Fotografo: Divulgação
...
Temer também falou sobre a Reforma Trabalhista, defendendo que o Senado não altere o que foi aprovado na Câmara

 
 
 
O presidente Michel Temer confirmou que o governo pode aumentar a linha de corte para isenção do Imposto de Renda e voltou a defender que o Senado não altere a Reforma Trabalhista. O peemedebista conversou na manhã desta segunda-feira com jornalistas de rádios, em Brasília.
 
Questionado pela BandNews FM sobre a possibilidade de uma nova medida da chamada agenda positiva, como aconteceu com a liberação dos saques do FGTS, Temer disse que o assunto está em análise, mas garantiu que, "se possível", ela será adotada.
 
"Se você aumenta a faixa de isenção do IR, está permitindo que muita gente possa economizar no pagamento do tributo para investir, aplicar", resumiu.
 
O presidente adiantou que o governo já nota um crescimento nas compras no setor do varejo, fato que, na avaliação do Planalto, está atrelado a liberação das contas inativas do FGTS.
 
Temer também falou sobre a Reforma Trabalhista, defendendo que o Senado não altere o que foi aprovado na Câmara.
 
Segundo o peemedebista, o texto não retira direitos do trabalhador, apenas “flexibiliza” a CLT.
 
"É preciso que o governo examine se é ou não o caso de modificação. Se for, em comum acordo com o Congresso Nacional, editaríamos uma Medida Provisória. Mas, precisamos dar tempo para a discussão ampla que vai se fazer no Senado Federal", finalizou.