Fundada aos 14 de abril de 2006 pelo Jornalista Eraldo de Freitas - E-mails: redacao@sbcbrasil.com.br

Cidadão Repórter

(65)9966-5664
Várzea Grande(DF), Segunda-Feira, 01 de Março de 2021 - 15:27
20/01/2021 as 14:31:39 | Por Lislaine Dos Anjos, Midia News | 190
Casa Civil: “Risco de faltar cilindros de oxigênio em MT é zero”
Mauro Carvalho disse que estoque de hospitais está sob controle e defendeu decreto de Mendes
Fotografo: MidiaNews
O secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho

O secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, afirmou nesta quarta-feira (20) que Mato Grosso não corre o risco de ter uma crise por falta de cilindros de oxigênio nos hospitais, como no caso vivido pela população de Manaus (AM) há semanas.
 
Em entrevista à Rádio CBN Cuiabá, Carvalho disse que, assim que soube da situação no Amazonas, entrou em contato com o secretário de Saúde, Gilberto Figueiredo, que garantiu já ter se antecipado e entrado em contato com as unidades de saúde e com os fornecedores do Estado.
 
“Ele já tinha se antecipado e estamos com estoques abastecidos no Hospital Metropolitano, em todos os polos e hospitais regionais. Não temos risco de falta de oxigênio em Mato Grosso. Nenhum. Os estoques estão controlados tanto nas unidades de saúde do Estado como nos nossos fornecedores”, afirmou.
 
O secretário disse, ainda, que todos os fornecedores garantiram que a situação está controlada e que irão manter o fornecimento normal de cilindros para as unidades de saúde, sejam elas instituições públicas ou privadas.
 
“De forma nenhuma passaríamos uma informação para a sociedade que não fosse verdadeira. Não corremos o risco que Manaus passa", disse.
 
"Estamos com abastecimento garantido, com os estoques garantidos e o risco de se faltar oxigênio em Mato Grosso é zero”, acrescentou.
 
Decreto
 
Mato Grosso tem vivenciado um aumento no número de casos, internações e mortes por Covid-19.
 
A situação acendeu um alerta no governador Mauro Mendes, que baixou um decreto no início desta semana restringindo eventos sociais, confraternizações, festas, shows e atividades em casas noturnas ou bares pelos próximos 45 dias.
 
O chefe da Casa Civil saiu em defesa da medida. Disse que parte da sociedade age como se a pandemia do novo coronavírus tivesse acabado.
 
“A vacina que chegou a Mato Grosso atende a um mínimo de pessoas necessárias. A pandemia continua sufocando pessoas queridas, que estamos perdendo na sociedade. Temos que ter uma responsabilidade muito grande no uso de máscara, no respeito ao distanciamento”, afirmou.
 
Carvalho ainda criticou duramente a postura dos mais jovens que, segundo ele, tem participado de eventos sem o mínimo de respeito às medidas de biossegurança.
 
Como exemplo, citou vídeos e fotos que chegaram ao conhecimento do Estado sobre festas que aconteciam de sexta a domingo na região do Coxipó do Ouro.
 
“As festas começavam às 23h, acabavam 8h e você via os vídeos e fotos com mil, até 1,5 mil pessoas, e não via um jovem com máscara. Parece que os jovens têm um constrangimento em usar a máscara nos eventos que eles participam. Então, todas as fotos e vídeos que você vê em eventos com 50 pessoas, 100 pessoas, mil pessoas, é todo mundo sem máscara, aglomerado”, criticou.
 
Segundo o secretário, se as pessoas tivessem consciência e mantivessem o uso de máscaras e o distanciamento nos eventos que participassem, os casos não teriam aumentado e o governador não precisaria ter editado tal decreto.
 
“O decreto visa proteger toda a população mato-grossense. Não queremos ver esses índices de mortes que estamos tendo no Estado”, disse.
 
“A sociedade tem que entender que a pandemia está curso no mundo todo e as pessoas têm que continuar respeitando as regras sanitárias, o distanciamento social e só assim vamos contribuir com os índices de queda dessa pandemia”, completou.




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil