Fotografo: Divulgação
...
TRE de MT faz pente fino nas conta de Campanha de Lucimar Campos (DEM)

ERALDO DE FREITAS

Já se não bastasse desafiar a Justiça Eleitoral com os gastos com publicidade, a prefeita Lucimar Campos insiste em desafiar a lei que não veio para ser tratada com descaso, a JE determinou que a Lucimar Campos

(DEM) apresente uma nova prestação de contas, além disso, que explique doações ilegais ocorridas na campanha; consta nos relatórios que houve gastos de campanha não declarados e serviço prestado por uma empresa que nem cadastrada está na Junta Comercial do Estado de Mato Grosso.

O relatório da Marley Oliveira Santos (analista de contas do Tribunal Regional Eleitoral do MT) dá conta que, a prefeita Lucimar Campos descumpriu também em relação aos prazos legais, no que se refere à entrega dos relatórios financeiros de campanha referente a recebimento de doações na ordem de R$ 7 mil reais, praticados pessoas físicas.

Segundo a legislação, os relatórios deveriam ser entregues dentro do prazo de 72 horas, a partir da data do crédito da doação financeira na sua conta bancária de campanha, conforme o documento comprova que o prazo não foi obedecido pela prefeita Lucimar Campas.

De acordo o processo, após verificação das informações (ligadas à identificação dos fornecedores) constantes da prestação de contas da prefeita Lucimar e na ocasião candidata a reeleição, com base de dados da Secretaria da Receita Federal foi nitidamente constatados, possíveis inconsistências quanto à sua situação fiscal, evidenciando indícios de omissão quanto à identificação dos verdadeiros fornecedores da campanha eleitoral, que posteriormente, se fará necessário, ser mais bem esclarecidas à Justiça Eleitoral.

Como base nos documentos, foi percebida inconsistência nas transferências de valores realizadas pela prefeita Lucimar Campos para os candidatos a vereadores, documentadas pelos beneficiários em suas respectivas prestação de contas, tornar-se visíveis fortes indícios de omissão parcial de receita ou quantos aos seus gastos de campanha.

Consta claramente nas planilhas que a candidata Lucimar Campos, (em sua prestação de contas) fez doações para as campanhas de Cleyton Nassarden, o “Sardinha” no valor de R$ 375,00, para o Ícaro Reveles de R$ 275,00, ao Ivan Guimarães de R$ 275,00, para o Jânio Calistro (atual presidente da Câmara Municipal no valor de R$ 275,00, para o Ronaldo da Silva de R$ 735,00 e para Monir Brás no valor de R$ 120,00.

Já os candidatos que concorrem a Câmara Municipal, em suas prestações de contas declararam que receberam valores maiores do que os informados na prestação de contas de Lucimar à Justiça Eleitoral.

Nas prestações de contas, declarados pelos candidatos Ícaro Reveles, Ivan Guimarães e Jânio Calistro, foram declarados por eles ter recebido R$ 600,00 (cada um). Já o candidato Ronaldo da Silva declarou em sua prestação de contas que recebeu R$ 1.275,00, e o Monir Brás disse ter recebido R$ 360,00 reais.

A prefeita Lucimar campos fez doações, porém de campanha, através de transferências bancárias, para as candidatas a vereadoras Solange Alves dos Santos, a “Tia Sol” no valor R$ 180,00 para a Orchilene Ferreira dos Santos no valor de R$ 1.155,00. Quem está tentando burlar a Justiça Eleitoral só saberá mais no futuro próximo, pois as candidatas não deram tais declarações à Justiça Eleitoral.

Em documento a Lucimar Campos informou através de sua prestação de contas ter gasto o valor de R$ 3.479,00 mil reais em combustíveis, porém, declarou à Justiça Eleitoral o valor de R$ 4.238,80. Onde está o erro?

Pesa ainda contra a candidata democrata que, foi detectado ainda gastos eleitorais na ordem de R$ 64.527,50 realizados pela prefeita Lucimar Campos, bem antes à data inicial da entrega da sua prestação de contas parcial, os quais não foram legalizados na ocasião junto a Justiça Eleitoral.

A Justiça Eleitoral constatou também que ouve a realização de despesas por parte da empresa Odiles dos Santos Me, empresa registrada, mas não ativa na Junta Comercial do Estado.

Com base nas inúmeras irregularidades e divergências nas informações, a analista Marley Oliveira (TER-MT) solicitou que a prefeita Lucimar apresentasse nova prestação de contas, bem como reapresentação de extrato da Prestação de Contas, devidamente assinado e acompanhado de justificativas e, quando cabível, dos documentos que comprovem as alterações efetuadas.

A nossa Reportagem “SBC-MT” tentou falar com a prefeita Lucimar Campos, não nos atendeu em seu celular, tentamos ligar para o celular do advogado, e até o encerramento do nosso expediente não retornou.