Fotografo: Reprodução/Redes Sociais
...
Engenheiro eletrônico Roberto Pinto Batista Junior, que morreu ao cair de patinete em BH, deixa dois filhos

 
O corpo do engenheiro eletrônico Roberto Pinto Batista Junior, de 43 anos, que morreu após cair de patinete elétrico foi enterrado na tarde deste domingo (8) em Belo Horizonte.
 
O acidente aconteceu na tarde deste sábado (7). Roberto foi levado para o Hospital João XXIII após bater a cabeça em um bloco de concreto que faz a separação de uma ciclovia na Avenida Paraná, esquina com Rua dos Tupis, mas não resistiu.
 
Esta é a segunda morte envolvendo uma pessoa que andava de patinete elétrico no país. Na última quinta-feira (5), um homem de 28 anos foi atingido por um carro na contramão quando andava de patinete em Anápolis (GO).
 
O engenheiro morto em Belo Horizonte foi velado e enterrado no Cemitério da Parque da Colina, na Região Oeste da capital mineira. Parentes não quiseram conversar com a imprensa durante o sepultamento. Roberto era casado e tinha dois filhos.
 
Em nota a Yellow, empresa de aluguel de patinetes, manifestou “profundo pesar e solidariedade com os familiares de Roberto Pinto Batista Jr”. Disse ainda que está em contato direto com a família da vítima “para prestar todo o apoio possível neste momento e também está em diálogo com as autoridades locais para ajudar a esclarecer de que forma este acidente ocorreu”.
 
Patinetes em BH
 
Belo Horizonte ainda não tem uma lei para regulamentar o uso de patinetes elétricos. O projeto sobre o uso de equipamentos de transporte individual, que também inclui as bicicletas compartilhadas, foi aprovado pela Câmara Municipal, mas foi totalmente vetado pelo prefeito Alexandre Kalil (PSD). Nesta semana, o Legislativo manteve o veto do prefeito.
 
A prefeitura informou que a Empresa de Transporte e Trânsito de Belo Horizonte (BHtrans) está realizando um estudo para regulamentar o transporte individual. Mas ainda não há uma data para conclusão do levantamento.