Fotografo: G1
...
Conversas hackeadas foram compartilhadas dentro e fora do país

 
Os advogados de Walter Delgatti Neto, suspeito de ser o hacker que invadiu celulares de autoridades, divulgaram uma nota neste domingo (28) na qual informaram que ele deixou cópias de conversas com outras pessoas dentro e fora do país.
 
Delgatti foi preso na semana passada pela Polícia Federal. Em depoimento, ao qual a TV Globo teve acesso, disse ter chegado aos arquivos do procurador Deltan Dallagnol e os repassado ao jornalista Glenn Greenwald, do site The Intercept Brasil.
 
Na nota divulgada neste domingo, os advogados dele disseram que, para o cliente, os serviços online e o poder público deveriam testar segurança de aplicativos como o Telegram, usado por Delgatti para acessar os celulares de autoridades.
 
"Para todos os fins, registra, por pertinente, que o conjunto das informações está devidamente resguardado por fiéis depositários, nacionais e internacionais", diz um trecho da nota.
 
O documento é assinado pelos advogados Luis Gustavo Delgado Barros e Fabrício Martins Chaves Lucas.
 
Filiação partidária
 
Ainda na nota divulgada neste domingo, os advogados afirmam que Walter Delgatti Neto não é filiado a partido político e é "desinteressado em política institucional".
 
Delgatti Neto, no entanto, é filiado ao DEM de Araraquara (SP), segundo o site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Na semana passada, o partido informou que o expulsaria.