Fotografo: Assessoria
...
Governador Mauro Mendes em reunião do Consórcio Brasil Central

O Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central, da qual Mato Grosso faz parte, assinou um memorando de entendimento com o Escritório das Nações Unidas de Serviços para Projetos (Unops). O objetivo é a compara compartilhada de medicamentos e equipamentos na área da saúde.
 
O documento foi assinado nesta quarta-feira (07.08), em Brasília, e todos os preparativos para a primeira compra via consórcio já estão em fase adiantada de execução. O valor será proporcional ao quantitativo e necessidade de cada estado e o pagamento será a vista.
 
Nos próximos 15 dias o consórcio já terá uma lista fechada com os medicamentos que serão adquiridos. Participam da compra, além de Mato Grosso, os  governos de Mato Grosso do Sul, Goiás, Tocantins, Distrito Federal , Maranhão e Rondônia.
 
“O grande objetivo desse trabalho é somarmos esforços, melhorar a competitividade interna de cada um e com isso produzir resultados que possam ser bom para todos os Estados. Comprando em quantidade temos a convicção que vamos reduzir custo e garantir a disponibilidade em tempo real nas nossas unidades de saúde para que o cidadão, que precisa do Sistema Único de Saúde, possa ser atendido nesse quesito medicamento”, destacou o governador Mauro Mendes.
 
Ainda segundo Mauro Mendes, a compra se dará por cada estado, de forma conjunta, no volume que cada estado necessita, “garantindo assim sua disponibilidade”, e principalmente, a um valor bem abaixo, barateando o custo. “O principal é que vamos trabalhar com planejamento e com responsabilidade com o dinheiro público”, ressaltou.
 
“Comprando conjuntamente, a gente espera baratear o custo. Vamos ter condições de ter um valor menor. Planejando a compra, vamos ter um ganho de escala porque vamos comprar todos os estados conjuntamente e a Unops tem uma experiência nisso. Ela é um braço da ONU que organiza as questões de saúde. Não é só medicamento. Nós podemos comprar equipamentos”, afirmou o governador do Mato grosso do Sul Reinaldo Azambuja, presidente do consórcio.
 
Azambuja também explicou que a compra não será restrita a medicamentos e que os estados já se preparam para fazer a primeira aquisição, com pagamento à vista, usando recursos dos Tesouros estaduais.
 
“Nós podemos comprar próteses. Vamos fazer a primeira experiência. Dentro de 15 dias já temos a lista toda fechada dos medicamentos e os valores. E aí vamos publicar o chamamento, o edital, que vai nortear a compra via consórcio e o consórcio vai ratear essa compra com os estados no quantitativo que cada um dos estados escolheu e a Secretaria de Saúde identificou como quantidade”, declarou Reinaldo Azambuja.
 
Entenda a parceria
 
A parceria com o organismo das Nações Unidas tem como objetivo apoiar a realização de contratos públicos mais eficientes, nas compras. Além disso, a Unops atua diretamente no combate à corrupção na América Latina.
 
No Brasil, o Unops trabalha desde 2012, com outras agências da ONU, organismos financeiros internacionais e governos federal, estaduais e municipais. Ele é especialista em apoiar os governos na realização de contratos públicos mais eficientes graças a métodos transparentes e eficazes, que geram benefícios para a sociedade. Isso inclui soluções para combater a fraude e a corrupção, aumentando assim a competitividade e a eficiência.