Fundada aos 14 de abril de 2006 pelo Jornalista Eraldo de Freitas - E-mails: redacao@sbcbrasil.com.br

Cidadão Repórter

(65)9966-5664
Várzea Grande(DF), Terça-Feira, 20 de Abril de 2021 - 19:54
07/04/2021 as 08:07:59 | Por Assessoria | 133
Max Russi quer rapidez no processo de pensão de militares vítimas de Covid
Sindicatos alegam processo muito burocrático
Fotografo: FABLICIO RODRIGUES / ALMT
O deputado Max Russi (PSB)

Sindicatos alegam processo muito burocrático e precisam ajudar famílias, que passam por dificuldades por demora no recebimento do auxílio.
 
Conforme representantes de sindicatos dos profissionais da segurança pública de Mato Grosso, entraves burocráticos estariam dificultando a liberação de auxilio pensão a dependentes de vítimas da Covid-19.
 
A informação tem preocupado o presidente da Assembleia Legislativa, o deputado Max Russi (PSB), que apresentou o problema ao governador Mauro Mendes em encontro durante a manhã desta segunda-feira (05), no Paiaguás. “Precisamos buscar uma solução”, defendeu.
 
Um dos pontos colocados em questão por Russi é a dependência econômica de familiares que não possuam outra renda. Esse teria sido um dos principais fatores alegados pela categoria, em documento encaminhado ao parlamentar e ao Executivo Estadual.
 
“Os sindicatos tem recebido vários pedidos de ajuda dessas famílias. Nós precisamos dar uma analisada, ver se é possível a gente fazer algum encaminhamento. Tem muitas pessoas, que infelizmente estão nos deixando e ficam os filhos”, alega Max Russi.
 
O benefício previdenciário concedido aos dependentes de servidor falecido é previsto nos dispositivos Lei Complementar n° 555/2014, conforme o MT-Prev. No entanto, parte da documentação solicitada ao familiar leva longo tempo para uma apuração, como por exemplo a vida funcional atualizada do ex-servidor.
 
“Tem famílias que demoram até 90 dias para começarem a receber o benefício. Enquanto isso as contas chegam e muitos já passam por dificuldades. É preciso desburocratizar”, defende Max.
 
A reunião entre o governador Mauro Mendes foi articulada pelo presidente da Casa de Leis, a pedido da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa. Após as tratativas, o Governo do Estado garantiu a vacinação, contra a Covid-19, de 3.200 profissionais das forças de segurança pública e salvamento do Estado. Para a imunização serão direcionados 5% de cada lote.




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil