Fotografo: TATI MEDEIROS
...
O evento aconteceu entre os dias 25 e 26 de setembro e contou com a presença do presidente boliviano Juan Evo Morales

O deputado Max Russi (PSB) considerou a assinatura do contrato com a Bolívia, para retomar o fornecimento de gás natural para Mato Grosso, como um importante avanço para o estado, principalmente quanto à perspectiva de crescimento industrial e a diminuição no valor do gás de cozinha. Ele participou da agenda de compromissos do governo estadual no país vizinho, que também firmou convênios de energia. O evento aconteceu entre os dias 25 e 26 de setembro e contou com a presença do presidente boliviano Juan Evo Morales. 
 
Conforme o governador Mauro Mendes divulgou em suas redes sociais, é previsto o fornecimento de 1,5 milhões de metros cúbicos mensais até dezembro de 2020. Mendes informou ainda que, durante este período, o Executivo vai trabalhar para formalizar a sociedade com a estatal Yacimientos Petroliferos Fiscales Bolivianos (YPFB).
 
Russi acredita que essa oficialização da compra direta desse combustível foi um passo fundamental para o fomento de uma energia mais barata, o que vai resultar na queda considerável no preço do botijão ao consumidor.  O parlamentar está otimista quando a implantação de novos postos de combustíveis e geração de empregos. 
 
“Uma grande ação do governo do estado essa parceria com a Bolívia. A garantia de compra direta, por Mato Grosso. Além de tudo, uma perspectiva muito boa em relação ao gás de cozinha. 
 
No dia 1 de outubro começam as negociações da termoelétrica e a gente já tem claro que o preço do gás vai cair pela metade”, avaliou.
 
O cronograma teve início com a visita à planta termoelétrica de Warnes, em Santa Cruz de La Sierra,  onde aconteceu a abertura oficial do evento “Experiências de exportação de eletricidade entre Bolívia, Brasil e Uruguai”. Lá foi assinado o Memorando de Entendimento entre o Estado e o Ministério de Energia da Bolívia, com o objetivo de viabilizar estudos de fornecimento de energia elétrica e cloreto de potássio.
 
“Também estivemos em Uyuni, juntamente com o ministro de Energia da Bolívia, Rafael Alarcón Orihuela. Ali fizemos uma visita técnica a uma fábrica de cloreto de potássio”, complementou o deputado. 
 
O deputado Max Russi reafirmou o compromisso da Assembleia Legislativa, no apoio a medidas que tragam benefícios a população, principalmente quando o resultado esperado é a geração de mais postos de trabalho. 
 
“Tenho certeza que a Assembleia vai ajudar nos projetos de lei para a modernização, para os ajustes, para aquilo que for preciso, principalmente para a viabilização de novas empresas e o fomento na geração de empregos”, reforçou.
 
A comitiva também contou com o presidente da ALMT Eduardo Botelho (DEM), a vice-presidente, Janaina Riva (MDB), além dos deputados Paulo Araújo (PP) e Ondanir Bortolini, o Nininho (PSD).