Fotografo: De Campos Filho
...
Ferrinho garante que tudo foi feito dentro dos trâmites legais

Eraldo de Freitas
Roberto Marques
 
No dia 10 de março terá eleição para renovar a Mesa diretora da UNIVAB - União das Associações de Moradores de Bairros de Várzea Grande; fundada em 1983, a Univab trata-se de uma entidade sem fins lucrativos, com o espírito comunitário e regida pelo seu estatuto, também norteada pela FEMAB – Federação Matogrossense das Associações de Moradores de Bairros e pela CONAM - Confederação Nacional das Associações de Moradores .
 
A polêmica que vem tomando conta das redes sociais nos últimos dias, em relação a Univab é o fato de o atual presidente, o Sr Claído Celestino, o "Ferrinho", viu a necessidade e a responsabilidade, formar uma chapa na última hora e apresentá-la, com o objetivo de a entidade que dirige desde 2011, não viesse ficar sem um líder comunitário; nenhuma outra chapa foi registrada no certame eleitoral de 2019, para a escolha da nova diretoria, que vão gerir a entidade nos próximos quatro anos.
 
Ferrinho garante que tudo foi feito dentro dos trâmites legais, segundo ele, no dia 25 de janeiro foi convocado a atual diretoria para formar a Comissão Eleitoral, para a realização da Eleição 2019 que se dará no dia 10 de março; Contou o atual presidente Ferrinho que, no dia 01/02 foi feita a Publicação do Edital de Convocação Eleitoral no Diário Oficial do Estado de MT, dando conta da realização pleito; Já no dia 05 de fevereiro foi feito outro Edital no DO apresentando a Comissão Eleitoral do referido processo.
 
De acordo com o Estatuto da entidade e os editais, a última data e horário para registro de Chapas, para que interessasse disputar o pleito era dia 07 de fevereiro com o encerramento estabelecido para às 17hs.
 
"No dia 07 de fevereiro ficamos o dia todo na sede da Univab, aguardando o registro de chapas que deveriam serem encabeças por presidentes de comunidades afiliadas da Univab, como ninguém se inscreveu, para que a entidade não ficasse sem liderança e gestores, decidimos inscrever-nos, o prazo expirou de acordo o Estatuto da entidade e às normas regimentais, deu-se por encerrado aquele expediente", explicou o líder comunitário.
 
"Este presidente tinha o compromisso de apoiar o líder comunitário 'Luiz do Valval', muito embora o mesmo não nos procurou, não sabemos o que realmente aconteceu, pois tivemos notícias de que, o mesmo teria formado um grupo para 'derrubar' o atual presidente (que sou Eu), não precisava nada disso, pois ele sabia que tínhamos um compromisso moral de o apoiá-lo em 2019, esperávamos ter pelo menos um concorrente, ficamos aguardando-o, diante dos fatos, esperamos até o último momento a sua anuência, o registro da tal chapa anunciada por populares, que seria para nos retirar da liderança este ano, ele(s) não compareceram para registrá-la, horas depois, fomos informados que a sua Associação não estava apta, não tinha todas as documentações jurídicas e obrigatórias para se inscrever ao certame eleitoral", lamentou Ferrinho.
 
Questionado sobre, quais os documentos que uma entidade deve apresentar para se inscrever ao processo eleitoral comunitário, Ferrinho explicou que, "para, registrar uma chapa, a entidade precisa antes de tudo ter membros Ficha Limpa. A associação precisa ter CNPJ, Certidões Negativas de Débitos junto a Receita Federal, Estadual, Estatuto devidamente registrado em Cartório, Certidão Negativa da Fazenda Municipal, seu Alvará de Funcionamento em dia", informou.
 
Com relação à Eleição da nova diretoria, Ferrinho explicou que, "De acordo o Estatuto da entidade, quando se trata de Chapa Única, a escolha da nova diretoria deve ocorrer por Aclamação", disse.
 
Questionado sobre o número de associações comunitárias existentes no Município de Várzea Grande, Ferrinho disse que ultrapassan 200 associações comunitárias. Quanto à legalidade destas entidades existentes, Ferrinho disse que, todas devem passar pelo mesmo rito jurídico, porém, esta legalização trata-se de uma gestão de cada liderança, nem todos se preocupam com a "Certidão de Nascimento" da sua entidade, isso compete a cada presidente legalizar juridicamente a sua associação junto aos órgãos competentes, para o seu pleno e regular funcionamento de acordo as leis vigentes em nosso país.
 
"Muitos presidentes são escolhidos para liderar comunidades em seus bairros, porém uma minoria deles procura a Univab para se inteirar melhor, de como deve ser o funcionamento de uma Associação, quais as verdadeiras atribuições de um líder comunitário na qualidade de presidente. Estamos aqui para ajudar todas as comunidades que queiram avançar com a sua entidade, sempre ajudamos em tudo aquilo o que tiver ao nosso alcance. É só nos procurar jamais vamos virar ‘as costas’ ou tratar quem quer que sejam de forma diferenciada, todos que nos procuraram até aqui foram tratados de forma igualitária e sem politicalha", concluiu o Ferrinho que também é vereador em Várzea Grande e garantiu que nunca usou dos poderes da entidade, para captar cabos eleitorais a quem quer que seja do meio político, todos os líderes comunitários são independentes e, de maior idade para analisar e apoiar quem desejar.