Fundada aos 14 de abril de 2006 pelo Jornalista Eraldo de Freitas - E-mails: redacao@sbcbrasil.com.br

Cidadão Repórter

(65)9966-5664
Várzea Grande(DF), Segunda-Feira, 01 de Março de 2021 - 17:10
25/01/2021 as 09:40:54 | Por Bruna Barbosa E Lislaine... | 207
“Bando de bestalhão”, diz Mendes sobre fakes contra vacinas
Governador de Mato Grosso afirmou que resultados da vacina ao redor do mundo serão prova de eficácia
Fotografo: Secom-MT
Técnica em enfermagem foi primeiro a receber dose da Coronavac em MT

O governador Mauro Mendes criticou a produção de notícias mentirosas sobre as vacinas produzidas para conter o avanço de casos da Covid-19 no mundo, entre elas a Coronavac, produzida no Brasil pelo Instituto Butantan.
 
A afirmação foi feita durante lançamento do plano de vacinação em Mato Grosso, no Hospital Metropolitano, em Várzea Grande. 
 
"Se tem alguém capaz de inventar, tem alguém capaz de acreditar. Mas gente, o mundo inteiro está vacinando. Os chamados grande países desenvolvidos do planeta estão vacinando. Não é possível que um bando de bestalhão, esse bando de inventores de fake news, é que são os espertalhões". 
 
Durante coletiva de imprensa após a vacinação de dez profissionais de saúde que receberam as primeiras doses da Coronavac, Mendes ainda disse que a eficácia das vacinas contra Covid-19 vai "desmascarar" as mentiras que foram espalhadas.
 
"O tempo é o senhor da verdade, não tenho dúvida nenhuma que essas mentiras serão desmascaradas com o resultado da vacina não só no Brasil, mas ao redor do planeta". 
 
Crítica ao Governo Federal
 
Para Mauro, o Brasil "perdeu o timing" em dar início a campanha de vacinação contra a Covid-19, já que o assunto não foi priorizado pela União. 
 
“Eu acho que o Brasil perdeu um timing, perdeu um tempo. Nós temos hoje vários países do Mundo que estão na nossa frente. Acho que todos nós brasileiros estamos com a sensação de que poderíamos ter tido uma priorização desse assunto por parte do Governo Federal”.
 
Ele afirmou que para recuperar o tempo perdido, o país depende do ritmo de produção do  Instituto Butantan e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que vai produzir a vacina Oxford-AstraZeneca.




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil