...
Fotografias por: Reprodução redes sociais | Legenda Foto: Familiares encontraram Moraes

 
 
 
Eduardo Gomes Moraes, uma das seis pessoas surpreendidas por uma tromba d'água enquanto faziam rapel numa cachoeira em São João Batista do Glória, no Sul de Minas Gerais, está vivo — o único sobrevivente. 
 
Todos os corpos já foram resgatados do local pelo Corpo de Bombeiros. Os militares precisaram usar um helicóptero, pois a região é de difícil acesso.
 
Trata-se de uma cascata numa área privada, onde uma placa proíbe a entrada de estranhos. Muitos banhistas, como o grupo de amigos que praticavam rapel, ignoram o aviso.
 
A vitória de Moraes contra a tromba d'água, causada por um temporal que aumentou o nível do rio em poucos minutos, está sendo bastante comemorada por amigos e parentes.
 
Mas dúvidas precisam ser respondidas. Num primeiro momento, a preocupação das autoridades que apuram o caso é com a saúde do sobrevivente.
 
Por isso, ele foi encaminhado a uma unidade de saúde da cidade de Passos, também no Sul de Minas Gerais, onde mora.
 
Passos está a cerca de 15 quilômetros de São João Batista do Glória, onde Moraes e amigos foram praticar rapel.
 
Segundo o Corpo de Bombeiros, Moraes teria se agarrado a uma pedra durante o temporal. Após conseguir vencer a correnteza, o sobrevivente teria se embrenhado na mata. Passou a noite de sábado, o domingo e a segunda-feira na área rural.
 
Nesta terça-feira, conseguiu chegar a uma fazenda, onde pediu socorro.
 
Conforme o coronel Giuvane Barbosa de Morais, responsável pelos trabalhos de buscas, a família teria contado à corporação que buscou Moraes neste imóvel rural, após receber um telefonema dos proprietários. Ele teria apenas escoriações, mas estava bastante fraco.
 
Leonardo, irmão de Moraes, comemorou a boa notícia numa rede social: "Obrigado, meu Deus. Graças a Deus meu irmão tá vivo. Acabou de chegar em casa".
 
A história, entretanto, ainda tem lacunas. Os bombeiros querem saber, por exemplo, como um parente de Moraes acompanhou as buscas dos militares, nesta terça-feira, no mesmo horário, supostamente, em que outros familiares foram ao encontro do sobrevivente na fazenda.
 
De qualquer maneira, a noite será de alívio para a família Moraes, que, desde sábado, sofria com a falta de informação do praticante de rapel. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
(Fonte: R7)