Fundada aos 14 de abril de 2006 pelo Jornalista Eraldo de Freitas - E-mails: redacao@sbcbrasil.com.br

Cidadão Repórter

(65)9966-5664
Várzea Grande(DF), Domingo, 29 de Novembro de 2020 - 16:20
19/11/2020 as 10:44:55 | Por Izabella Araújo/VG Notícias | 168
GM se recusa a ser comandado por mulher em VG e corregedoria apurará caso
O caso aconteceu na última terça-feira (17.11) na sede na avenida da Feb, em Várzea Grande.
Fotografo: Reprodução
Ilustrativa

A conduta do guarda municipal L.C.D, 45 anos, será apurada pela corregedoria da corporação após ele ter se recusado a ser comandado por uma colega mulher. O caso aconteceu na última terça-feira (17.11) na sede na avenida da Feb, em Várzea Grande.
 
A GM de 44 anos, que é da classe especial, estava na função de adjunta da base, quando o colega afirmou que se sentia “humilhado” por ser chefiado por ela, que é mulher.
 
Após a reclamação, ele foi remanejado para outra função, mas causou mal-estar na corporação e constrangimento na guarda municipal, que registrou um boletim de ocorrência por injúria mediante preconceito.
 
Em entrevista nesta quinta-feira (19.11), o comandante da GM, Evandro Homero, afirmou que o caso foi encaminhado à corregedoria que definirá as punições, caso hajam. Questionado sobre o “machismo” na corporação, o comandante afirmou que “não há nenhum problema em ser comandado por uma mulher, até porque já houve uma comandante mulher, e todos acatavam as ordens”.
 
“Tem que respeitar, independente do sexo que esteja, tem que acatar”, garantiu.
 
Guardas municipais se manifestaram nesta quinta-feira e deram apoio a vítima de machismo. Eles levaram e posaram com cartazes “Frágil? Só se for a unha”, “Tenha orgulho de ser quem você é. Você lutou muito por isso” e “você é admirável”.




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil