Fundada aos 14 de abril de 2006 pelo Jornalista Eraldo de Freitas - E-mails: redacao@sbcbrasil.com.br

Cidadão Repórter

(65)9966-5664
Várzea Grande(DF), Terça-Feira, 20 de Abril de 2021 - 20:06
24/02/2021 as 12:17:36 | Por R7, Record TV | 783
Gamer mata amiga rival na vida real: 'Atravessou meu caminho'
Guilherme, de 18 anos, planejou o crime por 2 semanas, escreveu livro e confessou ter matado a garota a golpes de faca e espada
Fotografo: REPRODUÇÃO / RECORD TV
Ingrid conhecia Guilherme há cerca de um mês ao jogar games pela internet

Guilherme Alves Costa, de 18 anos, que matou a amiga Ingrid Oliveira Bueno da Silva, de 19 anos, a facadas e golpes de espada disse à polícia que ela "atravessou o seu caminho". Os dois jogavam videogame juntos. Ele gravou e confessou o crime e afirmou que estava planejando a ação há duas semanas. "Minha sanidade mental tá completamente apta. Eu quis fazer isso", falou aos policiais no momento da prisão.
 
O crime chocou a família e os moradores do bairro. Segundo a mãe de Guilherme, Maria Rita Alves, ele era um bom filho e todos gostavam dele. "Sem palavras, todo mundo aqui gostava dele. O filho que eu criei não foi esse, não foi", revelou em entrevista à Record TV.
 
Após o assassinato, Guilherme divulgou um vídeo confessando o crime: "Vocês tão achando que é tinta, montagem, mas não é. Eu realmente matei ela. Eu tenho um livro também. Pedi pra um pessoal divulgar".
 
O livro é um diário com 52 páginas, onde ele escreve sobre a vida, os objetivos e diz que não gosta de ninguém. Em um vídeo, ele destaca que pretendia atacar o cristianismo em seu próprio nome.
 
O acusado está desempregado e conheceu a vítima pela internet há cerca de um mês. Eles costumavam jogar uma série de games eletrônicos de guerra, ação e tiros. À mãe, ele disse que a amiga era de Santana, na zona norte.
 
Já Ingrid teria pedido um atestado no trabalho na data do crime para poder se encontrar com o suspeito. Os pais dela não sabiam. Ela revelou ao ex-namorado que iria para a casa de um amigo, mas não disse o nome dele.
 
O encontro foi na última segunda-feira (22) na casa de Guilherme na região de Pirituba, na zona norte de São Paulo. Ao se recusar a executar um ataque, Ingrid foi morta e a ação filmada. A família não ouviu gritos de socorro ou qualquer outro barulho. Nem mesmo o cachorro latiu. 
 
Histórico familiar
 
Guilherme morava na mesma casa desde o nascimento com a mãe e os irmãos. A mãe limpou o quarto onde o crime aconteceu e ainda está em choque. Ela saiu para trabalhar e recebeu o telefonema de um dos filhos e da nora dizendo para ela retornar à casa. Maria Rita acreditava ter acontecido alguma coisa com o outro filho que trabalha de moto e foi surpreendida com a cena.
 
A polícia cercou a área e Guilherme foi preso. Ele demonstrou frieza e confessou o assassinato da jovem: "Meu objetivo era ficar com a moça e matar", revelou na delegacia.
 
O caso
 
Policiais militares foram chamados para atender uma ocorrência de mulher esfaqueada. No local, acharam a vítima com diversas facadas. O óbito foi constatado por uma equipe do resgate.
 
Após ferir a vítima, o estudante fugiu. O irmão dele contou que chegou em casa e encontrou a jovem já desmaiada. Ele não a conhecia. O suspeito disse aos familiares que iria cometer suicídio, mas seu irmão conseguiu convencê-lo a se entregar. 
 
Os agentes conseguiram uma cópia do suposto livro escrito por Guilherme, que foi anexada ao inquérito policial. O celular foi apreendido. O caso foi registrado como homicídio qualificado no 87º DP, na Vila Pereira Barreto.
 

 




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil