Fotografo: Reprodução/Sinpcresp
...
Carta falta recebida por peritos aposentados

Peritos criminais aposentados procuraram o sindicato da categoria para avisar que estavam recebendo cartas supostamente enviadas pelo Cartório de Precatório de São Paulo, indicando um número telefônico para entrar em contato. Na ligação, os idosos seriam induzidos a contratar um escritório para receberem certo valor, mas, na verdade, trata-se de um golpe.
 
Assim que o documento falso chegou em posse do Sinpcresp (Sindicato dos Peritos Criminais do Estado de São Paulo), advogados constataram que se tratava de uma tentativa de golpe, já que o número do processo indicado na carta não existe.
 
A carta informava sobre uma liberação de um valor superior a 20 salários mínimos para beneficiários acima de 60 anos. O falso documento pedia para que os peritos aposentados entrassem em contato para terem mais informações sovbre um benefício que seria concedido após sentença definitiva de uma ação coletiva civil pública.
 
Segundo o perito criminal Eduardo Becker, presidente do Sinpcresp, esse tipo de golpe é recorrente com servidores públicos porque todos os dados são divulgados no diário oficial. Uma forma de contribuir para resolver esse problema “é ter um controle maior por parte dos órgãos, tanto público como privado, na proteção dos dados das pessoas”, afirma Becker.
 
Desde que tomou conhecimento desse possível golpe, o presidente do Sinpcresp afirma que a orientação é que as possíveis vítimas entrem em contato com a entidade de classe imediatamente, sobretudo porque “os golpistas costumam ser muito convincentes, e pedem pagamento antecipado de algum valor”.