Fundada aos 14 de abril de 2006 pelo Jornalista Eraldo de Freitas - E-mails: redacao@sbcbrasil.com.br

Cidadão Repórter

(65)9966-5664
Várzea Grande(DF), Terça-Feira, 20 de Abril de 2021 - 18:51
08/03/2021 as 09:36:56 | Por CPB | 245
Amor em ação
Amor em ação
Fotografo: CPB
Amor em ação

Lição 11
06 a 12 de março
 
Sábado à tarde
Ano Bíblico: Dt 29-31
 
VERSO PARA MEMORIZAR: “Se abrirem o seu coração aos famintos e socorrerem os aflitos, então a luz de vocês nascerá nas trevas, e a escuridão em que vocês se encontram será como a luz do meio-dia” (Is 58:10).
 
LEITURAS DA SEMANA: Is 55; 58
 
Certa vez, um judeu dirigente de louvor em uma sinagoga e sua esposa, que moravam em Lincoln, Nebraska, receberam telefonemas ameaçadores e ofensivos. Eles descobriram que as ligações vinham de um líder de um grupo terrorista, a Ku Klux Klan. Ao identificarem o homem, eles poderiam tê-lo denunciado à polícia. Mas decidiram por uma abordagem mais radical. Quando souberam que ele era paralítico, apareceram em sua casa com uma deliciosa refeição para o jantar! O homem ficou perplexo. Seu ódio se desfez diante do amor. Eles continuaram visitando-o, e a amizade cresceu. O ex-líder da Ku Klux Klan até pensou em se tornar judeu!
 
“Não é este o jejum que escolhi: que vocês quebrem as correntes da injustiça, desfaçam as ataduras da servidão, deixem livres os oprimidos e acabem com todo tipo de servidão? Será que não é também que vocês repartam o seu pão com os famintos, recolham em casa os pobres desabrigados, vistam os que encontrarem nus e não voltem as costas ao seu semelhante?” (Is 58:6, 7). Ironicamente, o casal que morava em Lincoln obedeceu aos princípios desse jejum ao compartilhar seu banquete com um opressor, libertando-o de seu preconceito!
 
Nesta semana, estudaremos mais sobre esse importante princípio espiritual, conforme descrito pelo profeta Isaías.Domingo, 07 de março
Ano Bíblico: Dt 32-34
Comprar de graça? (Is 55:1-7)
 
1. “Ah! Todos vocês que têm sede, venham às águas; e vocês que não têm dinheiro, venham, comprem e comam” (Is 55:1). Qual é a contradição aqui?
 
Imagine que você tenha pegado alguns alimentos e anunciado na rua de uma cidade grande aos famintos ali: “Ei, vocês que não têm dinheiro, venham, comprem e comam!” Mas como eles poderão comprar se não têm dinheiro?
 
No entanto, como fez Isaías, se adicionarmos as palavras “sem dinheiro e sem preço” (Is 55:1), o argumento fica mais claro. Isaías apelou ao povo que aceitasse o perdão (Is 55:7) gratuitamente. Porém, a palavra “comprar” enfatiza que é valioso o que Deus oferece às pessoas para atender às necessidades e desejos delas; portanto, receber esse perdão requer uma transação (uma transferência de algo de valor). Deus oferece gratuitamente o perdão no âmbito de uma restaurada relação de aliança com Seu povo, mas não porque esse perdão foi gratuito para Ele: o Senhor o comprou pelo preço terrível do sangue de Seu Servo. Embora seja gratuito para nós, esse perdão teve um custo enorme para Deus.
 
2. Leia 1 Pedro 1:18, 19. Qual foi o preço da nossa salvação? Assinale a alternativa correta:
 
A.(  ) Prata e ouro.
B.(  ) O precioso sangue do Cordeiro de Deus, Jesus Cristo.
 
3. Como a abordagem de Isaías em relação à salvação se compara à do Novo Testamento? Ef 2:8, 9
 
Isaías resumiu o evangelho no Antigo Testamento, que é o mesmo do Novo Testamento. Não havia uma salvação pelas obras na “antiga aliança”, a ser substituída pela salvação pela graça na “nova aliança”. Desde a promessa do Libertador para Adão e Eva (Gn 3:15), sempre houve apenas um caminho de salvação: a graça mediante a fé (Ef 2:8); “o dom gratuito de Deus é a vida eterna em ­Cristo Jesus, nosso Senhor” (Rm 6:23). Desde o antigo Gilgamesh, que realizou façanhas numa busca inútil pela vida eterna, até as atrizes modernas que creem na reencarnação, as pessoas têm procurado caminhos de salvação, mas todos são infrutíferos. Elas precisam conhecer o que Jesus realizou por elas na cruz.Segunda-feira, 08 de março
 
Domingo, 07 de março
Ano Bíblico: Js 1-4
Pensamentos e caminhos elevados (Is 55:6-13)
 
4. Por que Deus disse que Seus pensamentos e caminhos são mais elevados que os nossos, “assim como os céus são mais altos do que a Terra”? O que isso significa? Is 55:8, 9
 
Evidentemente, o Deus que criou o Universo no qual até as coisas mais simples contêm mistérios que nossa mente não pode entender é um Deus cujos caminhos estão além do que podemos sequer começar a compreender. Portanto, diante do conhecimento de Sua infinita superioridade, para nós deveria ser mais fácil receber com humildade a Sua ajuda. (Compare com Isaías 57:15).
 
5. Leia Isaías 55:6-9. O Senhor diz que Seus caminhos e pensamentos são mais altos do que podemos imaginar. Qual é o contexto dessas palavras? O que Ele faz que é tão difícil de entender?
 
De todos os grandes mistérios do Universo, certamente o maior de todos é o do plano da salvação, um mistério que mal podemos começar a entender (veja Ef 6:19). O fato de o Criador do Universo ter Se humilhado para Se revestir da humanidade, vivido em trabalho árduo e sofrimento, apenas para morrer em nosso favor, em sacrifício pelo pecado, a fim de nos perdoar e mostrar misericórdia é uma verdade que impressionará o coração dos seres criados por Deus por toda a eternidade.
 
“Os anjos desejam examinar atentamente o tema da redenção; será a ciência e o cântico dos remidos por todos os incessantes séculos da eternidade. Não seria ele digno de atenta consideração e estudo agora?
 
“O assunto é inesgotável. O estudo da encarnação de Cristo, de Seu sacrifício expiatório e obra mediadora, ocupará a mente do diligente estudante enquanto o tempo durar; e contemplando o Céu com seus inumeráveis anos, exclamará: ‘Grande é o mistério da piedade!’” (Ellen G. White, Minha Consagração Hoje, p. 360).

 

Terça-feira, 09 de março
Ano Bíblico: Js 5-8
Companheiros de jejum (Is 58:1-8)
 
6. Qual é o “jejum” referido em Isaías 58:3?
 
Esse deve ser o jejum do Dia da Expiação, o único jejum ordenado por Deus (Lv 16:29, 31; 23:27-32). Isso é confirmado em Isaías 58:3 pela expressão análoga “nos humilhamos” [“afligimos a nossa alma”, ARA], que segue a terminologia de Levítico. Humilhar-se/afligir-se refere-se a várias formas de abnegação, incluindo o jejum (Sl 35:13; Dn 10:2, 3, 12).
 
O contexto do Dia da Expiação explica o mandamento de Deus: “Ergue a voz como a trombeta” (Is 58:1). Essa espécie de trombeta de chifre de carneiro, chamada shofar, deveria ser tocada como memorial ou lembrete dez dias antes do Dia da Expiação (Lv 23:24). Além disso, a cada cinquenta anos, no Dia da Expiação, ela devia anunciar o início do ano do Jubileu, o ano da liberdade (Lv 25:9, 10; compare com Is 27:13).
 
7. Leia Isaías 58:3-7. Do que o Senhor estava reclamando a eles? O que havia de errado com o “jejum” do povo?
 
Parece que o povo esperava que o Senhor o parabenizasse por sua “piedade”. Evidentemente, ele tinha entendido tudo ao contrário. Praticar a abnegação no Dia da Expiação era expressar gratidão e lealdade a Ele no dia em que o sumo sacerdote se apresentava diante de Deus para purificar o santuário e, assim, purificar cada um dos pecados dos quais o povo já havia sido perdoado ao longo do ano (Lv 16; compare com o capítulo 4). Os atos do povo deveriam ser realizados em reconhecimento e gratidão ao Deus que o tinha salvado no dia do juízo, e não a fim de obter a aprovação do Senhor pela “piedade” e “devoção” dele. Afinal, os pecados do povo haviam contaminado o santuário de Deus. Esse santuário tinha que ser purificado com sangue derramado por causa do que o povo havia feito.
 
8. Uma das lições cruciais desses textos é mostrar a diferença entre ser meramente religioso e ser verdadeiramente seguidor de Cristo. Como vemos a diferença nesses textos? Enfrentamos o mesmo perigo apresentado nessa passagem, isto é, crer que nossos rituais religiosos de alguma forma revelam que estamos realmente obedecendo ao Senhor como Ele nos pede?

Quarta-feira, 10 de março
Ano Bíblico: Js 9-13
Jejum para contendas (Is 58:1-12)
 
Dez dias após o toque da trombeta ter lembrado o povo de Deus que o Senhor era aclamado seu Rei, no Dia da Expiação, quando a humildade da nação por meio de sua abnegação devia confirmar sua lealdade a Ele como Rei, o profeta levantou a voz como uma trombeta para declarar que o povo estava se rebelando contra Ele (Is 58:1).
 
9. Leia Isaías 58:6-12. O que Deus considera verdadeiros atos de abnegação? Afinal, o que é mais difícil: privar-se de algumas refeições ou usar seu tempo e dinheiro para alimentar os moradores de rua em sua cidade? Qual é o princípio a ser visto por trás desses atos? Como essas ações abrangem a verdadeira religião?
 
Qualquer um pode ser religioso e passar por rituais religiosos, mesmo os rituais certos, na hora certa, com todas as fórmulas certas. Mas o ­Senhor não deseja apenas isso. Examine a vida de Jesus. Por mais fiel que Ele tenha sido aos rituais religiosos de Seu tempo, os escritores dos evangelhos se concentram muito mais em Seus atos de misericórdia, cura, alimentação e perdão aos necessitados do que em Sua fidelidade aos rituais.
 
O Senhor busca uma igreja, um povo que pregue a verdade ao mundo. Mas o que mais atrai as pessoas à verdade, como ela é em Jesus: (1) Estrita adesão às leis alimentares ou disposição para ajudar os famintos? (2) Descanso estrito no sábado ou disposição para gastar seu tempo e energia ajudando os necessitados?
 
10. O que Mateus 25:40 e Tiago 1:27 nos revelam? Assinale a alternativa correta:
 
A.(  ) A verdadeira religião é visitar os órfãos e viúvas; aquilo que fazemos ao próximo é como se estivéssemos fazendo a Deus.
B.(  ) A religião perfeita consiste no mero cumprimento de leis e rituais.

 

Quinta-feira, 11 de março
Ano Bíblico: Js 14-17
Um tempo para nós (Is 58:13, 14)
 
11. Por que Isaías discutiu sobre o sábado em Isaías 58:13, 14? Que relação isso tem com o contexto do Dia da Expiação dos versos anteriores?
 
O Dia da Expiação anual era um sábado cerimonial. Esse sábado especial era como o sábado semanal, em que era proibido todo tipo de trabalho (Lv 23:27-32). Portanto, conforme reconhecida pelos pioneiros adventistas do sétimo dia, a regra de que o período de descanso do Dia da Expiação durava de uma tarde à outra (Lv 23:32) nos informa que ocorre o mesmo em relação ao sábado semanal. Semelhantemente, embora o contexto primário de Isaías 58:13, 14 seja o sábado cerimonial do Dia da Expiação, sua mensagem também se aplica ao sábado semanal.
 
12. Leia Isaías 58:13. Como deve ser o dia de sábado? Como podemos tornar nossa experiência sabática parecida com o ideal apresentado nesse verso? Além disso, ao pensarmos no que o sábado representa, por que ele deveria ter as características descritas nesse texto?
 
Isaías 58 trata de três temas principais: abnegação, bondade social e o sábado.
 
Quais são as relações entre eles? Primeiramente, os três temas envolvem concentração em Deus, em Suas prioridades e o reconhecimento de nossa dependência Dele. Em segundo lugar, ao realizar essas três coisas, o ser humano busca a santidade ao imitar a Deus (veja Lv 19:2), que, na forma de Cristo, Se humilhou (Fp 2:8), demonstrou bondade abnegada (Jo 3:16), e cessou o trabalho no sábado, no fim da semana da criação (Gn 2:2, 3; Êx 20:11).
 

 

Sexta-feira, 12 de março
Ano Bíblico: Js 18-21
Estudo adicional
 
“Ninguém pode exercitar verdadeira beneficência sem abnegação. Unicamente por uma vida de simplicidade, de renúncia e estrita economia, nos é possível realizar a obra a nós designada como representantes de Cristo. O orgulho e a ambição mundanos precisam ser expulsos de nosso coração. Em toda a nossa obra, o princípio do altruísmo revelado na vida de Cristo tem que ser desenvolvido. Nas paredes de nossa casa, nos quadros, na mobília, devemos ler: Recolhe ‘em casa os pobres desabrigados’. Em nosso guarda-roupa, cumpre-nos ler: ‘Veste o nu’. Na sala de jantar, na mesa coberta de abundante alimento, devemos ver traçado: Reparte ‘o teu pão com o faminto’” (Is 58:7; Ellen G. White, A Ciência do Bom Viver, p. 206).
 
Perguntas para consideração
 
1. “Por que vocês gastam o dinheiro naquilo que não é pão, e o seu suor, naquilo que não satisfaz?” (Is 55:2). Estamos trabalhando por algo que não satisfaz? É fácil cair nessa armadilha?
 
2. Se a abnegação, a bondade e o sábado eram importantes no Dia da Expiação, serão importantes também no Dia da Expiação do fim dos tempos (Dn 8:14), quando a trombeta do Jubileu sinalizará a libertação na volta de Cristo (1Co 15:52; Lv 25:9, 10)?
 
3. O que Isaías quis dizer ao dizer que devemos deixar de fazer nossa vontade no sábado, mas, ao mesmo tempo, devemos chamar o sábado de “meu prazer” (Is 58:13)? Como fazer as duas coisas? Lembre-se do contexto de Isaías 58.
 
Resumo: Em Isaías 55 e 58, o profeta exortou o povo a abandonar seus pensamentos e caminhos e voltar a Deus, cujo ideal para a felicidade dele era muito superior ao do próprio povo. O Senhor teve misericórdia e insistiu que os que foram perdoados também fossem misericordiosos, em harmonia com o espírito do Dia da Expiação e do sábado, pois o dom do perdão divino, se for realmente recebido, transforma o coração.
 
Respostas e atividades da semana: 1. Neste mundo regido pelas demandas do capital, não se compra sem dinheiro. 2. B. 3. A abordagem de Isaías tem a mesma essência da abordagem do Novo Testamento, pois ambas consideram que a salvação não tem custo para o ser humano. Não há obras da lei suficientes para comprar a salvação. 4. A mente de Deus, Seus pensamentos e Sua maneira de agir não são limitados como os nossos. O perdão de Deus é mais alto do que podemos imaginar. 5. O contexto do perdão e da misericórdia de Deus. 6. O jejum do Dia da Expiação, de abnegação, de privação de alimento e aflição de alma. Porém, o Senhor disse que esse jejum físico do povo era um jejum egoísta, pois as pessoas buscavam seus próprios interesses. 7. O povo jejuava para realizar as obras de seu próprio interesse e para entrar em contendas e rixas, não para repartir o pão com o faminto nem para libertar os cativos, como Deus desejava que fosse o jejum deles. 8. Isaías apresentou as palavras de tristeza e repreensão da parte de Deus com o tipo de jejum que o povo oferecia: um jejum hipócrita, muito preocupado com as aparências exteriores. Infelizmente, hoje podemos incorrer no mesmo erro de pensar que os rituais e símbolos que servem para representar a Deus sejam o próprio Deus. 9. Quebrar as correntes da injustiça, desfazer as ataduras da servidão, deixar livres os oprimidos e acabar com todo tipo de servidão. É também repartir o pão com o faminto e recolher em casa os pobres desabrigados, e, se vir o nu, o cobrir. 10. A. 11. Porque assim como no jejum, o princípio do sábado é o de fazer com alegria a vontade de Deus, não a nossa. 12. O sábado deve ser prazeroso. Devemos buscar os interesses de Deus e dos outros nesse dia.




Notícias Relacionadas





Entrar na Rede SBC Brasil