Fotografo: PM
...
Danilo de 29 anos responsável pelo o estabelecimento de espetinhos usado como suposto disfarce

 
 
 
Eraldo de Freitas
SBC do Brasil – MT
 
Nesta quinta-feira (22/11), por volta das 19hs a Equipe Policial do Tático recebeu uma denúncia anônima, dando conta de que no Bairro Vila Planalto, em Rondonópolis havia um ponto de venda de drogas. Rapidamente os policias foram até ao local para uma checagem, chegando lá se tratava nada mais do que um ponto comercial de espetinhos normal, administrado por certo homem por nome de Danilo.
 
Os policiais pediram para fazer uma vistoria no local, encontraram 32 tabletes e quatro pedaços de uma substância análoga à maconha dentro do freezer do suposto comerciante informal.  Além disso, foi localizada ainda uma balança de precisão e papel filme utilizados para proceder às embalagens do entorpecente, para entregas a clientela supostamente de Danilo. 
 
Ao ser interrogado pelos policiais, Danilo de 29 anos, responsável pelo o estabelecimento de espetinhos usado como suposto disfarce para comercializar as drogas, confirmou à Polícia ser o proprietário do entorpecente, declarou ainda que em sua residência haveria mais entorpecentes, disse que morava no Bairro Mathias Neves. No local informado, os policiais do Tático se encontra com a mãe do acusado Danilo, informada de que se tratava prontamente (como mãe), abriu as portas da casa para a Polícia fazer uma nova busca por drogas; no quarto do acusado a Polícia localizou mais 500 gramas de substância análoga à maconha; no local os policiais encontraram ainda sacos plásticos contendo centenas de adesivos com os dizeres “Claro  Vivo – Região Sul” que indicam atividades de facção criminosa conhecida como “Comando Vermelho” que atuam no tráfico de drogas, roubos e extorsões.
 
É evidente que as investigações da Polícia Civil apontam que a organização criminosa faz extorsão de comerciantes para que, estes paguem certa mensalidade, para que não sejam roubados pelos criminosos. O referido adesivo é uma espécie de identificação de que, ali indica que o comércio faz o pagamento destas tais mensalidades para a facção.
 
Segundo informou os policiais que trabalharam nesta operação, que o celular do conduzido tocava todo momento durante o curso da redação do B.O; a frequência de ligações aponta que o aparelho seria uma das ferramentas de comunicação, para a devida comercialização das drogas junto aos usuários consumidores dos entorpecentes de Danilo. 
 
Segundo a PM, a apreensão do aparelho se faz necessário até para a Polícia conseguir chegar a outros distribuidores da hierarquia do crime. 
 
Danilo foi entregue na Delegacia com os 40 quilos de maconha, balança de precisão, os adesivos (que marca territórios) e será ouvido pelo Delegado responsável da pasta, em seguida será encaminhado para audiência de Custódia no Fórum de Justiça, local;  O acusado foi indiciado pelo crime de Tráfico Ilícito de drogas, Associação para o Tráfico e Organização criminosa.  Agora será ouvido pelo o juiz responsável da Comarca, quem apontará  a nova moradia de Danilo, que por trás de uma revenda de espetinho: comercializava drogas.
 
Participaram desta operação a Equipe do Tático CMD e o Tático 02, do 4º Comando Regional de Rondonópolis (MT).