Fotografo: Arthur D. Lauck/The Advocate via AP
...
Sadie Roberts-Joseph (à direita), em foto de 2004

A fundadora de um museu nos Estados Unidos, Sadie Roberts-Joseph, de 75 anos, foi encontrada morta na última sexta-feira (12) no porta-malas de um carro em Baton Rouge, na Louisiana, informaram o jornal local "The Advocate" e a agência de notícias Associated Press.
 
Roberts-Joseph havia fundado, em 2001, o Museu de História Afroamericana da cidade.
 
A causa da morte ainda não foi determinada, e uma autópsia está marcada para esta segunda-feira (15). Segundo o jornal, a última vez que a família a viu foi por volta de meio-dia da sexta-feira. O corpo da fundadora foi encontrado pela polícia às 15h45 do horário local.
 
Em um post no Facebook, a polícia de Baton Rouge lamentou a morte de Roberts-Joseph.
 
"A sra. Sadie foi uma incansável defensora da paz na comunidade. Tivemos oportunidade de trabalhar com ela em vários aspectos", diz o texto. "Desde ajudá-la com doações de bicicletas no Museu Afroamericano até a trabalhar com a organização que ela começou, a Comunidade Contra Drogas e Violência. Sua perda será sentida".
 
A polícia também pede que pessoas que tenham informações sobre o que chamou de "ato hediondo" entrem em contato.
 
Roberts-Joseph também organizava o festival anual do século XIX no museu, que celebrava a data de 19 de junho de 1865. Naquele dia, menos de um mês após o fim da guerra civil americana, soldados da União informaram ao Texas que o então presidente americano, Abraham Lincoln, havia assinado a Proclamação da Emancipação, declarando todos os escravos do Sul livres. O documento havia sido finalizado mais de dois anos antes.
 
O Museu Afroamericano apresenta arte africana, exposições sobre o cultivo de algodão e inventores negros, assim como um ônibus de 1953 do período dos boicotes pelos direitos civis em Baton Rouge. Também tem exposições sobre o ex-presidente presidente Barack Obama — cuja presidência Roberts-Joseph mencionava como uma inspiração para as crianças, diz o "The Adovcate".