Fotografo: Pilar Olivares/Reuters
...
Caixa já havia concedido R$ 78 bi para a economia

A Caixa Econômica Federal anunciou nesta quinta-feira (26) novas medidas para estimular a economia em meio aos efeitos coronavírus. Entre as ações aparece a disponibilização de R$ 31 bilhões, a redução das taxas de juros e o auxílio a Estados e municípios.
 
Com a nova liberação de mais R$ 31 bilhões, o banco estatal totaliza R$ 111 bilhões em recursos para combater os efeitos da pandemia. Na semana passada a Caixa há havia concedido R$ 78 bilhões para ajudar a economia.
 
De acordo com a instituição, os novos recursos serão disponibilizados para ampliar o capital de giro (R$ 20 bilhões), compra de carteiras (R$ 10 bilhões) e em crédito para Santas Casas (R$ 2 bilhões) e para o setor agrícola (R$ 1 bilhão).
 
Para os consumidores, a novidade fica por conta da redução das taxas de juros do cheque especial e do parcelamento da fatura do cartão de crédito.  Já no caso das empresas, as taxas cairão de 4,95% para 2,9% ao mês. As novas condições do cheque especial e cartão de crédito serão válidas por 90 dias a partir da próxima quarta-feira (1º).
 
Para as micro e pequenas empresas, a instituição anunciou uma linha de capital de giro para manutenção da folha de pagamento, parcerias para ampliação das linhas de crédito e a antecipação de recebíveis de cartões com taxas reduzidas.
 
Financiamento
 
 
A Caixa também comunicou o aumento da pausa para o pagamento de 60 para 90 dias nas operações de crédito para pessoas físicas e jurídicas e no financiamento imobiliário.
 
Para solicitar a interrupção dos pagamentos, os clientes do banco devem acessar o site da Caixa e selecionar a opção desejada a partir da próxima terça-feira (31). O parcelamento de faturas do cartão de crédito pode ser solicitados por meio do aplicativo do banco ou nas centrais de atendimento dos cartões de crédito.
 
Segundo o banco, a possibilidade de pausa emergencial nos financiamentos habitacionais só é válida para contratos que estejam adimplentes ou com até duas parcelas em atraso, exceto para os casos em que o cliente esteja utilizando o FGTS para pagamento das prestações mensais.
 
Estados e municípios
 
O auxílio anunciado a Estados e municípios aumentou o volume de empréstimos aos entes da federação por meio do FINISA (Financiamento à Infraestrutura e Saneamento Ambiental) e os financiamentos com recursos do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço).
 
O limite inicial, aberto no dia 02 de março, concedeu R$ 3,35 bilhões em 246 operações com 195 tomadores. Ainda estão em estudo 324 operações de financiamento, um total de R$ 5,16 bilhões. (R7)