Fotografo: José Cruz/Agência Brasil
...
De acordo com o balanço divulgado pelo secretário, ao todo forame enviados 420 homens e 93 carros

O secretário nacional de Segurança Pública, Guilherme Theophilo, anunciou nesta terça-feira (5) a retirada dos homens da Força Nacional no Ceará. O Estado recebeu a ajuda de agentes nacionais no início de janeiro, data em que começaram os ataques feitos por facções criminosos em diversas cidades cearenses. Até o momento, 466 foram presos e Ceará registrou mais de um ataque por hora no início da crise de segurança.
 
De acordo com o balanço divulgado pelo secretário, ao todo forame enviados 420 homens e 93 carros, “trabalhando diuturnamente de forma integrada com a inteligência do Estado”, realizando, segundo ele, o patrulhamento das principais vias de circulação, segurança nas garagens dos ônibus públicos e auxiliando a Polícia Militar local.
 
A atuação da Força Nacional contribuiu para a “expressiva redução no número de ataques” que assustaram a população cearense. “Deixamos um legado muito grande em termos de material, doação de armamento, munições, coletes, além da integração da inteligência”, afirmou o Theophilo.
 
Com isso, a tendência agora, segundo o secretário, é diminuir progressivamente a presença da Força Nacional no Estado, já a partir dessa semana. “Por questões de segurança, não serão informados detalhes sobre o planejamento de desmobilização”, acrescentou.
 
Procurada, a SSPDS (Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social) disse que o apoio da Força Nacional foi solicitado, inicialmente, para o período de 30 dias. O governo do Estado solicitou, então, a prorrogação da permanência das equipes por mais um mês. “A secretaria esclarece que as tratativas para a prorrogação seguem em andamento”, finalizou. O órgão informou, no entanto, o número de ataques registrados até o momento.
 
Pará
 
O diretor da Força Nacional de Segurança Pública, coronel Aginaldo, disse que a partir da segunda quinzena de março, será mobilizado efetivo para atuar no Pará, a pedido do governador Helder Barbalho.
 
As ações ainda estão sendo estudadas em conjunto com a Polícia Militar do Estado e devem contar com 200 integrantes da Força Nacional na capital Belém.