Fotografo: Reprodução/Facebook
...
Corpo foi encontrado em Alumínio tinhas lesões e queimaduras

O corpo da jovem Aline Silva Santas, de 19 anos, encontrado na quarta-feira (11), em uma área de mata fechada da cidade de Alumínio, na região metropolitana de Sorocaba, apresenta lesões que podem indicar que a mulher tenha sofrido agressões antes de morrer. As informações constam no boletim de ocorrência que registrou o homicídio. De acordo com a Polícia Civil, o exame pericial será realizado nesta quinta-feira (12). 
 
A jovem desapareceu em uma região de mata da cidade no domingo (8), quando saiu para comprar fraldas para a filha de um ano e nove meses. Até o momento, nenhum suspeito foi identificado. Ela costumava fazer o trajeto para voltar de uma área de comércio até sua casa. 
 
De acordo com a delegada Luciane Bachir, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Sorocaba (SP), as buscas foram realizadas na área de mata com a ajuda de cães farejadores. "Eles conseguiram identificar um corpo do sexo feminino que a família confirmou que se tratava de Aline. Ao que tudo indica a morte ocorreu no domingo", diz a delegada à reportagem da Record TV. 
 
Segundo as investigações, o que se sabe até agora sobre o caso é a localização e a identificação do corpo. O caso, que estava sendo tratado como desaparecimento, passa a ser registrado como homicídio. A delegada afirmou que, embora o corpo de Aline tenha sido encontrado sem as roupas, não havia sinais de violência sexual. "Mas essa confirmação depende de exame pericial", afirma.
 
O corpo de Aline foi encontrado parcialmente queimado. Além disso, estava encoberto com pedaços de madeira. "Dá a entender que a intenção era esconder o corpo", diz a delegada. As diligências foram realizadas com o trabalho dos cães da Guarda Municipal de Itupeva.
 
Embora a polícia não tenha identificado um suspeito, a delegada afirma que todas as linhas de investigação estão sendo verificadas. "Estamos apurando todas as informações sobre quem passa por aquele local."
 
Investigações
 
Inicialmente, a Polícia Civil trabalha para descobrir dois pontos principais: o intervalo de tempo entre o assassinato e o encontro do corpo da vítima, além da causa da morte.
 
O desaparecimento de Aline está sendo investigado pela DIG (Delegacia de Investigações Gerais ) da Seccional de Sorocaba, que responde pela região onde ocorreu o crime.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Fabíola Perez, do R7, com informações da Record TV