Fundada aos 14 de abril de 2006 pelo Jornalista Eraldo de Freitas - E-mails: redacao@sbcbrasil.com.br

Cidadão Repórter

(65)9966-5664
Várzea Grande(DF), Sábado, 06 de Março de 2021 - 08:11
19/02/2021 as 13:21:43 | Por Yuri Ramires, GD | 463
Empresária foi assassinada após cobrar dívida de R$ 1,4 mil, diz polícia
Empresária Rosemeire Soares Perin, 56, foi morta com golpes de faca
Fotografo: João Vieira/Reprodução
Ele deu 3 depoimentos à polícia, mas só o último tem validade.

Empresária Rosemeire Soares Perin, 56, foi morta com golpes de faca no pescoço e quase degolada após cobrar uma dívida que o suspeito Jefferson Rodrigues da Silva, 33, tinha com ela no valor de R$ 1.400. Ele deu 3 depoimentos à polícia, mas só o último tem validade.
 
Delegado Marcel Gomes de Oliveira contou em coletiva de imprensa na manhã desta sexta-feira (19) que Jefferson confessou no último depoimento que matou Rosemeire e diferente do que disse antes, Pedro Paulo de Arruda não tentou estuprar a vítima e nem foi o autor das facadas.
 
“O que motivou o crime foi uma dívida que ele tinha com ela desde que adquiriu uma máquina de sorvete dela em março de 2020, pelo preço de R$ 7 mil. Depois da compra, a máquina deu problema e manutenção ficou em R$ 2.100. Depois disso, ele ficou devendo mais R$ 850”, lembrou o delegado.
 
A dívida se arrastava desde novembro e por conta da pandemia, o trabalho com a venda de sorvete foi afetado. Dessa vez, ele quis comprar um batedor de milk-shake de Rosemeire e começou a negociar com ela. A máquina custava R$ 400.
 
“Nesse período, ele começou a vender espetinho e comprou pratinhos de plástico dela também, no valor de R$ 156, que foi somado à dívida. Quando ela foi cobrar, ele não gostou. Ela já estava na casa dele testar o batedor de milk-shake e foi quando recebeu uma gravata do agressor, ficou sem ar, desmaiou e foi amarrada pelos pés, mãos com fitas e amordaçada”.
 
O caso
 
A empresária foi vista pela última vez na terça-feira (16), quando saiu para ir trabalhar. Naquele dia, segundo o marido, a mulher teria enviado um áudio por Whatsapp dizendo que iria resolver demandas do trabalho em Várzea Grande.  
 
À noite, quando o homem retornou para a casa, recebeu mensagens estranhas do celular da esposa, nas quais ela disse que estaria na cidade de Sinop. Naquele dia, o marido então procurou a polícia e registrou um boletim de ocorrência.  
 
Posteriormente, na quarta-feira (17), a filha da mulher foi até a casa do casal à procura da mãe. A filha ainda tentou ligar diversas vezes para a mãe, que só respondeu por mensagens de texto. Desconfiada da situação, ela registrou outro boletim na DHPP.




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil