Fotografo: TVCA/Reprodução
...
Prefeitura de Chapada dos Guimarães, Thelma de Oliveira (PSDB)

O Ministério Público Estadual (MPE) abriu um inquérito civil contra o ex-secretário de Finanças de Chapada dos Guimarães, Hermes Eduardo de Souza e Silva, e o ex-funcionário da empresa CMF Empreendimentos ME, Diogo Pimenta de Siqueira.
 
O caso refere-se a uma suposta tentativa de chantagem contra a prefeita Thelma Oliveira (PSDB). 
 
O procedimento foi aberto pelo promotor de Justiça Leandro Volochko nesta segunda-feira (10).
 
De acordo com o promotor, o inquérito tem como base uma notícia de fato encaminhada pela prefeita, pelo procurador-geral do Município, Renato de Almeida Orro Ribeiro e pelo próprio então secretário de Finanças, Hermes Silva, denunciando que Diogo Siqueira estaria tentando chantagear a Prefeitura para tentar obter pagamentos relativos a obras em realização e/ou evitar punição administrativa.
 
O promotor, no entanto, não detalha de que forma foi feita esta suposta chantagem.
 
Na notícia de fato, conforme Volochko foi anexado um áudio de uma conversa gravada entre Hermes e Diogo, que seria utilizado para possível abertura de investigação pela Câmara de Vereadores numa tentativa de afastar a prefeita.
 
Para o promotor,  o conteúdo do áudio, no entanto, levantou suspeita também sobre Hermes no caso. 
 
“Muito embora a NF [notícia de fato] seja no sentido de convencer o Ministério Público sobre a existência de uma possível chantagem em curso contra a Prefeita de Chapada dos Guimarães, chama a atenção o áudio para o comportamento pouco ortodoxo/republicano do então secretário municipal de finanças, sr. Hermes, no sentido de ajudar e orientar o funcionário da empresa contratada para realizar obras públicas a não tomar prejuízo” afirmou Volochko  .
 
“Entendo que o diálogo travado inspira suspeitas de possível manipulação em planilhas das obras para, justamente, evitar-se eventual prejuízo da empresa CMF Empreendimentos ME relativo ao contrato n. 055/2018”, acrescentou o promotor.
 
Não há prazo para o fim da investigação. (Thaiza Assunção, MidiaJur)