Fotografo: CPB
...
“O sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado”

Lição 3
13 a 19 de julho
 
 
Sábado à tarde
Ano Bíblico: Pv 12-15
 
VERSO PARA MEMORIZAR: “O sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado” (Mc 2:27).
 
LEITURAS DA SEMANA: Êx 16:16-18; 20:8-11; Dt 5:12-15; Mt 12:9-13; Lv 25:1-7
Deus criou o sábado como o ato final da semana de criação. Dizem que Ele não apenas descansou no sétimo dia, mas criou o descanso como parte integrante do mundo. O sábado foi uma demonstração de que fomos criados para interagir com Deus e uns com os outros.
 
Portanto, não é surpresa constatar que o sábado, como um dos mandamentos no plano de Deus para Seu povo, aparece logo no início do estabelecimento da nova nação israelita. Ele devia ter uma função essencial na vida dos hebreus.
 
Muitas vezes, quando falamos sobre o sábado, a conversa logo muda para a maneira pela qual devemos guardá-lo, quais coisas não devemos fazer e coisas similares. Por mais importantes que sejam essas questões, precisamos compreender a função integral que o sábado foi planejado para desempenhar no mundo e na vida do povo de Deus como um símbolo da graça e de Sua provisão.
 
Como Jesus disse, o sábado foi criado para toda a humanidade. Quando realmente nos lembramos do sétimo dia, ele nos beneficia todos os dias da semana e, como Jesus demonstrou, ele também pode ser um meio para abençoar outras pessoas.
 

 

Domingo, 14 de julho
Ano Bíblico: Pv 16-19
Maná suficiente
 
 
Após gerações de escravidão e a degradação social que essa condição infligiu a Seu povo oprimido, Deus buscou elevar os recém-­libertados israelitas, apontando-lhes um estilo de vida melhor e dando-lhes leis para a melhor organização de sua nova sociedade. Porém, uma das primeiras partes desse processo veio na forma de uma lição prática e instrutiva.
 
Continuando durante todos os 40 anos de peregrinação do povo pelo deserto, esse ritmo de vida, evidência visível da provisão de Deus e do exercício de altruísmo, devia ter se tornado parte da cultura da sociedade israelita. Essa lição ocorreu na forma do maná, uma comida que aparecia no chão todas as manhãs ao redor do acampamento dos israelitas.
 
1. Leia Êxodo 16:16-18. Em sua opinião, qual é a importância da medida específica para cada pessoa, enfatizada nesses versos?
 
Em 2 Coríntios 8:10-15, Paulo fez referência a essa história como um exemplo de como os cristãos devem doar: “Neste tempo presente, a vossa abundância supra a falta dos outros, para que também a sua abundância supra a vossa falta, e haja igualdade” (v. 14, ARC).
 
A lição para os israelitas (e para nós) é esta: Deus concede o suficiente para Seu povo e para Suas criaturas. Se pegarmos apenas aquilo de que necessitamos e estivermos preparados para compartilhar o excedente com os outros, Deus cuidará de nós e nos proporcionará todas as coisas. Pegar apenas o maná suficiente para o dia exigia do povo a confiança de que haveria mais no dia seguinte. Pessoas oprimidas, como os escravos israelitas, tendem a se concentrar em sua sobrevivência; porém, Deus desejava mostrar a eles uma vida de confiança, generosidade e solidariedade.
 
Mas havia outra dimensão notável nessa prática. Todas as sextas-­feiras surgia no chão uma porção dupla de maná e, nesse dia – e somente nesse dia – as pessoas deviam recolher o maná extra, em preparação para o sábado. A provisão especial para o sábado se tornou um meio adicional para que o povo aprendesse a confiar no Senhor em todas as suas necessidades. Essa porção extra de maná, um ato de graça da parte de Deus, permitiu-lhes desfrutar ainda mais plenamente do descanso que Deus lhes prometeu no sábado.


Segunda-feira, 15 de julho
Ano Bíblico: Pv 20-24
Duas razões para o sábado
 
 
2. Leia Êxodo 20:8-11 e Deuteronômio 5:12-15. Como essas duas versões do quarto mandamento se complementam?
 
O ato de “lembrar” é uma parte importante do relacionamento que Deus busca restabelecer com Seu povo – um relacionamento centrado no fato de que Ele é nosso Criador e Redentor. Ambas as funções aparecem nas duas versões bíblicas, o quarto mandamento define o porquê, o como e quem está envolvido na lembrança do sábado.
 
Ao saírem de uma terra dominada por tantos deuses falsos, os israelitas precisavam ser lembrados da função do verdadeiro Deus como Criador. O sábado era uma forma crucial de fazer isso e se tornou ainda mais significativo no contexto do ciclo semanal de provisão extra de maná às sextas-feiras, um poderoso exemplo de Seu poder criativo. Deus, como Criador, é revelado mais claramente na versão do quarto mandamento apresentada em Êxodo 20.
 
Em contrapartida, o resgate, a redenção e a salvação do povo são o foco do quarto mandamento em Deuteronômio 5. Os israelitas deviam recontar regularmente essa história de salvação; eles poderiam se reconectar com ela especialmente a cada sábado. Sua história tratava, em primeiro lugar, de um resgate real e físico da escravidão no Egito; contudo, à medida que sua compreensão de Deus e da salvação se desenvolvesse, o sábado também se tornaria um símbolo e celebração semanal de sua salvação espiritual.
 
Ambas as motivações para a guarda do sábado tratavam da restauração do relacionamento entre Deus e Seu povo: “Também lhes dei os Meus sábados, para servirem de sinal entre Mim e eles, para que soubessem que Eu Sou o Senhor que os santifica” (Ez 20:12). E, como vimos, a questão nunca foi somente a respeito desse grupo de pessoas. Fundamentados nesse relacionamento, os israelitas deveriam estabelecer uma nova sociedade que fosse bondosa com estrangeiros e uma bênção para o restante do mundo.
 
“O Senhor, teu Deus, te tirou dali com mão poderosa e braço estendido; pelo que o Senhor, teu Deus, te ordenou que guardasses o dia de sábado” (Dt 5:15). Ao guardarmos o sábado como uma forma de lembrar e celebrar a nossa criação e redenção, podemos continuar crescendo em nosso relacionamento não apenas com o Senhor, mas com aqueles que nos rodeiam. Deus é bondoso conosco; portanto, devemos ser amáveis para com os outros.
 

 

Terça-feira, 16 de julho
Ano Bíblico: Pv 25-27
Um dia de igualdade
 
 
Uma leitura rápida dos Dez Mandamentos em Êxodo 20 e Deuteronômio 5 torna evidente que o quarto mandamento é o mais detalhado. Enquanto alguns mandamentos são registrados em apenas duas palavras em algumas versões bíblicas, o quarto mandamento define o porquê, o como e quem está envolvido na lembrança do sábado.
 
3. Leia Êxodo 20:8-11. O que o texto diz sobre os servos, estrangeiros e animais? O que isso significa? Assinale a alternativa correta:
 
A. (  ) Apenas nós devemos guardar o sábado.
 
B. (  ) Devem descansar, pois todos somos iguais.
 
Entre esses detalhes sobre o sábado, é notável o foco nas outras pessoas e criaturas. Sigve K. Tonstad argumentou que esse tipo de ordem é singular entre todas as culturas do mundo. O mandamento do sábado, explicou ele, “prioriza de baixo para cima e não de cima para baixo, considerando primeiramente os mais fracos e mais vulneráveis da sociedade. Os que mais necessitavam de descanso – o escravo, o estrangeiro e o animal de carga – foram mencionados de maneira especial. No descanso do sétimo dia, os desfavorecidos, e até os animais mudos, encontram um aliado” (The Lost Meaning of the Seventh Day [Michigan: Andrews University Press, 2009, p. 126, 127).
 
O mandamento tem um foco especial na recomendação de que o sábado seja desfrutado por todos. À luz do sábado, somos iguais. Se você é um empregador, não tem autoridade para fazer seus empregados trabalharem nesse dia, pois Deus também deu a eles o descanso. Se você é empregado – ou mesmo escravo – o sábado será um lembrete de que foi igualmente criado e redimido por Deus e Ele o convida a celebrar esse fato de maneira diferente das suas obrigações habituais. Mesmo os estrangeiros que residem entre o povo guardador do sábado, “os estrangeiros que morarem em tuas cidades” (Êx 20:10; NVI), devem se beneficiar do sábado.
 
Essa ideia representa uma notável mudança de perspectiva para os israelitas, que haviam acabado de sair da escravidão e marginalização. Ao se estabelecerem na nova terra, Deus não desejava que eles adotassem os hábitos de seus antigos opressores. Além de lhes conceder leis detalhadas para sua sociedade, o Senhor concedeu a eles (e a nós), de uma forma poderosa, um lembrete semanal de que todos somos iguais diante de Deus.
 

 

Quarta-feira, 17 de julho
Ano Bíblico: Pv 28-31
Um dia de cura
 
 
Embora a visão original do sábado e de sua observância seja ampla e inclusiva, o sábado se tornou algo bem diferente para muitos líderes religiosos na época em que Jesus veio à Terra. Em vez de um dia de liberdade e igualdade, o sábado se tornou um dia de restrições e regras humanas e tradicionais. Em Seus dias, Jesus Se opôs a essas atitudes, especialmente quando elas eram impostas aos outros.
 
É interessante que Ele tenha feito isso de maneira mais significativa ao realizar diversas curas no sábado. Parece que Jesus realizou milagres intencionalmente nesse dia, e não em qualquer outro, para demonstrar algo importante sobre o que o sábado deveria ser. Muitas vezes Jesus comentou que a cura nesse dia era apropriada, e os fariseus usavam Suas declarações como desculpa para promover conspirações para matá-Lo.
 
4. Leia as histórias sobre as curas de Jesus no sábado. Quais são as coisas mais significativas nesses relatos? Mt 12:9-13; Mc 1:21-26; 3:1-6; Jo 9:1-16
 
Jesus confirmou que o sábado é importante. Precisamos mantê-lo especial e permitir que esse tempo semanal seja uma oportunidade para crescermos em nosso relacionamento com Deus, com nossa família, igreja e comunidade. Mas a guarda do sábado não deve estar relacionada apenas com nossos interesses egoístas. Como Jesus disse: “É lícito, nos sábados, fazer o bem” (Mt 12:12).
 
Muitos membros da igreja fazem um bom trabalho em cuidar das outras pessoas. Mas também sentimos que devemos fazer mais para ajudar. Sabemos que Deus Se importa com os sofredores, oprimidos e abandonados e que devemos nos importar também. Visto que somos ordenados a não exercer nosso trabalho regular e ficamos livres das pressões da semana, no sábado temos tempo para nos concentrar nas outras pessoas como uma das formas de guardar esse dia de modo verdadeiro e ativo: “De acordo com o quarto mandamento, o sábado foi dedicado ao repouso e ao culto religioso. Toda atividade secular devia ser suspensa, mas as obras de misericórdia e beneficência estavam em harmonia com o propósito do Senhor. [...] Aliviar os aflitos e confortar os tristes é um trabalho de amor que presta honra ao dia de Deus” (Ellen G. White, Beneficência Social, p. 77).
 

 

Quinta-feira, 18 de julho
Ano Bíblico: Ec 1-4
Descanso sabático para a terra
 
 
Como vimos, o sábado era uma parte enraizada no ciclo da vida da nação israelita. Mas o princípio do sábado não se referia apenas a um dia a cada semana. Ele também incluía um descanso especial em todo sétimo ano, culminando no ano do jubileu após sete séries de sete anos, ou seja, a cada 50 anos.
 
5. Leia Levítico 25:1-7. O que é marcante nessa instrução? De que maneiras você pode incorporar esse princípio em sua vida e trabalho?
 
O ano sabático permitia que a terra agrícola permanecesse em repouso durante o ano. É um extraordinário ato de administração do solo, e a sabedoria dessa prática agrícola tem sido amplamente reconhecida.
 
O sétimo ano também era importante para os escravos (veja Êx 21:1-11). No caso de um israelita ficar tão endividado a ponto de se vender como escravo, ele seria libertado no sétimo ano. Da mesma forma, as dívidas pendentes deveriam ser canceladas no final do sétimo ano (veja Dt 15:1-11).
 
Como ocorria no tempo do maná concedido por Deus aos israelitas no deserto, o fato de não plantar durante um período era um ato de confiança de que Deus proveria o suficiente no ano anterior e a partir daquilo que a terra produzisse por si mesma no ano sabático. Semelhantemente, libertar escravos e cancelar dívidas era um ato de misericórdia, mas também um ato de confiança no poder de Deus para suprir as necessidades deles. De certa maneira, as pessoas necessitavam descobrir que não precisavam oprimir os outros para se sustentarem.
 
Os princípios e o modelo do sábado deveriam estar intimamente ligados à estrutura da sociedade israelita como um todo. Semelhantemente, a guarda do sábado contemporânea deve ser uma disciplina espiritual que transforme todos os nossos outros dias. Em sentido prático, o sábado é uma forma de viver as instruções de Jesus de buscar primeiramente 
“o Seu reino e a Sua justiça”. Ele disse: “Vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas” essas coisas, e elas “vos serão acrescentadas” (Mt 6:32, 33).

Sexta-feira, 19 de julho
Ano Bíblico:
Estudo adicional
 
 
Textos de Ellen G. White: Patriarcas e Profetas, p. 295-297 (“Do Mar Vermelho ao Sinai”); O Desejado de Todas as Nações, p. 281-289 (“O Sábado”); texto de Sigve K. Tonstad: The Lost Meaning of the Seventh Day [O Significado Perdido do Sábado], p. 125-143 (“The Social Conscience of the Seventh Day [A Consciência Social do Sétimo Dia]).
 
“Jesus lhe asseverou que a obra de aliviar os aflitos estava em harmonia com a lei do sábado. Estava em harmonia com os anjos de Deus que estão sempre descendo e subindo entre o Céu e a Terra para servir à humanidade sofredora. [...]
 
“E o homem também tem nesse dia uma obra a realizar. Devem-se atender às necessidades da vida, cuidar dos doentes, suprir as faltas dos necessitados. Não será tido por inocente o que negligenciar aliviar o sofrimento no sábado. O santo dia de repouso de Deus foi feito para o homem, e os atos de misericórdia se acham em perfeita harmonia com seu desígnio. Deus não deseja que Suas criaturas sofram uma hora de dor que possa ser aliviada no sábado ou noutro dia qualquer” (Ellen G. White, 
O Desejado de Todas as Nações, p. 206, 207).
 
Perguntas para discussão
 
1. De que maneira você tem vivenciado o sábado como demonstração de confiança em Deus? Você já teve uma experiência como a do maná, em que Deus providenciou o sustento em resposta à sua fé?
 
2. No quarto mandamento (Êx 20:8-11; Dt 5:12-15), Deus enfatizou diferentes aspectos do sábado. Qual deles você mais aprecia?
 
3. Como podemos compartilhar as bênçãos do sábado com nossa comunidade?
 
4. Em que área de sua vida os padrões e princípios do sábado deveriam ter um impacto maior?
 
Resumo: Deus concedeu o sábado como uma lembrança da criação e da redenção, mas ele também nos ensina a confiar na provisão de Deus e a promover a igualdade; e pode se tornar uma disciplina espiritual capaz de transformar todos os nossos relacionamentos. Jesus demonstrou Seu ideal para o sábado tornando-o um dia para beneficiar os necessitados.
 
Respostas e atividades da semana:
 
1. Não devemos acumular mais do que precisamos para as nossas necessidades, mas trabalhar para colher as bênçãos que Deus providencia para nós. Devemos repartir com os que não têm.
 
2. Em Êxodo 20:8-11, Deus pede que o povo se lembre do sábado como uma referência ao ato da criação; em Deuteronômio 5:12-15, o Senhor instrui o povo a guardar o sábado como um memorial da redenção e libertação da escravidão do Egito.
 
3. B.
 
4. Essas histórias mostram que o sábado é o tempo de promover o descanso para o corpo e a alma.
 
5. A terra também deve receber o descanso sabático.