Fotografo: Lenine Martins
...
Foram entregues 80 medalhas

 
 
 
Todos os dias cerca de 3 mil policiais civis escrevem um pedaço valioso da história da Polícia Judiciária Civil em defesa da população mato-grossense. Foi para estes policiais que a Polícia Civil entregou, na tarde de quarta-feira (26), Medalhas do Mérito Policial, em celebração ao aniversário de 176 anos de criação no Estado de Mato Grosso. A cerimônia foi realizada na Academia da Polícia, em Cuiabá. 
 
Na data comemorativa, a instituição também prestou homenagens a autoridades da Segurança, do Judiciário, Ministério Público, empresários, bancário e liderança comunitária, que, dentro de sua atuação, contribuíram com melhorias em âmbito estrutural, técnico e investigativo, possibilitando o fortalecimento institucional.
 
Foram entregues 80 medalhas, sendo 59 Medalhas do Mérito Policial destinadas a policiais civis que completaram 10, 20 e 30 anos de serviço policial; 10 Medalhas do Mérito Especial para policiais civis que se destacaram no exercício da atividade; e 11 Medalhas de Serviços Relevantes, para pessoas que contribuíram com o crescimento da instituição, como: o ex-vice-governador, Carlos Henrique Baqueta Fávaro; a Desembargadora do Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso, Maria Erotides Kneip Baranjak; Juíza de Direito aposentada, Selma Rosane de Arruda; a Promotora de Justiça,  Ana Cristina Bardusco; o Comandante Geral da Polícia Militar, coronel Marcos Vieira da Cunha; Servidor Aposentado da Área de Apoio e Desenvolvimento Econômico e Social da PJC, Gonçalo Josué do Nascimento;  o Gerente de Segurança do Grupo Bom Futuro em Cuiabá Everaldo César Basquera; o Responsável pela empresa Brinks Segurança e Transporte de Valores LTDA em Cuiabá, Pedro Juarez Vieira; Responsável pela empresa Tag Carretas LTDA em Cuiabá, Vitor Arley Tag; o Presidente do Conselho Municipal de Segurança Pública do Município de Sorriso, Sebastião Ferreira de Andrade;  Mauro Alves da Silva Junior, Superintendente do Banco do Brasil S/A no Estado de Mato Grosso.
 
Um dos momentos emocionante da cerimônia foi a homenagem prestada ao investigador Sidney Santos, que foi baleado durante as diligências do sequestro de uma empresária na capital, ocorrido em 17 de novembro de 2017.
 
Em cadeira de roda, o policial que ainda passa por tratamento, sob aplausos recebeu a medalha das mãos dos secretário de Segurança Pública, Gustavo Garcia, acompanhado do delegado geral da Polícia Civil, Fernando Vasco Spinelli Pigozzi, e vários colegas policiais da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos (Derrfva). "Foi uma ação muito importante para o estado, onde uma pessoa estava sofrendo na mãos de criminosos e aquele dia uma ação integrada entre a Polícia Civil, Polícia Militar, Ciopaer conseguimos resolver uma problema que muito nos abalou", disse Garcia.
 
"Parabenizo a todos que foram agraciados com essas medalhas de reconhecimento e tenho certeza que a Polícia Civil de fato reconhecem o empenho dos senhores ao longo dos anos, o quanto contribuíram para a sociedade e para a Polícia Civil", completou o secretário Gustavo Garcia.
 
O delegado geral da Polícia Civil, Fernando Vasco, enalteceu a importância de cada servidor homenageado e tantos outros que da ativa e que já se aposentou e não receberam as medalhas por tempo de serviço. "Quero parabenizar todos os policiais, delegados, investigadores e escrivães, pessoas que de forma brilhante demonstram o comprometimento que têm com a instituição. Também que enaltecer o apoio dos sindicatos, que sem eles a Polícia Civil não conseguiria obter os resultados. No ano passado perdemos mais de 100 servidores que se aposentaram (16 delegados, 80 investigadores e 20 investigadores) e fazem muita falta. Mas os servidores que lutam diariamente nas fileiras da Polícia Civil são dignos de orgulhos", afirmou.
 
Homenageado com a Medalha de Mérito Policial, categoria Ouro, o investigador de polícia Seleiman Selestino da Silva, veio de Juruena (880 km a Noroeste), para receber a outorga pelos 30 anos de Polícia Civil. Ele que também é vereador na cidade contou que iniciou sua carreira em 1986, em São Félix do Araguaia. Passou por Barra do Garças, em 1996, trabalhou em 7 anos na localidade e em 2005 foi para a Regional de Juína, onde desempenhou atividades em Colniza e atualmente em Juruena, onde exercer  o segundo mandato de vereador, cuja a atividade é compatível com a função policial. "Hoje polícia está mais evoluída, com mais condições de trabalho. E essa medalha é motivo de muita alegria, a gente vê que nosso trabalho está sendo reconhecido. Para mim é maravilhoso receber essa medalha, em orgulho muito", agradeceu.
 
O delegado Marcos Aurélio Veloso e Silva, que também é vereador por Cuiabá, recebeu a Medalha de Mérito Policial, categoria Prata, por ter prestado mais de 25 anos de trabalho a Polícia Civil. "Não tínhamos viatura, tínhamos somente a vontade de entrar no mato e fazer nosso papel,  mas a integração, a dedicação dos nossos policiais trouxeram a nossa instituição Polícia Judiciária Civil, com firmeza, garra e dedicação a esta dada, onde comemoramos 176 anos", disse.
 
A escrivã Maria Eudes Carvalho Venturin, lotada na Central de Flagrantes de Várzea Grande, também recebeu medalha de prata. Ele contou um pouquinho de sua história. "Entrei na Polícia Civil 43 anos, porque precisa de um salário para sustentar meus filhos que ainda eram menores. Prometi a mim e ao Estado, se conseguisse passar eu daria o melhor. E até hoje estou dando. Estou hoje com 68 anos de idade.