegurou.   
 
 
As entidades apontaram o crescimento da informalidade e o aumento da taxa de desemprego no setor.  Muitos hotéis, restaurantes e bares estão fechando as portas em Cuiabá devido a crise financeira. Claudia Aquino de Oliveira, que assessora as entidades na área jurídica chamou atenção para a criação do fundo municipal de turismo, o Conselho deliberativo e a reativação do Convention Bureau, entidade responsável pela captação dos eventos nacionais e internacionais.
 
Na sua avaliação do presidente do Conselho Nacional de Turismo-CNTurMT, Jaime Okamura, o poder público, a iniciativa privada e a população formam o tripé necessário para a sustentabilidade do turismo.  Ele argumentou que o setor vem lutando há muito tempo pelo desenvolvimento do turismo em todo o estado. “Temos um grande potencial turístico, mas não temos produtos formatados. Temos uma boa gastronomia e uma cultura forte e o nosso desafio é transformar os atrativos em produtos. São muitos projetos pela frente como a campanha Cuiabá Calorosa e outros que visam a comemoração dos 300 anos da Capital. Necessitamos desta parceria entre o poder público e a iniciativa privada para alavancar as ações”, salientou
 
 
Participaram da reunião os representantes da Associação Brasileira de Agências de Viagem, Sindicato dos Hoteis, Restaurantes, Bares e Similares, Abrasel, Locadoras de veículos, Sindicato dos Transportadores Aeroviários, Associação Brasileira  da Industria Hoteleira, organização de eventos e outras entidades representativas do turismo.