Fotografo: Da Assessoria
...
Prefeito Emanuel Pinheiro

Por meio do decreto de nº 7.980 sancionado pelo prefeito Emanuel Pinheiro, da última sexta-feira (03), fica estabelecido a implementação de barreiras sanitárias no município de Cuiabá, no combate a pandemia do novo Coronavírus. A Secretaria Municipal de Saúde por meio da Coordenadoria de Vigilância Sanitária será a responsável por elaborar o projeto. A barreira sanitária poderá ocorrer na cidade inteira, em um bairro só ou algumas regiões da capital. “Essa divisão é técnica, obedece a protocolos sanitários e epidemiológicos. Esses números vão ser concluídos nesse final de semana e vão servir de base para que eu possa editar o decreto de quais as regiões terão que obedecer a quarentena coletiva obrigatória”, afirma Pinheiro. O prazo estabelecido para entrega da nova proposta ao Comitê de Enfrentamento ao novo Coronavírus é até terça-feira (07).
 
O novo documento cumpre com uma das finalidades previstas no ato da suspensão do decreto nº 7.975, assinado pelo chefe do Executivo Municipal na última quinta-feira, que revoga a realização de rodízios no tráfego de veículos automotores e limitação, por CPF, nos atendimentos presenciais realizados por bancos, lotéricas, supermercados e distribuidoras de bebidas.
 
"Não se combate a pandemia por decreto, pontuou Pinheiro. Combate-se a pandemia com gestos, com ações e, principalmente, com a participação de todos! Porque estamos todos no mesmo barco. Mato Grosso virou epicentro da Covid-19 no país. Os números crescem assustadoramente no interior. E Cuiabá é a capital do Estado, a cidade mais populosa. Vai ser impactada com relação a isso. Por isso temos que continuar fazendo o nosso dever de casa, combater os principais focos de aglomeração e também diminuir a circulação pela cidade, especialmente no centro de Cuiabá. “Durante a semana, estabelecerei essas ou outras medidas que possam conter a circulação pela cidade e a aglomeração em vários estabelecimentos e em vários pontos de Cuiabá”, concluiu o prefeito.
 
 
Clique no arquivo em anexo e veja o decreto na íntegra: