Fundada aos 14 de abril de 2006 pelo Jornalista Eraldo de Freitas - E-mails: redacao@sbcbrasil.com.br

Cidadão Repórter

(65)9966-5664
Várzea Grande(DF), Sábado, 31 de Outubro de 2020 - 19:06
18/09/2020 as 19:44 | Por ERALDO DE FREITAS | 8998
Caixa quer a desocupação dos imóveis do Colinas Douradas
"A Polícia adentrou o local fazendo estardalhaço, onde possui inúmeras mulheres grávidas, idosos doentes e pessoas com o Coronavirus"
Fotografo: Da Assessoria
Ivan dos Santos no Colina Douradas em defesa dos moradores sem tetos que ocupam o empreendimento

ERALDO DE FREITAS
 
Enquanto, presidente Bolsonaro e o Dr Pedro Duarte Guimarães (presidente nacional da Caixa Econômica) trabalham dia e noite para levantar fundos financeiros para construir casas para as famílias sem tetos, seus subordinados da Caixa Econômica Federal em Mato Grosso, supostamente trabalham na surdina de forma sorrateira para queimar a imagem do presidente, desalojando e colocando quatro mil pessoas para dormir nas ruas e praças em Várzea Grande no Mato Grosso. Com esta táctica maquiavélica, a liderança da Caixa no Mato Grosso pode desconstruir a imagem do presidente Bolsonaro em poucas semanas, isso será fato. Será que Bolsonaro e Pedro Duarte vão gostar desta notícia?
 
O empreendimento Colina Dourada, foi ocupado por cidadãos trabalhadores, porém, infelizmente e pela ironia do destino, são pessoas de baixa renda, mas 99% pessoas trabalhadoras e honestas, que apenas sonham e lutam com garra para conseguir ter um teto para morar.
 
Uma fonte nos garantiu que, já se somam oito processos em andamento para responsabilizar o governador Mauro Mendes, pela falta de preparo em gerenciamento de crises, por parte da Polícia Militar, que adentrou o local e soltou bombas de efeito moral, voo de helicóptero e fizeram verdadeiro estardalhaço sobre o Colinas, barulho de guerra no local, para intimidar a população trabalhadora sem tetos, como se tivessem a procura dos maiores criminosos do Rio de Janeiro, naquela comunidade, chamada Colina Dourada.
 
Vamos aos fatos.
 
Como já é do conhecimento público que, cerca de 1100 famílias fizeram a ocupação do Residencial Colinas Douradas na quinta-feira 09 de setembro, empreendimento residencial com suas obras paralisadas desde meados de 2017, de responsabilidade da Caixa Econômica, impacientes, a população sem tetos já cadastradas na espera de casa para agrasalhar sua família, para cobrar providências do governo e das autoridades competentes, não viram alternativa, a não ser, ocupar as referidas moradias.
 
Segundo o presidente da Comissão de Habitação da Câmara Municipal de Várzea Grande, o vereador Ivan dos Santos, que foi convocado pelos sem tetos de Várzea Grande, devido ocupar a pasta, pela sua imparcialidade e sensibilidade pela população menos favorecidas, ele tem sido bem solidário a estas causas sociais na cidade nestes quase oito anos como vereador; 
"Temos cobrado bastante às autoridades competentes com insistência, em relação à conclusão e os sorteios dos milhares de inscritos que serão selecionados e habilitados para obter o seu imóvel no Colinas Douradas, pois o empreendimento suas obras estão paralizadas e a pendenga se arrasta por cinco anos, isso é inadmissível, queremos uma solução, porém não vou aceitar de forma nenhuma, que joguem mais de 4.0 mil seres humanos para dormir em praças públicas", cobrou.
 
"Estamos vivendo um momento delicado devido essa pandemia, e o que mais dói na gente é o fato de vermos mais de mil imóveis paralisados, inacabados e ninguém faz nada para resolvê-los, por conta disso, decidimos abraçar esta causa nobre e só vamos parar quando esta pendenga for resolvida", informou o parlamentar.
 
"A outra preocupação nossa é o fato de como mobilizar e desalojar mais de quatro mil pessoas para lugares incertos neste momento de pandemia, então, pedimos ajuda das Autoridades Sanitárias do Estado, para nos subsidiarem com soluções, uma vez que a Caixa quer a qualquer custo, que os imóveis sejam liberados até terça-feira (21), ofereceram, até caminhões para ajudar a realizar a desocupação, porém, o que pesa neste momento, é onde conseguir tantos imóveis para agasalhar tantas famílias (cerca de 4.0 mil pessoas no total); A nossa reivindicação é, que a Caixa espere até janeiro, assim, a pandemia se acentue mais, e estas famílias consigam outras moradias dinas, pois elas não podem ficar morando na rua com tamanho número de crianças, mulheres grávidas e pessoas idosas de riscos, só crianças se totalizam mais de 1.500", pede o vereador.
 
Na tarde desta sexta-feira (18), entre as 13 às 16hs, a Caixa Econômica realizou uma longa reunião, nas dependências do Banco, convidou todos para conversar. Na ocasião se fizeram presentes, os representantes da Associação de Moradores do Colinas, o seu advogado Dr Daniel Ramalho, o vereador Ivan dos Santos (pela Comissão de Habitação da Câmara Municipal), pela Caixa Econômica se fizeram presentes, representantes dos órgãos internos do Banco, como o superintendente regional de rede, o superintendente executivo de habitação, o gerente de filiais da engenharia e o jurídico regional; Além deles, a promotora do Ministério Público Federal participou via teleconferência, uma vez que os empreendimentos estão sendo custeados com recursos do governo federal.
 
O objetivo da reunião, segundo o vereador Ivan dos Santos, foi para tratar sobre a possibilidade de uma desocupação amigável e sem tumulto!  Nesta reunião foi arguido pelos representantes da Caixa Econômica que, o empreendimento ainda não possui nenhuma condição de habitabilidade, pelo fato de que, todos os imóveis estão sem iluminação, sem a rede de esgotamento sanitário e sem água encangada!  De acordo informação técnica da Superintendência da Caixa dá conta ainda que, neste mês de setembro - segundo eles, a Caixa já aportou R$ 9.0 milhões de reais para conclusão das obras do Colinas Douradas.
 
APELO DO VEREADOR IVAN DOS SANTOS
 
"O nosso pedido e sugestão ao presidente nacional da Caixa Econômica, Dr Pedro Duarte Guimarães e ao superintendente da Caixa em Mato Grosso, Dr José Antônio da Silva, (a Caixa trata-se de um dos órgãos do governo federal que é o mais íntimo do povo brasileiro), quem mais tem trabalhado diuturnamente lado a lado do presidente Bolsonaro, frente ao combate da pandemia no Brasil, ninguém melhor e mais sensíveis que vocês dois, visíveis e profundos conhecedores que acompanham o sofrimento do povo brasileiro logo cedinho nas filas neste momento de pandemia mundial, que já matou mais de 136.500 mil seres humanos no Brasil, que protele, segure estes 4.0 mil seres humanos, dentre eles (centenas de mulheres grávidas, idosos e deficientes pessoas de riscos) que não tem para onde ir, que fiquem alojados nestas obras inacabadas, pelo menos quatro meses a mais, até janeiro do ano que vem, não fará muita diferença, - uma vez que este empreendimento está com suas obras paralisadas há mais de cinco anos, até que seja feito a seleção minuciosa e todos terão mais prazos para encontrar um imóvel decente para locar, pois é uma injustiça colocar 4.0 mil pessoas nas ruas sem ter para onde ir, sem falar, na gravidade do risco que os senhores estarão submetendo estas 1100 famílias, para dormir nas ruas, debaixo de árvores ou em praças públicas, neste momento crítico de pandemia letal; Acredito que, posteriormente, nenhuns dos senhores conseguirão dormir com a consciência em paz, sem pensar nas consequências negativas que isso pode causar, como o fato, de também vir serem responsabilizados por isso caso alguém venha a ser afetado pelo CoronaVirus", pede o vereador Ivan dos Santos em defesa dos moradores sem teto que ocupam os imóveis da Caixa Econômica.




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil