Fotografo: Da Assessoria
...
Deputado federal Dr. Leonardo (Solidariedade-MT)

O protocolo de ventilação não invasiva (VNI) usado em associação à tecnologia conhecida como cápsula Vanessa - câmaras de ventilação de baixo custo desenvolvidas pelo Grupo Samel, já utilizada com sucesso em Manaus e outros locais do Brasil para baixar a curva de mortes por conta da pandemia do Covid-19, pode estar disponível em Mato Grosso em breve e ajudar a reverter o quadro alarmante de mortes no estado. A articulação foi feita por iniciativa do deputado federal Dr. Leonardo (Solidariedade-MT), após se reunir com o criador da cápsula, o diretor-presidente da Samel, Luís Alberto, em Brasília, quando ele se colocou à disposição para ajudar as autoridades de Mato Grosso sem custo financeiro.
 
Mato Grosso já conta com 150 cápsulas de ventilação, fabricadas em uma parceria entre a Fiemt, Grupo Solar e Senai, mas é preciso associar o uso delas a ventilação não invasiva para ampliar o resultado no tratamento dos pacientes. "O uso das cápsulas será um trunfo a mais no tratamento das pessoas contaminadas pela Covid-19, podendo evitar a entubação precoce, aumentando as chances de sobrevivência”, explica Dr. Leonardo.
 
O deputado Dr. Leonardo repassou a informação sobre a possibilidade do apoio técnico ao governador Mauro Mendes (DEM), durante reunião de bancada, e o diretor-presidente informou nesta quinta (09) que o Governo do Estado entrou em contato em busca do apoio técnico. “O Governo está no caminho certo, por que, utilizará essas cápsulas da maneira correta e teremos a disposição mais uma arma terapêutica no combate a Covid”. 
 
A tecnologia das cápsulas foi utilizado, inicialmente, em Manaus para enfrentar a batalha contra a Covid-19, após a capital amazonense atingir números muito altos de contaminação. As cápsulas Vanessa desenvolvidas pelo Grupo Samel protege médicos e enfermeiros e associadas a VNI mostraram bons resultados; o grupo disponibiliza a patente para ser produzida e faz treinamentos de forma gratuita; equipamento já é usado em outros Estados e países como a Bolívia.