Fotografo: CPB
...
Compartilhando a Palavra

Lição 7
08 a 14 de agosto
 
 
Sábado à tarde
Ano Bíblico: Is 59-62
 
VERSO PARA MEMORIZAR: “Assim será a palavra que sair da Minha boca: não voltará para Mim vazia, mas fará o que Me apraz e prosperará naquilo para que a designei” (Is 55:11).
 
LEITURAS DA SEMANA: Sl 119:105; Jr 23:29; Hb 1:1-3; 2Tm 3:14-17; 1Jo 1:7-9, Ec 3:1; 2Tm 4:2
 
Quando testemunhamos, falamos de Jesus. Mas o que saberíamos sobre Cristo sem a Bíblia? Quanto conheceríamos sobre o grande conflito, o amor de Deus, o nascimento, a vida, o ministério, a morte, a ressurreição e o retorno de nosso Senhor se não tivéssemos as Escrituras?
 
Embora a natureza revele a majestade e o poder de Deus, ela não desvenda o plano da salvação. Jesus, mediante a Pessoa do Espírito Santo, é “a verdadeira luz, que, vinda ao mundo, ilumina a todo homem” (Jo 1:9). Ainda assim, sem a Palavra de Deus para explicar completamente a verdade divina, a revelação do Espírito Santo em nosso coração é limitada. A Palavra escrita de Deus é a revelação mais clara e completa de Jesus, a Palavra Viva.
 
Embora os líderes religiosos estudassem a Palavra de Deus, muitos não compreenderam sua mensagem principal. Jesus disse: “Examinais as ­Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de Mim” (Jo 5:39). Corretamente compreendido, todo ensinamento da Bíblia reflete a beleza do caráter de Jesus. Quando compartilhamos a Palavra de Deus, nosso principal objetivo não é provar que estamos certos e que os outros estão errados, mas revelar Jesus em cada aspecto da verdade que compartilhamos.

Domingo, 09 de agosto
Ano Bíblico: Is 63-66
Símbolos da Palavra de Deus
 
1. Leia o Salmo 119:105, Jeremias 23:29, Lucas 8:11 e Mateus 4:4. Quais são os cinco símbolos usados para descrever a Palavra de Deus nesses versos? Por que esses cinco símbolos foram escolhidos para representar a Palavra de Deus? Assinale a alternativa correta:
 
A.( ) Lâmpada, fogo, martelo, semente e pão.
B.( ) Prego, porta, espinho, carruagem e azeite.
 
Os variados símbolos usados nessas passagens descrevem algumas das principais funções da Palavra de Deus. Quando compartilhamos as Escrituras com outras pessoas, é como se acendêssemos uma lâmpada para iluminar a vida delas. Jesus, “a luz do mundo”, rompe as trevas da visão equivocada sobre quem é Deus e a natureza de Seu caráter. Mentes obscurecidas com uma compreensão errada de Deus são iluminadas pelo Espírito Santo mediante a Sua Palavra.
 
Segundo Jeremias, a Palavra de Deus é como fogo e martelo. Ela consome a escória do pecado em nossa vida e quebranta nosso coração ­endurecido. Quando ajudamos as pessoas a ver nas Escrituras a glória de Jesus, o coração endurecido delas se quebra, e o fogo do Seu amor consome a escória do egoísmo, da ganância, luxúria e do egocentrismo.
 
A Palavra de Deus também é comparada à semente. A principal característica da semente é que ela dá vida. A semente leva tempo para crescer. Nem todas as sementes germinam ao mesmo tempo. Nem todas as plantas crescem na mesma proporção. Mas sob as condições certas, a vida na semente irrompe através do solo para uma nova vida. Quando plantamos a semente da Palavra de Deus no coração e na mente das pessoas, nem sempre vemos resultados imediatos, mas silenciosamente a semente cresce e, no tempo de Deus, se elas responderem à influência do Espírito Santo, a semente produzirá uma colheita para Seu reino.
 
Jesus comparou Sua Palavra ao pão nutritivo. Como muitos de nós sabemos, poucas coisas nos satisfazem tanto quanto um bom pedaço de pão. A Palavra de Deus satisfaz a fome do coração e nutre nossos anseios espirituais interiores. Quando compartilhamos as promessas da Palavra com os outros e os ajudamos a descobrir que Jesus é a Palavra, a vida dessas pessoas é transformada por Sua bondade, cativada por Seu amor, maravilhada com Sua graça e satisfeita em Sua presença.´

Segunda-feira, 10 de agosto
Ano Bíblico: Jr 1-3
O poder criador da Palavra de Deus
 
2. Compare Hebreus 1:1-3; 4:12 e Salmo 33:6, 9. O que essas passagens revelam sobre o poder da Palavra de Deus?
 
A Palavra de Deus é viva. Ela tem o poder de realizar as coisas que ela declara. As palavras humanas podem falar do que existe, mas Deus fala de coisas que ainda não foram feitas e, em seguida, as cria pelo poder de Sua palavra. A Palavra de Deus é criadora. A Palavra audível que procede de Sua boca tem o poder de criar tudo o que proclama.
 
Na história da criação relatada em Gênesis 1, a expressão “disse Deus” é usada repetidamente (Gn 1:3, 6, 11, 14, 20, 24, 26, 29). As palavras declarativas de Deus tinham tanto poder que, quando Ele falou, a terra seca apareceu, as plantas brotaram, as flores desabrocharam, as árvores frutíferas floresceram e os animais surgiram.
 
Há uma palavra hebraica impressionante utilizada em Gênesis 1 para designar a atividade criativa de Deus. É a palavra bara. Nessa forma específica, ela é usada para a ação de Deus de criar algo do nada. O verbo é usado somente quando Deus é o sujeito. Isto é, somente Deus pode executar a ação da palavra bara, e Ele o faz mediante o poder de Sua palavra falada.
 
Deus não apenas criou este mundo pelo poder de Sua palavra, mas também o sustenta e mantém por meio dela. O mesmo poder que está na Palavra falada de Deus está em Sua palavra escrita. O mesmo Espírito Santo que atuou na criação também atuou na inspiração das Escrituras. Ele está presente quando lemos a Bíblia ou a compartilhamos. Há um poder criador, doador e transformador de vida na Palavra de Deus. “A energia criadora que trouxe os mundos à existência está na Palavra de Deus. Essa Palavra comunica poder e gera vida. Cada ordenança é uma promessa; quando é aceita voluntariamente e recebida no coração, traz consigo a vida do Ser infinito. Transforma a natureza, restaurando-a à imagem de Deus” (Ellen G. White, Educação, p. 126).
 
Ao entendermos as maravilhosas promessas encontradas na Palavra de Deus, nossa vida é transformada e, à medida que ajudamos outras pessoas a compreendê-las, o Espírito Santo também transforma a vida delas.

Terça-feira, 11 de agosto
Ano Bíblico: Jr 4-6
Os benefícios de estudar a Palavra de Deus
 
Existem vários benefícios em estudar a Bíblia. Pedro disse que, pelas promessas das Escrituras, tornamo-nos “coparticipantes da natureza divina” (2Pe 1:4). Tiago falou da Palavra implantada nos cristãos, “a qual é poderosa para salvar a [nossa] alma” (Tg 1:21). Paulo acrescentou que a “Palavra da Sua graça [...] tem poder para [nos] edificar e dar herança entre todos os que são santificados” (At 20:32). A Bíblia tem um propósito redentivo. Ao vermos Jesus em todas as Escrituras, somos transformados. Ao contemplá-Lo em Sua Palavra, tornamo-nos como Ele (2Co 3:18). “Somos transformados pela contemplação – essa é uma lei, tanto da natureza intelectual quanto da espiritual. A mente vai se adaptando aos assuntos com os quais se ocupa” (Ellen G. White, O Grande Conflito, p. 555).
 
3. Leia 2 Timóteo 3:14-17 e João 17:14-17. Quais benefícios adicionais surgem do estudo da Palavra de Deus?
 
Ao escrever para seu jovem companheiro Timóteo, Paulo pediu que ele fosse fiel às Escrituras e compartilhou os benefícios de estudar a Palavra inspirada. De acordo com Paulo, a Bíblia é “útil para o ensino”. Ela revela a verdade e expõe os erros. Ela descreve o plano de Deus para a humanidade, reprova nossos pecados, corrige nossos pensamentos errôneos e nos instrui na justiça. As Escrituras revelam a justiça de Cristo. Elas nos levam da insensatez de nossa pecaminosidade à beleza de Sua justiça. Quando vemos o amor altruísta de Jesus em contraste com nosso egocentrismo, ficamos maravilhados. Ao contemplarmos nas Escrituras a profundidade de Sua compaixão e cuidado, nossa vida é transformada. Quando compartilhamos Sua Palavra, as pessoas também são radicalmente transformadas. Ao contemplarmos Jesus em Sua Palavra, tornamo-nos mais semelhantes a Ele. Testemunhar não é compartilhar o que pensamos, nem mesmo o que acreditamos. É espalhar as verdades eternas encontradas na Palavra de Deus. Quando a Bíblia abençoa nossa vida, temos a credibilidade para dizer aos outros de que modo ela também pode abençoar a vida deles.

Quarta-feira, 12 de agosto
Ano Bíblico: Jr 7-9
Aplicando a Palavra de Deus
 
Já foram contadas mais de três mil promessas na Palavra de Deus. Cada uma delas vem do coração de um Deus amoroso, que pode “fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos, conforme o Seu poder que opera em nós” (Ef 3:20). As promessas de Deus são compromissos que Ele faz conosco. Ao reivindicarmos essas promessas pela fé e ensinarmos outras pessoas a reivindicá-las, as bênçãos do Céu fluem em nossa vida. Paulo enfatizou essa realidade: “Aquele que não poupou o Seu próprio Filho, antes, por todos nós O entregou, porventura, não nos dará graciosamente com Ele todas as coisas?” (Rm 8:32). Pedro esclareceu essa promessa, declarando que, “pelo Seu divino poder, nos têm sido doadas todas as coisas que conduzem à vida e à piedade” (2Pe 1:3). Mediante Sua morte na cruz e Sua vitória sobre Satanás e os principados e poderes do inferno, Jesus providenciou tudo que é necessário para vivermos de maneira espiritual e piedosa. Ele também promete suprir nossas necessidades físicas básicas.
 
4. Compare 1 João 1:7-9 com Filipenses 4:13, 19. Embora essas promessas sejam bem diferentes, o que elas ensinam sobre o caráter de Deus? Como elas impactaram sua vida? Assinale a alternativa correta:
 
  A. ( ) Deus é amoroso e infinitamente poderoso.
  B. ( ) O amor de Deus está condicionado aos nossos acertos.
 
As promessas são diferentes, mas a imagem de Deus que elas apresentam é semelhante. Elas revelam um Deus perdoador, de poder infinito e cuidado para com nossas necessidades. Elas afirmam que Deus Se importa profundamente conosco.
 
5. Leia Hebreus 3:19; 4:1-3 e Mateus 13:58. O que esses versos revelam sobre a necessidade de fé?
 
Existem muitas promessas maravilhosas na Bíblia. Quando, pela fé, reivindicamos as promessas e acreditamos nelas porque Cristo prometeu, as bênçãos dessas promessas se tornam nossas. A falta de fé na capacidade divina de fazer o que Ele prometeu em Sua Palavra limita o cumprimento das promessas em nossa vida. Ore para que Deus o conduza a alguém que necessita das promessas de esperança encontradas em Sua Palavra.

Quinta-feira, 13 de agosto
Ano Bíblico: Jr 10-13
Compartilhando a Palavra
 
Boas notícias devem ser compartilhadas. Pense nos momentos em que você se alegrou com boas-novas: o casamento, o nascimento do filho, um novo emprego ou a compra de um carro ou casa. Você ficou tão empolgado que mal podia esperar para contar a notícia!
 
É maravilhoso compartilhar nossa alegria, mas a melhor notícia em todo o Universo é a história de Jesus. Quando descobrimos novas ideias em Sua Palavra sobre a salvação em Cristo, nosso coração transborda de alegria e desejamos contar aos outros. Quando as autoridades religiosas tentaram interromper a pregação dos apóstolos, Pedro declarou: “Nós não podemos deixar de falar das coisas que vimos e ouvimos” (At 4:20).
 
“No momento em que uma pessoa aceita Cristo, em seu coração nasce um desejo de apresentar aos outros o precioso Amigo que encontrou em Jesus Cristo; a verdade salvadora e santificadora não pode ficar escondida em seu coração. Se estivermos revestidos da justiça de Cristo e cheios da alegria que Seu Espírito produz, será impossível nos contermos” (Ellen G. White, Caminho a Cristo, p. 78).
 
Em Romanos 1:14-16, Paulo escreveu: “Sou devedor tanto a gregos como a bárbaros, tanto a sábios como a ignorantes; por isso, quanto está em mim, estou pronto a anunciar o evangelho também a vós outros, em Roma. Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego”.
 
O apóstolo Paulo nunca se cansou de contar sua história de conversão. Seu coração transbordava de alegria em Jesus. Para ele, boas notícias deviam ser compartilhadas, e ele não podia ficar calado.
 
6. Quais princípios vitais Isaías 50:4, Eclesiastes 3:1 e 2 Timóteo 4:2 revelam sobre a ação de compartilhar a Palavra de Deus?
 
Ao entregarmos a vida a Cristo e a Seu serviço, Ele abrirá as portas para que falemos em momento oportuno àqueles cujo coração Ele tem aberto. Em todo o nosso testemunho, devemos ter em mente três princípios bíblicos: o que dizemos, como dizemos e quando dizemos.

Sexta-feira, 14 de agosto
Ano Bíblico: Jr 14-16
Estudo adicional
 
Textos de Ellen G. White: Caminho a Cristo, p. 87-91 (“O Conhecimento de Deus”); Obreiros Evangélicos, p. 192-193 (“Estudos Bíblicos a Famílias”); Evangelismo, p. 481-486 (“Métodos da Obra Bíblica”).
 
Deus está trabalhando no coração das pessoas. Se tivermos discernimento espiritual para ver onde Ele já está trabalhando, observaremos regularmente oportunidades de compartilhar Sua Palavra. Enquanto o Senhor prepara o solo do coração, temos a chance de semear a semente do evangelho. O Espírito Santo preparou o coração de Nicodemos, da mulher no poço, da mulher com fluxo de sangue, do ladrão na cruz, do centurião romano e de muitos outros a fim de receberem Sua Palavra antes que Jesus os encontrasse. Por meio das circunstâncias da vida e das impressões do Espírito Santo, elas estavam preparadas para receber a mensagem de Cristo.
 
Podemos ter uma hesitação natural em perguntar às pessoas se podemos orar com elas, compartilhar uma promessa da Bíblia ou oferecer-lhes uma literatura. Quando nos sentimos impressionados em compartilhar a fé, é porque o Espírito Santo que nos impressionou também impressionou as pessoas a receber nosso testemunho.
 
Perguntas para consideração
 
1. Se alguém viesse até você, sentindo-se terrivelmente culpado por alguma coisa e precisasse do perdão de Deus, que conselho você daria e quais textos bíblicos compartilharia? Qual tem sido sua experiência com a culpa e com o poder do perdão?
 
2. Às vezes, Deus traz pessoas à nossa vida porque deseja que elas conheçam Sua verdade. Como podemos ser sensíveis à Sua direção?
 
3. Reflita sobre o poder de Deus e da Sua Palavra, revelado na história da criação. Mal podemos compreender o conceito do próprio Universo, pois ele é tão grande e tão vasto! O Deus que o criou é ainda maior do que o que Ele criou. Encontramos conforto ao saber que o Deus a quem servimos é tão poderoso e nos ama? Que grande esperança obtemos ao conhecer essas qualidades de Deus? Como esse conhecimento nos ajuda a ser melhores testemunhas Dele?
 
Respostas e atividades da semana: 1. A. 2. A Palavra de Deus é poderosa e eficaz. Por meio dela os céus foram formados. Ela penetra o coração humano. 3. A Escritura é útil para o ensino e instrução na justiça; ela nos santifica e nos torna sábios para o reino de Deus. 4. A. 5. Sem fé não entraremos no descanso do Senhor. Sem ela, não podemos receber o cumprimento das promessas. 6. Ao compartilhar a Bíblia, devemos buscar compreendê-la como os eruditos. Precisamos também transmiti-la no tempo oportuno e usar seus ensinos para corrigir e exortar as pessoas. Se não sabemos o tempo e a maneira adequados em alguma situação, o Espírito Santo vai nos guiar.