Fotografo: Divulgação
...
Atualmente, o Estado tem nove bancos de leite humano

 
O Ceará é o primeiro do Nordeste e o sétimo do País em números de bancos de leite humano. Atualmente, o Estado tem nove. De acordo com Marcos Gadelha, secretário adjunto da Saúde do Estado, esse cenário reflete as estratégias e políticas do Ceará para promover e incentivar o aleitamento materno.
 
“A gente tem o maior número de bancos de leite do Nordeste. Mas, não adianta ter o maior número, a gente precisa ter qualidade. E é exatamente nesse sentido que estamos revendo e investindo nos bancos de leite do Ceará”, afirmou Gadelha. Para a coordenadora das ações de aleitamento materno da Coordenação Geral de Saúde da Criança, Fernanda Ramos Monteiro, investir no aleitamento materno melhora os indicadores e previne a mortalidade infantil.
 
Seminário
Com a proposta de alcançar o desenvolvimento sustentável através da promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno, a Semana Mundial da Amamentação, neste ano, aborda o tema “Amamentação: uma chave para o desenvolvimento sustentável”. A proposta toma como base os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – uma estratégia global que envolve todos os governos em ações para promover ecologia, economia e equidade. A Semana Mundial da Amamentação ocorre até 7 de agosto, com diferentes atividades na Capital e no Interior.
 
Para mobilizar gestores e profissionais da saúde, o Governo do Estado realizou, ontem, o Seminário Estadual do Aleitamento Materno, no Centro de Eventos do Ceará, com a presença da primeira­-dama do Estado, Onélia Leite Santana, e do secretário adjunto da Saúde, Marcos Gadelha.
 
Conforme a primeira-dama, o objetivo do encontro é sensibilizar os gestores, profissionais e as mães que estão amamentando sobre a importância do aleitamento, “que previne doenças e estimula o desenvolvimento saudável da criança. Levar esse conhecimento à comunidade, às mães gestantes e as que estão amamentando, é uma responsabilidade nossa”, disse Onélia.
 
O Seminário Estadual do Aleitamento Materno está entre as ações do Programa Mais Infância Ceará, especificamente no pilar Tempo de Crescer, que visa a construção de uma rede de fortalecimento de vínculos familiares e comunitários através de serviços e formações que contemplem profissionais, pais e cuidadores.
 
Doação de leite
A farmacêutica Beatriz Montezuma é mãe de três crianças e hoje amamenta a pequena Giovanna Montezuma, de três meses. Desde o primeiro filho, ela é doadora de leite materno. “Amamentar é importante pelo vínculo entre mãe e filho, pela questão nutricional. Alimenta e fortalece o sistema imunológico do bebê. Já doei para o banco de leite do Hospital Geral de Fortaleza e hoje estou doando para o banco da Maternidade-Escola Assis Chateaubriand. Sempre doei leite materno. E a iniciativa do Governo do Estado em incentivar o aleitamento é fundamental. A gente precisa de mais visibilidade, mais incentivo, especialmente as mães que trabalham”, disse.
 
Na rede pública de saúde, a população tem estrutura de assistência e incentivo ao aleitamento materno por meio dos bancos de leite humano do Hospital Regional Norte, em Sobral, Hospital Geral de Fortaleza, Hospital Geral Doutor César Cals e Hospital Infantil Albert Sabin, em Fortaleza.