Fotografo: Divulgação
...
O ex-prefeito Mauro Mendes (PSB) avalia o governador Pedro Taques como bom nome para o grupo vencer as eleições de 2018

 
DA REDAÇÃO
 
Mauro Mendes (PSB), ex-prefeito de Cuiabá disse que o governador Pedro Taques (PSDB) tem perfeitas condições de chegar em 2018 com uma boa avaliação de seu governo. Em entrevista a uma rádio da capital nesta semana, Mendes disse que o o governador Pedro taques fez mudanças importantes em seu secretariado gestão essa que está revertando em resultados positivos para a atual gestão.
 
De acordo estas renovações no quadro de secretariado cerca de 16 nomes ligados a Mauro Mendes foram nomeados por Taques. No primeiro escalão estão Rogério Gallo (Procuradoria Geral do Estado), Guilherme Muller (Planejamento), Kleber Lima (Gabinete de Comunicação) e Domingos Sávio (Ciência, Tecnologia e Inovação).
 
“O governador fez uma mudança de muitos quadros e já existe uma percepção de melhoria de desempenho do Governo com esses novos quadros que entraram na administração estadual. Acredito que ele tem todas as condições de chegar bem em 2018”, disse.
 
O governador fez uma mudança de muitos quadros e já existe uma percepção de melhoria de desempenho do Governo
O ex-prefeito disse enxergar em Taques um esforço para melhorar a situação do Estado. Ele citou que o Executivo foi entregue ao tucano com uma série de problemas por conta da gestão do ex-governador Silval Barbosa (PMDB).
 
“Nós acreditamos que o Taques e sua equipe estão se esforçando muito para resolver os problemas de Mato Grosso, que não são poucos. Muitos deles, herdados da administração anterior. Por isso, ele está enfrentando essas dificuldades. Mas acredito em uma melhora da administração”, afirmou.
 
Candidato natural
 
Mendes disse que Taques é o candidato natural do grupo à reeleição. Entretanto, afirmou que ainda não é o momento de se discutir o assunto concernente as eleições de 2018.
 
“O Pedro Taques é o governador deste grupo, foi eleito com apoio do PSB, com apoio de muitos partidos. Existe uma lógica na política que, quem está no cargo tem uma preferência para se manter na disputa por este cargo. Isso é uma lógica natural, até porque se imagina que ele vai estar bem no momento da eleição”, disse.
 
“Acabamos as eleições de 2016 e neste momento, sejam os eleitos no ano passado ou aqueles que já estavam com mandatos, tem que se voltar as energias para trabalhar e entregar resultados e melhorias para a população. É muito cedo para se falar em 2018”, completou.