Fotografo: Luiz Alves
...
O programa “Cuidando de Quem Cuida da Gente”, foi idealizado pela primeira-dama de Cuiabá

O programa “Cuidando de Quem Cuida da Gente”, idealizado pela primeira-dama de Cuiabá, Márcia Pinheiro, com o intuito de garantir a saúde mental dos profissionais da Saúde que atuam na linha de frente do combate à Covid-19, já está rendendo frutos. Até o momento mais de 2,5 mil pessoas já foram alcançadas. Uma delas é Willians Blank, enfermeiro da rede municipal há 11 anos.
 
Ele conta que faz parte do grupo de risco por ser diabético, asmático e hipertenso e vinha trabalhando em setor administrativo, nos preparativos da inauguração da Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro Parque Ohara. No entanto, pelo fato da esposa dele também trabalhar em uma UBS de Cuiabá e os dois serem referência para os familiares, que buscam neles informações sobre a pandemia, a sensação que tinha era de que estava trabalhando o tempo inteiro, chegando a ficar ansioso. “Nós temos nossa vida profissional que está bem cansativa por causa da pandemia, então, como profissional de saúde, a gente é exigido mais. E temos nossa vida pessoal, saímos do nosso ambiente de trabalho morrendo de medo de ser contaminado e vamos para nossa casa pensando na nossa família”, relata.
 
No entanto, por meio do “Cuidando de Quem Cuida da Gente”, o enfermeiro encontrou o equilíbrio e passou a cuidar de sua saúde mental de formas simples, o que aprendeu na primeira etapa do programa, composta por uma plataforma de psicoeducação, com vídeos de técnicas para controle de estresse e prevenção ao Transtorno de Estresse Pós-Traumático. “Eu já assisti várias vezes. Tem a parte teórica, mas depois tem a parte prática, que ensina sobre controle e identificação do estresse, questões práticas de como se controlar em situações estressantes. Ajuda muito!”, avalia Willians.
 
Nesta semana, o enfermeiro e sua esposa testaram positivo para a Covid-19 e estão fazendo o isolamento domiciliar. Willians afirma que chegou a ficar nervoso ao saber o resultado do exame, após passar por consulta no ambulatório específico para os servidores da Saúde de Cuiabá, mas logo se lembrou das aulas online e começou a colocar em prática, como fechar os olhos, mentalizar coisas boas, respirar fundo e lentamente. Com isso ele conseguiu voltar ao eixo e tem se mantido calmo.
 
Segundo o enfermeiro, essas e outras técnicas - como ouvir música, praticar exercícios físicos - podem ser colocadas em prática por qualquer pessoa que esteja passando por uma situação estressante, mesmo que não tenha condições de fazer um acompanhamento psicológico com profissional.
 
O servidor afirma ainda que o programa de saúde mental ofertado pela Prefeitura se mostrou uma oportunidade para que ele passasse a refletir mais sobre a vida. Segundo Willians, é comum na sua categoria profissional as pessoas terem perfil altamente resolutivo e querer resolver tudo com urgência. Mas com as técnicas de prevenção à ansiedade, ele enxergou que nem sempre é preciso agir dessa forma, que é necessário às vezes ter uma pausa para pensar duas vezes sobre o que tem deixado preocupado, analisar se realmente é algo a ser priorizado.
 
Com isso, ele tem conseguido compartilhar o que tem aprendido e exercitado com as pessoas com quem tem contato, como amigos e familiares que o questionam sobre assuntos relacionados à pandemia. “A gente percebe nossos limites e como aqui em casa somos só eu e minha esposa e a família está distante, algumas perguntas eu deixo para responder depois”, afirma, destacando que tem procurado cuidar mais de si mesmo.
 
O programa
 
O “Cuidando de Quem Cuida da Gente” no momento, conta com duas etapas. A primeira trata-se de plataforma online disponível no site da Prefeitura de Cuiabá, com vídeos de técnicas específicas para o controle do estresse e prevenção do Transtorno de Estresse Pós-Traumático, independentemente de o servidor público estar atuando ou não na linha de frente no combate do coronavírus.
 
A segunda fase consiste no acompanhamento psicológico por 12 semanas - apenas para os profissionais da Saúde que estão na linha de frente no combate a Covid-19. O programa disponibilizará até 4.800 sessões de terapia para acompanhamento psicoterápico individual. Conforme o psiquiatra André Duailibi, técnico responsável pelo programa, àqueles em que se constata necessidade, é feito encaminhamento para a avaliação psiquiátrica.
 
A terceira e a quarta etapas do programa serão compostas por workshops presenciais em unidades de saúde para avaliar como os servidores estarão após a pandemia e a de encerramento envolvendo todos os participantes e a equipe multidisciplinar para apresentar os resultados alcançados. A expectativa é que até o final do projeto, 7 mil servidores da saúde sejam atendidos.